Luís Felipe Manvailer vai a júri popular pela morte da esposa

brasil
17.05.2019, 23:11:00
Atualizado: 17.05.2019, 23:15:48
(Foto: Reprodução)

Luís Felipe Manvailer vai a júri popular pela morte da esposa

Caso foi no Paraná; ele alega que mulher pulou da janela em meio a briga

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.


A Justiça determinou que Luís Felipe Manvailer, acusado de ter matado a esposa, Tatiane Spitzner, vá ao Tribunal do Júri por homicídio qualificado e fraude processual. A decisão é desta sexta-feira (17). Ele foi absolvido pelo crime de cárcere privado pela juíza Paôla Gonçalves Mancini de Lima, da Comarca de Guarapuava. Ele teve a prisão preventiva mantida. 

O Ministério Público do Paraná acusou Manvailer de homicídio qualificado por motivo torpe, asfixia mecânica, difultar defesa da vítima e feminicídio. A denúncia ainda o acusada de fraude processual e cárcere privado. 

Para a juíza, Manvailer não cometeu o cárcere, já que as imagens de câmera de segurança mostram que "não houve intenção de cerceamento da liberdade de locmoção de Tatiane (...) mas sim intenção de reter a vítima por pouco tempo e contra sua vontade para que subisse ao apartamento". 

A ação, destaca a juíza, durou pouco mais de um minuto. Uma testemunha ouvida contou que Manvailer chegou a falar "saia daqui" para a mulher durante a briga. Além disso, a testemunha também ouviu Tatiane pedir o celular do réu, o que "comprova que ela queria estar ali", para a juíza. 

A sentença de pronúncia entende que há indícios de que Manvailer matou Tatiane. O casal teria brigado porque a vítima queria o celular do suspeito, o que teria gerado uma reação "desproporcional", diz a juíza. Depois disso, teria havido a morte por esganadura. Já o feminicídio entra por ser um crime que envolve violência doméstica. Por isso, a Justiça aceitou as qualificadoras propostas - motivo fútil, asfixia, meio cruel, recurso que impossibilitou defesa e feminicídio. 

A juíza também diz que há indícios de fraude processual, já que Manvailer foi filmado limpando o sangue do elevador do prédio. Além disso, ele também retirou o corpo de Tatiane após a queda, levando de volta para o apartamento do casal. Além das câmeras, há o depoimento de uma testemunha para fortalecer essa acusação.

As gravações mostram Manvailer buscando o corpo da mulher e subindo com ele. Depois, ele reaparece com outra roupa, limpando o elevador. Isso, diz a decisão, traz a suspeita de que o réu teve "intenção de prejudicar as investigações, pois não ficou devidamente esclarecido nos autos qual seria o motivo do resgate do corpo obviamente sem vida da vítima".

Lados
Os defensores de Manvailer afirmam que a inocência do réu vai ficar demonstrada. A absolvição de Manvailer do crime de cárcere privado afasta "qualquer fato ventilado pela acusação" antes do casal entrar no apartamento, dizem.

Já o advogado que representa a família da vítima diz que a decisão é justa, exceto na absolvição, já que há "indícios veementes do crime de cárcere privado, os quais devem ser analisados pelo júri".

Crime
A advogada Tatiane Spitzner foi achada morta em 22 de julho do ano passado, no apartamento em que morava com o marido. Naquela madrugada, a Polícia Militar recebeu um alerta de que uma mulher tinha pulado ou caído na calçada. Quando os PMs chegaram, não encontraram mais o corpo e testemunhas contaram que um homem o levou para dentro do prédio. Foi quando Tatiane foi achada já sem vida.

Imagens de segurança mostram quando Manvailer agrediu Tatiane na garagem e também no elevador do prédio. Depois, ele aparece subindo o elevador com a mulher no colo. Em outra imagem, ele limpa os vestígios de sangue. 

O suspeito fugiu no dia do crime, mas foi preso horas depois ao se envolver em um acidente na BR-277, no oeste do Paraná, com o carro da vítima. Ele sempre negou ter matado Tatiane, alegando que a esposa pulou da janela durante a briga do casal. Ele disse que bateu o carro porque não conseguia tirar a imagem do suicídio de Tatiane da mente. Para a polícia, Manvailer buscava fugir para o Paraguai quando sofreu o acidente e foi preso.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/morre-aos-85-anos-atriz-maria-alice-vergueiro-do-meme-tapa-na-pantera/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/manifestantes-ateiam-fogo-em-onibus-na-paralela-veja-video/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/rodamos-na-nova-versao-da-ranger-a-storm/
Em vídeo, jornalista automotivo analisa a cabine dupla diesel
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/idoso-de-81-anos-e-o-100o-paciente-com-covid-19-a-ter-alta-no-hospital-portugues/
Unidade comemorou liberação do homem, que deu entrada há seis dias com 50% do pulmão comprometido
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/depois-de-um-susto-targino-se-prepara-para-cantar/
Músico sofreu grave acidente de carro, mas escapou ileso e agora se prepara para fazer lives
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/sao-joao-sera-comemorado-com-maratona-de-lives-promovidas-pelo-correio/
Serão seis apresentações de bandas e cantores durante o projeto, que arrecadará doações
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/junho-chegou-correio-promove-lives-para-comemorar-o-sao-joao/
Apresentações acontecem sempre às sextas e sábados de junho, às 19h
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/editorial-fotografado-a-distancia-une-tres-paises-na-quarentena/
O ensaio foi realizado pela plataforma Zoom, usando celular
Ler Mais