Mais de 17 mil mulheres buscaram cursos de formação profissional do SENAI-BA em 2019

especiais patrocinados
07.03.2020, 06:00:00
Aula prática no SENAI-BA (foto: divulgação)
Estúdio Correio -

Mais de 17 mil mulheres buscaram cursos de formação profissional do SENAI-BA em 2019

É cada vez maior a procura feminina por vagas em áreas historicamente masculinas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Há dois anos e quatro meses, todos os dias Jamile Nascimento, 36 anos, acorda, veste a farda e sai para trabalhar. Depois de uma década  atuando como eletricista em empreiteiras, percebeu que poderia evoluir na profissão e fez o curso de Rede Distribuição (RD) do SENAI-BA. Dois meses depois, conquistou na Coelba o posto de trabalho que almejava. “Escolhi pelo fato de já estar na área e para mim foi uma evolução, pois além de conhecimento técnico adquirido, consegui uma vaga em uma área majoritariamente masculina”, avalia.

Só no ano passado, 17 mil mulheres se matricularam em 2019, em cursos de formação profissional do SENAI-BA. A instituição tem registrado, nos últimos três anos, um aumento da procura de mulheres por cursos. Nos de qualificação profissional, mais de 40% dos alunos são mulheres. Já nos técnicos, esse percentual é de 20%.

A gerente de Educação Profissional do SENAI-BA, Patrícia Evangelista, destaca que esse percentual historicamente era menor e, desde 2017, vem apresentando um aumento. “Como os nossos cursos são voltados para o setor industrial, e as pessoas ainda associam este universo ao público masculino, mostra que as mulheres já estão ocupando este espaço”, acredita.

Mesmo com essa evolução, o caminho a ser trilhado ainda não é fácil. “Ainda existe preconceito e não vai deixar de existir, infelizmente. Piadinha, machismo, inclusive por parte de outras mulheres, mas nada que não consigamos superar. Já teve dia em que cheguei em casa chorando, com vontade parar com tudo, mas depois, no outro dia, acordo e digo pra mim mesma: estou indo vencer. A gente consegue superar com força, garra e determinação”, revela Jamile. 

Patrícia Evangelista também superou barreira na profissão que escolheu. “Eu sou engenheira civil, atuo em cargo de liderança e também tive que quebrar barreiras e superar obstáculos e preconceitos. No mundo da construção civil, um setor caracteristicamente masculino, tive que me posicionar no mercado de trabalho, me dedicando e demonstrando que a mulher tem seu potencial, suas competências desenvolvidas e que ela, de fato, pode ter um desempenho espetacular em qualquer função que quiser”, afirma. 

A gerente de Educação Profissional do SENAI-BA, Patrícia Evangelista  (Foto: João Alvarez-Coperphoto-Sistema FIEB-2

“As mulheres ocupam vários papeis na sua vida: esposa, mãe, mas no profissional ainda existe um certo preconceito, mas eu percebo que o movimento das empresas de mais aceitação pelo fato da mulher estar se preparando para novas ocupações no mercado de trabalho, pelo fato de ser bastante dedicada, mais detalhista, observadora, organizada. Existe uma série de competências sócioemocionais que são características do perfil feminino e que têm gerado um diferencial para elas no mercado de trabalho”, avalia Patrícia. 

“As próprias empresas vêm reconhecendo o papel e a competência da mulher nessas ocupações, inclusive promovendo programas voltados para a formação de mulheres em ocupações historicamente masculinas. Então, eu fico otimista de que esse movimento hoje é muito mais positivo de aceitação da mulher na indústria em contrapartida ainda aos preconceitos existentes”, completa a executiva, que atua há 22 anos no ramo da educação. 

Iniciativas
Ao longo dos anos, o SENAI-BA vem fechando parcerias em programas de capacitação voltados para mulheres que ajudam a contribuir para essa nova realidade. Um deles é o Marias na Construção, que tem a Prefeitura de Salvador como parceira, através da Secretaria de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), e que oferece cursos de qualificação profissional na área da construção civil para mulheres da capital baiana. 

Em 2019, a instituição também foi parceira no projeto Escola de Eletricistas para Mulheres, uma iniciativa da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba), que oferece curso gratuito de capacitação em Redes de Distribuição de Energia Elétrica.

Nova geração
O caminho aberto por projetos como estes e por exemplos como o de Patrícia e Jamile vem sendo trilhado por mulheres que estão entrando agora no mercado de trabalho, como a feirense Raphaela Solia, 20, que fez o curso Técnico em Mecânica no SENAI-BA. “Faço Engenharia Mecânica na UNEF e sentia a necessidade de ter uma vivência prática para minha formação curricular, foi aí que me indicaram o SENAI”, explica.

Em fevereiro do ano passado, a estudante participou de um processo seletivo de estágio e conseguiu uma vaga próprio SENAI. “O conselho que dou para as mulheres que querem mudar suas vidas é o de buscar fazer o que gosta, independentemente da opinião dos outros, da área profissional que for, pois você deve ser por você e para você”. Confiante em suas escolhas, Raphaela criou o perfil no Instagram @mecanicafeminina, no qual mostra sua trajetória profissional.

Aos 25 anos, Crislane Klinsmann também não titubeou ao buscar algo que lhe permitisse trabalhar em qualquer setor de uma empresa. Sua escolha foi o curso de Logística do SENAI-BA. “A formação do curso técnico me auxiliou a entrar no mercado de trabalho. Quando estava finalizando o curso, surgiu uma oportunidade de trabalho na área de transporte, justamente a que mais me identifiquei durante as aulas”, explica.

Crislane destaca que o aprendizado em sala a ajudou a superar as possíveis barreiras por ser mulher. “Hoje trabalho num ramo que a maioria é masculina, mas com dedicação e a capacitação estou conquistando o meu espaço. Digo sempre às minhas professoras Alane e Bárbara que graças aos ensinamentos nas aulas, minha rotina de trabalho tem sido cada vez mais fácil, pois tudo que vi, utilizo no dia a dia", revela.

"O conselho que deixo para as mulheres é que, independentemente de idade, se qualifiquem. A qualificação é uma porta que nos permite acesso ao mercado de trabalho. Sem ela eu não teria conseguido uma oportunidade”, reforça Crislane.

Cursos 
Atualmente, o SENAI-BA oferece cursos em diferentes modalidades, como os técnicos, de aprendizagem industrial e de curta duração, tanto em Salvador como em outras cidades do interior baiano.

Os técnicos têm tempo médio de formação de dois anos, garantindo um acesso mais rápido e qualificado ao mercado de trabalho. “Além deste ponto, ainda podem ser citadas uma boa remuneração inicial, demanda reprimida de diversos segmentos da indústria por profissionais com formação técnica, redução no risco desemprego e maior competitividade na disputa por uma vaga no mercado de trabalho”, destaca Patrícia.

Os cursos de aprendizagem industrial pedem candidatos mais jovens, com faixas etárias de 14 a 21 anos ou de 18 a 21 anos, a depender da escolha. Os aprovados no processo seletivo podem ser contratados como aprendizes pelas indústrias. Conforme determina a legislação, os alunos com contratos de aprendizagem cumprirão ainda uma etapa prática na empresa por uma carga horária igual ou maior que à fase escolar do SENAI.

A terceira modalidade, de curta duração, têm o objetivo de despertar o interesse por alguma ocupação profissional ou especialização na carreira. Para fazer um Curso de Curta Duração não é necessário realizar processo seletivo. Eles são destinados a homens e mulheres que queiram se profissionalizar. Basta escolher o curso, se dirigir à unidade e realizar a matrícula. Todos são certificados. Para informações sobre os pré-requisitos de cada curso, é necessário consultar o site do SENAI. 

  • Cursos de curta duração com inscrições abertas: Almoxarife, Cerveja Artesanal Homebrewer, Controlador Lógico Programável – CLP, Eletricista de Redes de Distribuição de Energia Elétrica, Excel Avançado, Gerenciamento de projetos. Mecânico de Manutenção em Motocicleta, Noções Básicas de Instalações Elétricas Prediais, Operação de Caminhão Guindauto, Operação de Empilhadeira à Combustão, Operação de Empilhadeira Elétrica, Segurança em Eletricidade – NR 10 – Básico, Segurança Em eletricidade – NR 10 – Básico – Reciclagem, Segurança em Eletricidade – NR 10 – SEP, Segurança em Eletricidade – NR 10 – SEP – Reciclagem, Segurança Trabalho em Altura para Redes Elétricas – NR 35 e Treinamento Trabalho em Altura - NR 35.
  • Municípios que estão ofertando os cursos: Alagoinhas, Barreiras, Camaçari, Candeias, Feira de Santana, Ilhéus, Jacobina, Jequié, Juazeiro, Lauro de Freitas, Luís Eduardo Magalhães, Salvador (Cimatec e Dendezeiros), Senhor do Bonfim, Serrinha, Simões Filho, Vitória da Conquista.

O Estúdio Correio produz conteúdo sob medida para marcas, em diferentes plataformas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas