Morre bebê alvo de ataque que matou três na entrada de condomínio de luxo no Horto

salvador
15.12.2019, 09:26:00
Atualizado: 15.12.2019, 10:09:01
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Morre bebê alvo de ataque que matou três na entrada de condomínio de luxo no Horto

Os três adultos morreram no local e a criança ainda foi socorrida para o HGE, mas não resistiu

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Morre no Hospital Geral do Estado (HGE) o bebê de, aproximadamente, 1 ano, que foi baleado em um atentado que deixou mais dois homens e uma mulher mortos a tiros, no início da noite de sábado (15). O crime ocorreu no recuo da Avenida Juracy Magalhães Júnior, numa via marginal que dá acesso ao condomínio de luxo Vale do Loire, no Horto Florestal. A criança, que é do sexto masculino, ainda não teve a identidade revelada. Também não foi informado qual a relação dela com os adultos que foram mortos no local.

De acordo com o boletim de ocorrências da Secretaria de Segurança Pública (SSP), as outras vítimas são Ana Paula Ramos da Silva, 18 anos, Diógenes Rosário da Rocha, 29, e Suedson Oliveira Coelho, 38. Os corpos estão no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML). Esta foi a segunda chacina que ocorreu em Salvador em um intervalo de menos de 48 horas. Na sexta-feira (13), quatro motoristas de aplicativo de transporte foram assassinados na comunidade Paz e Vida, na Mata Escura.

Em nota, a Polícia Militar informou que policiais militares da 26ª Companhia Independente de Polícia Militar foram acionados por populares, por volta das 17h50, quando faziam rondas na região. Segundo a polícia, a informação era que homens armados em um veículo Fiat, modelo Linea, cor branca, desembarcaram no local retirando do carro uma mulher e dois homens e, em seguida, atingindo as vítimas com disparos de arma de fogo.

Ainda de acordo com a polícia, no local os policiais foram informados que entre as vítimas havia também uma criança, sexo masculino, aparentando 1 ano, ferida por disparo de arma de fogo. "O bebê chegou a ser socorrido para o HGE, mas não resistiu aos ferimentos. A PM isolou a área e acionou os agentes do Departamento de Polícia Técnica (DPT) para remoção", informa a PM, em nota. Após o crime, policiais realizaram rondas na região, mas ninguém foi preso. 

Suedson usava um colete de mototaxista e foi encontrado amordaçado. Além disso, ele e Diógenes também estavam com os braços amarrados. Atingida por disparo de arma de fogo na região do braço, a criança foi socorrida para o Hospital Geral do Estado (HGE), na Vasco da Gama. Mas ela acabou não resistindo. Não há informações ainda sobre qual a relação da criança com as outras vítimas.

No local do crime havia muitas marcas de sangue. O corpo do mototaxista estava caído no meio da rua, enquanto os das outras duas vítimas estavam na calçada. A área foi isolada. A polícia técnica esteve no local para fazer a perícia nos corpos, que foram levados para o Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML) onde passarão por necropsia.

O diretor do Sindicato dos Mototaxistas (Sindimoto), Gilson Damasceno, esteve no local do crime e informou que o mototaxista morto se chamava Suedison Oliveira Coelho. De acordo com ele, a vítima teria tirado a licença para trabalhar como mototaxista em 2018. 

A autoria e a motivação do crime serão investigadas pela Polícia Civil. O diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP)  da Polícia Civil, o delegado José Alves Bezerra Júnior, esteve no local do crime e informou que, por enquanto, não poderia divulgar informações sobre o caso, nem mesmo a identidade das vítimas.

Um policial que estava lá, que pediu para não ser identificado, disse que há a suspeita de que os homens mortos tenham sido sequestrados em Narandiba por três indivíduos em um carro branco e mortas no local. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas