Medina e Italo Ferreira confirmam vaga nos Jogos de Tóquio-2020

esportes
11.12.2019, 17:55:04
Atualizado: 11.12.2019, 17:59:46
(Foto: Cestari/WSL)

Medina e Italo Ferreira confirmam vaga nos Jogos de Tóquio-2020

Filipe Toledo caiu no round 3 da última etapa do Mundial e ficou de fora da Olimpíada

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Brasil já tem definidos seus quatro representantes no surfe para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Durante a disputa da etapa de Pipeline do Circuito Mundial, no Havaí, Italo Ferreira e Gabriel Medina garantiram sua vaga após a eliminação de Filipe Toledo nesta quarta-feira (11). No feminino, Silvana Lima e Tatiana Weston-Webb já haviam confirmado suas vagas.

Italo disputou a primeira bateria do dia contra o também brasileiro Jadson André. Ganhou por 8,53 a 7,20 e passou para as oitavas de final. "Tentei pegar as melhores ondas, o mar estava complicado, mas cada bateria é uma história e vamos seguir em frente", afirmou o surfista, que também está firme na briga por seu primeiro título mundial.

Como Filipinho era, entre os três atletas nacionais na briga pelo título, o de pior colocação geral, ele sabia que não podia perder sua bateria, fosse para continuar vivo em busca do troféu de campeão, fosse para se manter na corrida olímpica. Mas ele perdeu para Ricardo Christie, da Nova Zelândia, por 11,04 a 9,84, e acabou eliminado da etapa.

No feminino, Tatiana Weston-Webb foi a primeira brasileira a carimbar seu passaporte para Tóquio. "Poucas atletas na vida têm a chance de ganhar uma medalha de ouro olímpica. É um título gigante, sempre foi meu sonho e quero conquistá-lo. Seria incrível", comentou a surfista de 23 anos. "No tipo de onda do Japão, tudo pode acontecer. Vou treinar nesse tipo de onda para melhorar e estar pronta", avisou.

A experiente Silvana Lima, por sua vez, sabe que tem condições de coroar sua carreira com um pódio olímpico. "Eu sempre pensava em um dia disputar os Jogos Olímpicos e agora esse sonho se tornou realidade. Estou muito feliz em poder ter a chance de fazer isso pelo meu país, pela minha família, meus patrocinadores. Eu estarei lá no Japão", disse a atleta de 35 anos.

Neste ano, as duas disputaram os Isa Games, em Miyazaki, e chegaram longe na competição no Japão. Lá, conseguiram sentir melhor as ondas, que não são tão grandes como as que estão acostumadas a enfrentar no Circuito Mundial. Silvana ficou com a medalha de prata e Tati acabou caindo na última fase, terminando na quinta posição.

Na mesma competição, só que no masculino, os brasileiros brilharam e chegaram bem longe no evento. Italo ficou com a medalha de ouro, Medina foi bronze e Filipinho acabou chegando perto do pódio, mas acabou desistindo da competição quando ainda tinha chances de medalha por causa de uma dor nas costas.

Os resultados dos atletas nacionais, tanto no Isa Games quanto no Circuito Mundial de Surfe, mostram que o Brasil terá ótimos representantes nos Jogos de Tóquio e que brigarão por medalhas na praia de Chiba, onde será realizada a competição. Vale lembrar que esta é a estreia do surfe no programa olímpico.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas