Look completo de R$ 10 a R$ 30? Paula Magalhães indica 2 brechós

bazar
08.03.2018, 16:30:00
Atualizado: 08.03.2018, 16:48:20

Look completo de R$ 10 a R$ 30? Paula Magalhães indica 2 brechós

A apresentadora do Expresso da Moda e editora do BAZAR convidou baianos para um garimpo bafo em dois brechós de Salvador onde é possível descolar peças com preços a partir de R$ 5

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Imagine só montar um look inteirinho por R$ 10. E se você quiser ostentar uma terceira peça, o total fica em R$ 15. Proposta tentadora, hein? No brechó do Centro Espiríta Paulo e Estevão, em Amaralina, essa façanha é totalmente possível.

Outro destino certo para desencavar peças de época bem originais é o brechó KI Barato, na Barroquinha. O artigo mais caro custa R$ 30 e ainda pode rolar uma pechincha. Essas lojas são velhas conhecidas de uma turma fashionista: Maria Clara Lauton, Marina Veloso, Alexsandro Rodrigues e Jade Leone.

Eles nos levaram aos seus points favoritos para garimpar em Salvador e ainda posaram de modelos. Os achados foram abundantes. Atenção  às boas máximas: tenha paciência, leve aquilo que realmente vai fazer diferença no seu guarda-roupa e treine o olhar para não cair na tentação de comprar algo muito danificado que não dê para aproveitar ou customizar. Ah! As araras são renovadas toda semana. E aceitam cartão de crédito.

Ana Clara, jornalista, e Marina Veloso, estudante em looks do Brechó Ki Barato na Barroquinha (Fotos: Renato Santana/Divulgação)

As garimpeiras

Essa dupla tem olhar afiado. Sempre está atrás de peças que são tendências, mas carrega a autenticidade do passado. A jornalista Maria Clara, de 25 anos, montou um look com vestido vermelho, a cor da vez, que custa R$ 10, e ousou na sobreposição.

O blazer oversized xadrez saiu por R$ 20. “Gosto de brechós porque oferecem peças únicas e com  história”, comenta. A estudante Marina Veloso, 22, também não ficou atrás. Combinou  jaqueta esportiva da Reebook (R$ 10) com legging de couro (R$ 10). “Procuro  cores fortes, estampas e não me prendo a  um estilo. Misturo tudo”, dá dica.

Mais um close da Maria Clara e Marina na Barroquinha

O garimpo

O baú do tesouro tem nome convidativo. Foi no brechó Ki Barato que as fashionistas montaram seus looks. Funciona na Rua JJ Seabra, 53, Barroquinha, há quatro anos.  A casa é carregada de peças e difícil é saber o que levar. Os preços são atrativos e começam em R$5. A mercadoria mais cara  sai por R$ 30, como os  paletós.

“O nosso acervo conta com mais de  4 mil peças. E toda semana chegam, em média, uns 500  itens novos”, explica o proprietário, Alexandro Santana da Siva, que inclusive possui um outro brechó lá perto, com peças ainda mais baratas. Telefone: 71 98758-3095.

Os estudantes e amigos Alexsandro Rodrigues e Jade Leone batem ponto toda semana em rechós

Os garimpeiros

Amigos de fé, eles gostam de lacrar juntos no brechó. O estudante Alexsandro Rodrigues, de 22 anos, descolou um mix fresh e bem trendy: camisa estampada mais shortinho. Pagou R$ 10 pelo conjunto.

“Adoro itens oversized (gigantes) e qualquer peça com estética original, eu pego. Se for necessário, vale customizar ou adaptar”, conta. A amiga Jade Leone, 19, também fez um duo fashion: camisa estampada, shortinho e amarrou a bolsinha de lado como pochete. Pagou R$ 15. “Meu ponto fraco é o jeans de cintura alta. Já vou em busca disso. Além de procurar itens da década de 90”, revela.

Os looks de Alexsandro e de Jade saiu por R$ 10 cada, no brecho do Centro Espírita Paulo e Estevão

O garimpo

No brechó, localizado no Centro Espiríta Paulo e Estevão, todas as peças custam R$ 5. Quem vai à Rua das Ubaranas, 55, em Amaralina, não consegue sair de mãos vazias. “Todos os itens são oriundos de doações e o total da renda é utilizado para o financiamento das atividades assistenciais do centro”, explica a gerente administrativa, Solange Oliveira.

O brechó existe há dez anos e até promoções rolam por lá. Duas calças jeans femininas saem pelo preço de uma. “Recebemos roupas quase todos os dias e o que não é vendido aqui, doamos para outras instituições”, complementa. Telefone: 71 3248-8320.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas