Mãe de meninos mortos em incêndio no Espírito Santo é presa

brasil
20.06.2018, 13:02:20
(Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Mãe de meninos mortos em incêndio no Espírito Santo é presa

O marido dela, o pastor George Alves, está preso por estuprar, agredir e colocar fogo no filho e no enteado vivos

Juliana Pereira Sales Alves é a mãe das duas crianças que foram mortas em um incêndio, em Linhares, interior do Espírito Santo, no dia 21 de abril. Depois de seu marido, o pastor George Alves, ter sido preso temporariamente desde o dia 28 de abril, foi a vez de Juliana. A mãe foi presa em Teófilo Otoni (MG), na madrugada desta quarta-feira (20). 

George Alves foi indiciado por duplo homicídio triplamente qualificado, duplo estupro de vulneráveis e por colocar fogo no filho e no enteado vivos. O mandado de prisão preventiva por homicídio qualificado contra a mãe, que inicialmente a polícia acreditou não estar envolvida no crime, foi expedido pela Justiça de Linhares na segunda-feira (18). A suspeita é que ela tenha dado suporte ao marido nos crimes. 

No dia do incêndio, a mãe alegou estar participando de um congresso em Minas Gerais com o filho mais novo do casal, o que não se comprovou ser uma verdade.

O Ministério Público do Espiríto Santo informou, por meio de uma nota, que pediu a prisão preventiva de Juliana e George Alves, por tempo indeterminado, pelos crimes de duplo homicídio, estupro de vulneráveis e fraude processual. O pastor ainda deverá responder pelo crime de torturas.

Segundo a polícia, Juliana estava escondida na casa de um pastor que é advogado da família. No momento da prisão, ela estava com o filho de 1 ano e um mês. A criança inicialmente foi encaminhada para o Conselho Tutelar e depois ficou sob os cuidados da mulher do pastor e advogado da família. 

Juliana continua na delegacia de Teófilo Otoni e deverá ser encaminhada para o presídio de Linhares até o fim da tarde desta quarta. 
 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas