Menos manicure e nada de barba e bigode; salões e barbearias tem novas regras

coronavírus
06.08.2020, 06:00:00
Higienização do espaço do salão já foi feito (Divulgação/Nana Beleza e Bem Estar)

Menos manicure e nada de barba e bigode; salões e barbearias tem novas regras

Confiante, empresária decide inaugurar salão de beleza no primeiro dia de retomada

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Por questões de segurança, o costume de ir ao salão de beleza e barbearias será retomado associado a novas regras: uso de máscara, manter o distanciamento com outros clientes e não levar acompanhante são alguns dos novos hábitos. O atendimento será individual e com hora marcada e o número de profissionais será reduzido para 30% do que era antes da pandemia. É vedado utilizar os serviços que precisem retirar a máscara. Fazer a barba ou se maquiar, então, está fora de cogitação.  

Tudo isso pode entrar em prática já na segunda-feira (10), se a prefeitura de Salvador confirmar que a cidade está na segunda fase da retomada das atividades econômicas. O protocolo dessa nova etapa foi divulgado nesta quarta-feira, 05, pelo prefeito ACM Neto. Segundo a Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz), Salvador possui 8.365 salões de beleza e todos eles, para retomar o funcionamento, terão de seguir as normas.

Quem trabalha na área diz já estar preparado para todas essas mudanças. “São quase cinco meses parados. Passamos todo esse período preparando o espaço para esse momento”, disse a dona do salão Sá Marina, Léa Vasconcelos.  

Mesmo com as mudanças, Léa está feliz em poder voltar ao trabalho. “Agora vamos ter uma renda. Antes era nada. Ainda que um ou outro profissional atendesse em casa, o rendimento é infinitamente menor do que antes. Esse é o primeiro passo para retornarmos a uma normalidade”, explicou.

Na prática, para os consumidores, as mudanças serão perceptíveis:

“Vai mudar muito, pois não vamos mais fazer vários serviços ao mesmo tempo em uma cliente. Normalmente, enquanto um profissional cuidava do cabelo, outra estava na mão e tinha outra já no pé. Se isso acontecer, cria uma certa aglomeração naquele espaço, o que não é recomendado”, explicou a empresária Rosana Veloso, dona do salão Nana Beleza e Bem Estar.   

Em cerca de 20 anos de carreira, Rosana não tinha presenciado uma crise econômica como a vivida agora, por causa da pandemia do novo coronavírus. Mesmo assim, ela vai inaugurar a segunda unidade do seu empreendimento assim que Salvador entrar oficialmente na segunda fase de retomada das atividades.

“Vai ser um grande desafio, mas eu estou otimista. Conto com a confiança dos clientes na nossa marca”, disse.  

Tudo já está pronto na unidade do Horto Florestal do salão Nana (Foto: divulgação)

Essa nova unidade vai funcionar no Horto Florestal. A previsão de inauguração era em abril, mas a situação emergente em saúde pública vivida no Brasil modificou ou planos da empresária e de clientes. “Acreditamos muito que tudo isso vai passar e a situação econômica vai melhorar. Eu estou levando para o Horto uma marca. Já tem gente que me conhece, sabe da qualidade e isso traz credibilidade e esperança”, afirmou.  

Hábito 
Ir ao salão de beleza toda semana é um hábito que a advogada Michele Gonzalez, 39 anos, teve que suspender durante quase cinco meses, por causa da pandemia do novo coronavírus. Agora, com a possibilidade de reabertura do espaço, ela não vê a hora de voltar o velho costume.

“Vai ser um momento de alegria e relaxamento. Para melhorar a autoestima”, projetou.  

Michele se sente bem em frequentar o salão de beleza (Foto: arquivo pessoal)

Durante a pandemia, Michele comprou um pacote no salão de Rosana para fazer hidratação, escova, pé e mão por R$ 80. Por morar no Horto Florestal, ela pretende usar o serviço logo na primeira semana de abertura do empreendimento. Seu nome faz parte de uma lista de espera que é capaz de preencher vagas para 15 dias de atendimento.  

“Com a redução da quantidade de profissionais – apenas 30% do que era antes da pandemia - também reduzimos os serviços ofertados. Trabalhar por hora marcada é algo que reduz o faturamento. Existem procedimentos que são demorados, como os que envolvem química, luzes e coloração. Alguns só poderão ser feitos duas vezes por dia, por exemplo. Tudo isso para obedecer às regras de segurança”, disse Rosana Veloso. 

Durante o período que ficou sem ir ao salão, a advogada teve que “dar um jeitinho” para manter a beleza. “Fui fazendo uma unha, dando uma lixadinha de vez em quando, as vezes conseguia que algum profissional viesse em casa, com todos os cuidados, mas muito pouco. Posso dizer a você que nós, mulheres, gostamos do ambiente do salão”, afirmou.  

A dona de casa Neuzari Costa, 56 anos, também passou por dificuldades nesse período até o momento que decidiu cortar o próprio cabelo.

“Mas foram só as pontas, pouca coisa. Eu não tenho coragem de voltar agora a frequentar salão. Eu gostava de ir para conversar, levava lanche para as amigas, dava risada. Sem esse clima, qual é a graça? A gente tem que aprender a viver com menos vaidade também”, defendeu.  

Os salões não poderão mais servir água, café ou qualquer “mimo” para os clientes, como era de costume. “Pedimos que a cliente leve a sua garrafinha. Se não, nós mesmos forneceremos uma garrafa de água para ela usar e levar para casa, como algo individual. Não poderemos ter copo, xícara e objetos que podem ser compartilhados. Isso traz segurança”, explicou Léa Vasconcelos.    

Equipamentos de proteção foram adquiridos para os clentes do salão Sá Marina (Foto: divulgação)

Para o infectologista do Hospital Instituto Couto Maia, Fabio Amorim, esse retorno deve ser cuidadoso. “Salão de beleza é um ambiente fechado, onde há pessoas dentro. A questão é garantir o isolamento social entre esses usuários. O desenho que a gente avalia é permitir a entrada por hora marcada, com higienização constante, o que está no protocolo. Se ele for seguido a risca, é possível torná-lo um ambiente mais seguro”, disse.  

O médico destaca ainda a importância da utilização dos equipamentos de segurança, como a máscara, que vai impedir a realização de algumas atividades, como a maquiagem.

“Ainda assim, permanece o risco nas práticas que necessitam de contato com as mucosas, como a manipulação da sobrancelha e depilação. São práticas que estão permitidas e que precisam de um maior cuidado e receio. As outras atividades permitidas não possuem tanto risco, se comparado”, afirmou.

Confira em detalhes as regras do protocolo dos salões de beleza e barbearias:
- o horário de funcionamento será de segunda-feira a sábado, das 10h às 19h;
- o limite de atendimento simultâneo será de 30% da capacidade máxima de clientes;
- é obrigatório afixar, em locais visíveis ao público próximos às entradas, os  protocolo geral e setorial e a capacidade máxima de pessoas simultâneas no estabelecimento;
- só serão permitidos acompanhantes para crianças, idosos e pessoas com deficiência;
- o ambiente deve ser higienizado com álcool a 70% antes da abertura do estabelecimento, incluindo bancadas, utensílios lavatórios, cadeiras e instrumentos de trabalho;
- sempre que possível, deverão ser designadas portas específicas para entrada e saída de clientes;
- os atendimentos devem ser realizados exclusivamente com agendamento para evitar filas e espera.
- o intervalo entre um cliente e outro deve ser de, no mínimo, 15 minutos para possibilitar a higienização do local;
- deve ser mantido o distanciamento de 1,5m entre bancadas, cadeiras e/ou macas de atendimento;
- sempre que possível deverão ser utilizadas divisórias confeccionadas com produto de fácil desinfecção para separação das bancadas de trabalho;
- não poderão ser realizados serviços de barba, maquiagem ou qualquer outro que implique na retirada da máscara por parte do cliente;
- só será permitida a realização de até 2 serviços simultâneos no mesmo cliente, devendo ser mantido o máximo distanciamento possível entre o cliente e os profissionais e entre os profissionais que estiverem realizando o atendimento;
- os estabelecimentos devem criar horários de trabalho diferenciados para os colaboradores para reduzir o número de trabalhadores simultâneos no local;
- deverá ser realizada a limpeza e desinfecção dos óculos ou da viseira de proteção após cada cliente;
- os trabalhadores não devem usar adornos tipo pulseiras, brincos, relógios e anéis, além de evitar unhas de gel e unhas compridas, que dificultam a higienização adequada das mãos;
- deverá ser mantida a distância de segurança também na zona de descanso do salão, onde também deverá ser disponibilizado álcool 70% para limpeza de todas as superfícies após o uso;
- cada funcionário deve ter o seu próprio equipamento como secador, escovas etc., e realizar a higienização e descontaminação destes equipamentos após cada uso;
- na realização de trabalhos com produtos mais agressivos por inalação/respiração deve ser usada máscara com nível de proteção superior à simples máscara cirúrgica;
- todos os utensílios não perfurantes devem ser lavados e desinfetados com álcool 70%;
- os utensílios perfurocortantes (alicates de unha, espátula de metal, navalhas, curetas para podologia etc.) deverão ser descartáveis ou de uso pessoal de cada cliente. Caso sejam usados utensílios perfurocortantes reutilizáveis, estes deverão ser, obrigatoriamente, lavados com água e sabão e, posteriormente, esterilizados em autoclaves após cada uso;
- não será permitido o compartilhamento de utensílios entre clientes. Os utensílios de uso múltiplo como pentes, tesouras, máquinas de cortar, etc., deverão ser desinfetados após cada uso, segundo as instruções do fabricante;
- fica proibida a comercialização e/ou degustação de alimentos e bebidas no local, inclusive água, café, cappuccino, chá, biscoitos, sequilhos e similares.
- poderá ser realizada a comercialização de produtos não alimentícios, desde que industrializados e na embalagem original do fabricante, devendo os mesmos ser devidamente higienizados com álcool 70% no momento da venda;
- os sanitários deverão dispor de pias, preferencialmente sem acionamento manual, com água, sabão, papel toalha e lixeira com tampa e acionamento por pedal, não sendo permitido o uso de secadores de mãos automáticos;
- próximo a todos os lavatórios, devem ser afixadas instruções sobre a correta higienização das mãos, inclusive quanto à forma correta de fechamento das torneiras de acionamento manual;
- jornais, revistas, catálogos e semelhantes devem ser retirados do local para evitar a contaminação cruzada;
- a periodicidade de higienização do espaço de trabalho utilizado (bancada, calhas de lavagem), do chão e das instalações sanitárias não deve ser superior a 2 horas;
- deverão ser mantidos na bancada apenas instrumentos e produtos a serem utilizados durante o atendimento;
- a roupa de trabalho, as toalhas e os penteadores não descartáveis, após terem sido usados por cada cliente, deverão ser lavados separadamente a temperatura superior a 60º C;
- nos procedimentos de depilação, serão utilizados espátulas e palitos descartáveis e a cera deverá ser acondicionada em outro recipiente próprio e descartada, em seguida, juntamente com aquela que foi utilizada;
- no caso do uso de pinças, se as mesmas não forem de propriedade do cliente, deverão ser esterilizadas em autoclave;
- os lençóis deverão descartáveis em todos os procedimentos, sendo trocados a cada atendimento;
- é obrigatório o uso de luvas descartáveis pelos profissionais de depilação, que devem ser trocadas a cada atendimento. 

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas