Morre com coronavírus o jornalista Raphael Acioli, que trabalhou no Vídeo Show

em alta
11.01.2021, 10:15:02

Morre com coronavírus o jornalista Raphael Acioli, que trabalhou no Vídeo Show

Raphael Acioli também já atuou como produtor cultural de Safadão, Gabriel Diniz e Luan Santana

O jornalista e produtor cultural Raphael Acioli morreu, aos 36 anos, no final da tarde desse domingo, 10, após mais de um mês internado no Hospital Memorial São José, no Derby, área central do Recife. Com passagem em veículos de comunicação, Raphael chegou a ser estagiário da Rádio Jornal, do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC); a atuar na TV Globo (Rio de Janeiro), inclusive nos bastidores do Vídeo Show; e na Rede Transamérica. Trabalhou na Luan Promoções como produtor cultural de artistas como Wesley Safadão, Banda Calypso, Gabriel Diniz, Magníficos e Luan Santana.

No YouTube, ele criou o canal Programa Trago Verdades, que trazia entrevistas com personalidades influentes no meio artístico.

"Ele foi internado, no fim de novembro, devido a complicações de um problema renal crônico. Teve uma crise e foi para o Hospital Memorial São José. Fez o teste de Covid-19 no início do internamento e deu negativo. Precisou fazer diálise. Depois, na UTI (unidade de terapia intensiva), realizou novamente o exame, que positivou. Ficou recuperado da Covid-19 e foi para a UTI geral, mas não conseguiu restabelecer o quadro renal", disse a jornalista e amiga de Raphael, Hígia Oliveira.

O velório será realizado nesta segunda-feira, 11, a partir das 8h, no cemitério Morada da Paz, localizado no município de Paulista, no Grande Recife. O sepultamento será às 14h.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas