Meu escritório é na praia: ‘resort office’ no litoral nordestino vira tendência

bahia
06.06.2021, 16:00:00
A bancária paulista Fernanda Rodrigues escolheu a Bahia para passar uma temporada de trabalho com o marido (Foto: Acervo pessoal)

Meu escritório é na praia: ‘resort office’ no litoral nordestino vira tendência

Busca por bem-estar no teletrabalho aumentou procura por resort; veja 5 opções na Bahia

Trabalhar ao ar livre, tomando água de coco na sombra da árvore e com os pés no chão. Entre uma reunião e outra, um mergulho na piscina. A cena parece de filme, mas tem se tornado cada vez mais comum na pandemia, já que o home office virou uma realidade e a procura por bem-estar no ambiente de trabalho aumentou. É nesse contexto que o “resort office” ganha espaço.

A tendência tem sido observada desde o final do ano passado nos resorts do Nordeste, principalmente da Bahia e de Porto de Galinhas, aponta pesquisa recente da Booking realizada com mais de 20 mil pessoas. “Muitos estão se adequando para abrigar famílias em um lugar com estrutura para as crianças onde as pessoas possam trabalhar com tranquilidade”, destaca Marco Sobrinho, porta-voz e area manager da Booking.

A cena de alguém trabalhando com seu notebook no gramado por si só já é um convite. “As pessoas passavam e viam a estrutura. Então começaram a perguntar e as reservas aumentaram. Diria que do ano passado para cá dobraram”, destaca Flávio Monteiro, diretor de operações da Aviva, empresa que gerencia a Costa do Sauípe. Diante da demanda por um ambiente de trabalho ao ar livre, o complexo de hotéis lançou o Meu Escritório é na Praia.

A estrutura que pode ser usada mediante agendamento, inclui um kit escritório com copo ecológico, mouse pad e bateria externa.

“Está todo mundo 100% conectado 100% do tempo. A gente acha que isso é algo que dura pós-pandemia, então queremos melhorar ainda mais. Hoje em dia, o pessoal é sem escritório: o escritório é em qualquer lugar. Por que não trabalhar com bem-estar?”, indaga Flávio Monteiro.

'O resort office foi um respiro'
Cansados do aperto dentro do apartamento de 40 metros quadrados onde moram, no Centro de São Paulo, a bancária Fernanda Rodrigues, 30, e o gerente comercial Carlos Alberto Tedesco Junior, 38, escolheram um resort da Bahia para trabalhar remotamente. A alternativa ao home office surgiu quando os dois paulistas perceberam que a pandemia não acabaria tão rápido quanto desejavam.

“O ambiente fica limitado para duas pessoas quando a convivência passa a ser 24h por dia, ambos fazendo ligações ao mesmo tempo, sem local apropriado para sentar”, justifica Fernanda, que no início do ano passou uma curta temporada com o marido na Bahia. “O resort office foi um respiro”, agradeceu a bancária, que depois seguiu viagem para a Jordânia, país do Oriente Médio.

O casal de paulistas Fernanda Rodrigues e Carlos Alberto escolheu a Bahia para uma temporada de trabalho (Foto: Acervo pessoal)

A mudança foi sensível: o fast food em casa deu lugar a refeições mais saudáveis e o casal ganhou tempo para se exercitar antes do trabalho. Sem receio da conexão cair, passaram a trabalhar em um ambiente diferente, de frente para o mar. “Encontramos um lugar onde pudemos fazer da praia nosso escritório”, elogiou a bancária.

Apesar da conquista, Fernanda reconhece que o modelo ‘resort office’ ainda é pouco compreendido. “Mostrar nas redes sociais este formato de trabalho sugere a algumas pessoas a impressão de férias ou lazer, pois infelizmente existe a concepção de que trabalho tem que ser em escritório ou no máximo em casa. Quebramos esse paradigma ao mostrar que é possível”, pondera, orgulhosa.

Mudança é motivada por necessidade de conforto
Os filhos de folga ou em aula, os pais de férias ou a trabalho. Foram vários os motivos que elevaram as buscas pelo Grand Hotel Stella Maris Resorts & Conventions, segundo a diretora de marketing e vendas Viviane Pessoa. “Temos identificado um volume de pessoas que se hospedam para unir atividades de férias de um dos participantes da família com a necessidade de trabalho de outros”, explica.

Há também os hóspedes que simplesmente estão com vontade de mudar de ambiente e “buscam o hotel por conta do conforto, de uma necessidade de isolamento em relação à estrutura que têm no domicílio, ou até oferta de uma internet de melhor qualidade”, afirma. Essa mudança de realidade é constatada visualmente, explica Viviane, pelo crescente número de pessoas com seus notebooks nas áreas sociais ou do Business Center do hotel.

O que o hóspede valoriza mais é “cama, chuveiro e internet, não necessariamente nessa ordem”, acrescenta Flávio Monteiro, da Costa do Sauípe. Por isso, o investimento em conexão veio antes mesmo da pandemia. Com a consolidação do home office, houve uma adaptação das demandas com a possibilidade de contratação de bandas mais potentes para a realização de reuniões.

“Com a pandemia, tudo tem acontecido muito rápido e essas adequações são necessárias”, reforça Marco Sobrinho, da Booking. Diante dos hábitos de consumo revelados na pesquisa encomendada pela empresa de viagens, Marco afirma que “dinamismo é a palavra do momento” e é importante estar atento às tendências.

“Adeus ao horário fixo, essa adaptação ao home office tem grande probabilidade de se manter a médio e longo prazo”, aposta.

Diante da adequação do mundo, a indústria não podia ficar de fora, opina Marco. Flávio Monteiro concorda que esse é um novo momento para o setor e que é essencial acompanhar a mudança de comportamento da sociedade. “A gente tinha o seguimento Business, mas não existe mais essa separação. Você saía e voltava para outro departamento de sua vida que era o lazer, hoje não: você pode trabalhar de pés no chão”, resume.

Conheça 5 resorts para fazer de escritório:

Gran Hotel Stella Maris Resorts & Conventions

Localizado em Stella Maris, a 5km da Lagoa do Abaeté

- Diária: a partir de R$ 317 (exceto finais de semana e feriados; varia de acordo com a data)
@granhotelstellamaris

Catussaba Resort Hotel

Localizado na Alamedas da Praia, s/n, Itapuã, Salvador

- Diária: a partir de R$ 270 (exceto sexta e sábado; esgotado para o Dia dos Namorados) e R$ 295 (sexta e sábado)
@catussaba

Hotel Deville Prime

Rua Passárgada, s/n - Itapuã, Salvador

- Diária: a partir de R$ 360 (+ 15% de taxas na categoria luxo; varia de acordo com a data)

- Inclui cortesia de café no “room office” (máquina com 4 cápsulas), água, café da manhã e vista para o Farol de Itapuã
@devillesalvador

Costa do Sauípe

Complexo de hotéis localizado a 76 km de Salvador

- Diária: a partir de R$ 399
- Descontos em pacotes (15% para pacotes de domingo a quinta, exceto feriados, com uso do código OFFICE15)
- Inclui estrutura externa com um kit escritório (copo ecológico, mouse pad e bateria externa)
@costadosauipe

Tivoli Ecoresort Praia do Forte 
Avenida do Farol s/n, Praia do Forte (a 80 km de Salvador)

- Diária: a partir de R$ 1.449 (média para um adulto; exceto fins de semana e feriados; varia de acordo com a data)
- Inclui Wi-Fi no jardim para trabalhar sentado em um bangalô de frente para o mar
@Tivoliecoresort

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas