Mestre de capoeira acusado de atear fogo na mulher é solto

salvador
26.12.2011, 12:23:00
Atualizado: 26.12.2011, 13:03:45

Mestre de capoeira acusado de atear fogo na mulher é solto

Na tentativa de socorrer a mãe, o filho do casal sofreu queimaduras nos braços e pernas, e foi socorrido para o HGE

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Da Redação
redacao@correio24horas.com.br

O mestre de capoeira Roberto de Jesus dos Anjos, 49 anos, acusado de atear fogo na mulher deixou a carceragem da 2ª Delegacia Territorial (DT- Lapinha) na manhã desta segunda-feira (26). Segundo informações do Serviço de Investigação da 2ª DT, o juiz Cláudio Braga Pereira determinou a soltura de Roberto por entender que houve ilegalidade em sua prisão.

Em depoimento, Roberto afirmou que o suposto sumiço de R$ 150 foi motivo suficiente para que ele ateasse fogo na mulher, Antônia Brito Souza, 45 anos, na madrugada deste domingo (25), no bairro de Pau Miúdo. A mulher teve 70% do corpo queimado, após ter sido banhada com gasolina. Ela está internada no setor de queimados do Hospital Geral do Estado.

Na tentativa de socorrê-la, o filho do casal, Robenilson Souza dos Anjos, 23, sofreu queimaduras nos braços e pernas. Ele também está no HGE. Mestre King-Kong, como também é conhecido Roberto, foi preso em flagrante e passou a noite custodiado na 2ª Delegacia Territorial (Lapinha).

As chamas que tomavam o corpo de Antônia se espalharam por móveis, consumindo também toda a sala do imóvel. O fato aconteceu na casa onde o casal convivia há 30 anos, na Rua 3 de Novembro.

Segundo testemunhas, o mestre de capoeira pegou um galão de gasolina de dentro de um carro e depois usou fósforo para incendiar a vítima. Roberto foi preso por uma guarnição da Polícia Militar ainda no Pau Miúdo, após denúncia.

De acordo com policiais da 2ª DT, durante depoimento, Roberto alegou descontrole ao notar que havia sumido R$ 150 que tinha guardado em casa.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas