Luta entre Mayweather e japonês acontecerá, mas como exibição

esportes
17.11.2018, 17:26:09

Luta entre Mayweather e japonês acontecerá, mas como exibição

Organização do Rizin garantiu combate, com regras do boxe

Após negar publicamente que participaria de uma exibição no fim do ano, Floyd Mayweather deve realmente voltar ao ringue no dia 31 de dezembro. Ao menos foi o que garantiu o japonês Nobuyuki Sakakibara, responsável pela organização do confronto entre o americano e o japonês Tenshin Nasukawa, astro do kickboxing em seu país.

Neste sábado (17), Sakakibara disse que houve apenas um mal-entendido com Mayweather, de 41 anos, no início de novembro. Na ocasião, o pugilista aposentado participou de evento ao lado de Nasukawa, concedeu entrevista e até posou para fotos com o japonês, numa divulgação da luta marcada para 31 de dezembro, no subúrbio de Tóquio.

Horas depois, já em solo americano, ele recuou e disse que não haveria luta porque o acordo entre as partes não atendia as suas demandas. Suas declarações causaram constrangimento entre os envolvidos. Mas não deve impedir a realização do confronto, segundo o organizador da exibição. 

Voltando dos EUA, onde esteve em reuniões com Mayweather, Sakakibara assegurou a realização da luta. E disse que nada mudou em relação ao que foi acordado inicialmente. Ou seja, haverá confronto, apenas com golpes de boxe, sem o uso das pernas, e com possibilidade de nocaute. Mas o resultado da luta não entrará para o retrospecto oficial dos oponentes.

Outros detalhes, afirmou o japonês, ainda estão sendo negociados Rumores na imprensa americana apontavam para uma bolsa de até US$ 88 milhões (cerca de R$ 331 milhões). "Não queremos que as pessoas pensem que eles vão lutar sem maior interesse", declarou Sakakibara.

Do outro lado, Mayweather confirmou a exibição e garnatiu que não se trata de uma retorno aos ringues. Ele permanece aposentado. "Vai ser só uma pequena exibição de boxe. Sem chutes, nenhum. Vou me movimentar com o cara por nove minutos, e vai ser a exibição mais bem paga da história", disse ao site TMZ. 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas