Muçulmanos se preparam para Ramadã; início é nesta terça-feira

brasil
15.05.2018, 10:51:22
Atualizado: 15.05.2018, 11:06:22

Muçulmanos se preparam para Ramadã; início é nesta terça-feira

Um quarto da população mundial cumpre o jejum que é realizado no nono mês do calendário lunar islâmico

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Começa nesta terça-feira (15) o Ramadã, período de oração e jejum praticado pela comunidade muçulmana em todo mundo. O período vai até dia 14 de junho. 


“Neste período, nós, muçulmanos, passamos por um processo de renovação. Praticamos mais caridade e vivemos intensamente os valores da vida em família e de harmonia. Durante este período, além das cinco orações diárias que realizamos, lemos mais o Alcorão e quem está próximo à mesquita visita com mais frequência”, comenta o diretor executivo da Cdial Halal, Ali Saifi.  

Significado do Ramadã

O nome que se dá ao nono mês do calendário islâmico. Durante todo o mês quase 1,8 bilhão de islâmicos ao redor do mundo fazem jejum do nascer ao pôr do sol.

Os primeiros versículos do Alcorão foram revelados ao profeta Mohamad - que a paz e a benção de Deus esteja sobre ele - em 610 CE (Era Cristã).

Participantes

Todos os muçulmanos saudáveis e aqueles já alcançaram a puberdade são obrigados a jejuar. É, acima de tudo, um momento de extrema importância na vida dos jovens pois a autorização dos pais para praticar o jejum é o símbolo da passagem da juventude para a vida adulta.

Não é obrigatório para pessoas que estão doentes, idosos, crianças, gestantes ou que esteja passando por uma enfermidade que a impeça de jejuar.

O que acontece no período

Os fiéis se esforçam para realizar ações de bondade, ou seja, nenhum ato que possa ser considerado pecado. Os fieis acreditam que a prática ensina ter paciência, modéstia e espiritualidade.

Pilares do Islã

São cinco pilares do Islã que sustentam a vida dos muçulmanos.


  • Shahada: Testemunhar que não existe outra divindade a não ser Allah (Deus) e  Mohamad – que a paz e a benção de Deus esteja sobre ele - é seu profeta
  • Salah: Rezar cinco vezes ao dia voltado à Meca.
  • Zakat: É um imposto a ser pago aos necessitados
  • Saum: É o jejum durante o mês do Ramadã;
  • Haj: Aquele que tem condições físicas e financeiras devem fazer a peregrinação a Meca, pelo menos uma vez na vida

Fim do Ramadã 

É marcado por Eid ul Fir, um grande festival. A celebração começa assim que a lua nova do mês seguinte é avistada no céu. Durante o Eid, os muçulmanos celebram colocando suas melhores roupas, trocando presentes e passando o tempo com sua família enquanto degustam ceias especiais para a data.

Neste período, os muçulmanos devem contribuir com uma certa quantia, para que os mais necessitados possam celebrar a quebra do jejum.

As exportações brasileiras de alimentos aos 22 países da Liga Árabe devem crescer entre 10% a 15% em 2018, ante os US$ 9,94 bilhões negociados no ano passado.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas