Maiara e Maraisa vão à Justiça contra charge em que aparecem como nazistas

em alta
21.01.2020, 20:41:00
Atualizado: 21.01.2020, 20:42:34
(Divulgação/Gshow)

Maiara e Maraisa vão à Justiça contra charge em que aparecem como nazistas

'Agressão às cantoras', diz nota das sertanejas; jornal pediu desculpas e retirou ilustração

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A dupla sertaneja Maiara e Maraisa disse que vai tomar medidas jurídicas contra uma coluna publicada pela Folha de S. Paulo nesta terça-feira (21) que trazia um cartum mostrando uma delas usando uma braçadeira com a suástica nazista.

O texto "Silêncio sobre Roberto Alvim reinou entre o pessoal do axé, do sertanejo e do pagode", de Anderson França, questionava a falta de posicionamento de vários artistas famosos no caso que levou à exoneração de Alvim. Ele usou trechos do ministro nazista Joseph Goebbels em um pronunciamento anunciando uma premiação artística com teor ultranacionalista.

Na nota divulgada, as cantoras dizem que "associar a dupla ao nazismo é uma grande irresponsabilidade e uma agressão às cantoras que repudiam toda e qualquer atitude que remeta a essa época tão sombria da história". O cartum usado na coluna é do próprio autor do texto.

Maraisa chegou a repostar comentários de fãs que criticaram a coluna no stories, mas na nota ela e a irmã pedem que os fãs "não alimentem o mal, não alimentem a mentira e mostrem que podemos respeitar o próximo".

Depois da nota divulgada pelas cantoras, a Folha de S. Paulo pediu desculpas e removeu a ilustração da coluna.

"A Folha pede desculpas à dupla Maiara e Maraisa pela ilustração de autoria de Anderson França publicada em artigo do colunista nesta terça (21). Não há na biografia da dupla nada que possa associá-la ao símbolo odioso que foi inserido. A ilustração já foi retirada do ar, em respeito à dupla e também por não coincidir com a orientação editorial do jornal", diz a nota do jornal. 

Silêncio
O texto de Anderson cobra mais posicionamento dos artistas populares do país. Além da dupla, são citados nominalmente Ivete Sangalo, Thiaguinho, Kefera e Whindersson Nunes.

O humorista usou o Twitter para comentar. "Eu não fico em rede social dizendo 'o fogo queima, 'a água molha', nem que 'NAZISMO É INADMISSÍVEL' POR QUE ISSO É ALGO UNÂNIME", escreveu.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas