Motorista de Cristiano Araújo indica falha mecânica no carro, diz irmão

brasil
26.06.2015, 23:02:00
Atualizado: 26.06.2015, 23:11:26

Motorista de Cristiano Araújo indica falha mecânica no carro, diz irmão

Ele afirma que Ronaldo Miranda, o motorista, está chocado com tudo que aconteceu e com as mortes

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O irmão do motorista de Cristiano Araújo, Roberto Miranda, disse que o acidente que matou o músico e a namorada na última quarta foi causado por um problema no carro, uma Range Rover Sport deste ano. Ele afirma que Ronaldo Miranda, o motorista, está chocado com tudo que aconteceu e com as mortes.

Cristiano e o motorista Ronaldo (Foto: Reprodução/TV Anhaguera)

"Ele mesmo vai esclarecer o que houve, porque ele ainda está abalado. Para mim, ele contou, mas eu vou deixar ele explicar os detalhes. A gente sabe que foi falha do carro, foi falha mecânica, a gente sabe disso”, disse ele ao G1.

O irmão ainda disse que o motorista está bastante abalado com a morte de Cristiano. "Quando a gente toca nesse assunto, ele começa a chorar, a ficar emocionado, transtornado, o que é natural. Ele está muito abalado mesmo".

A Polícia Civil ainda está investigando as possíveis causas do acidente e também trabalha com as hipóteses de alta velocidade ou que o motorista tenha dormido ao volante. Cristiano e a namorada, Allana Moraes, 19 anos, estavam sentados atrás. Além do motorista, estava na frente um empresário de Cristiano, Victor Leonardo. Os dois se feriram, mas sobreviveram ao acidente. 

Acompanhe aqui todas as notícias sobre o acidente que matou o cantor e a namorada

Inicialmente, Ronaldo e Victor foram levados ao Hospital Municipal de Morrinhos, sendo de lá transferidos para o Instituto Ortopédico de Goiânia (IOG), de onde receberam alta na noite de ontem.

Polícia investiga
Outra investigação em andamento na Polícia Civil é para saber se a troca dos pneus da Range Rover envolvida no acidente pode ter influenciado no sucessivo capotamento que causou a morte de Araújo e da namorada, a estudante Allana Moraes, de 19, na madrugada de quarta-feira, 24, na BR-153, quando voltava de um show. Ele e a namorada estavam no banco traseiro e não usavam cinto de segurança.

Peritos reexaminaram o carro e verificaram sinais de solda nas rodas do carro, que tinha apenas dois meses de uso e é tido como um modelo seguro para viagens. Também confirmaram que os pneus originais eram de 18 polegadas de espessura e foram trocados por rodas com 22 polegadas, que têm espessura mais fina. Essa troca geralmente é feita para a customização de veículos.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas