Mulher é presa após jogar cerveja na cara de policial em Cuiabá; vídeo

em alta
13.10.2021, 10:34:00

Mulher é presa após jogar cerveja na cara de policial em Cuiabá; vídeo

Jornalista tem 22 ocorrências policiais contra ela

Uma mulher identificada como Nildes de Souza foi presa após jogar cerveja na cara de um policial militar nesta terça-feira (12), em Cuiabá. Imagens que circulam em redes sociais mostram o momento em que ela arremessa a bebida contra o oficial, que pula uma cerca e, com a ajuda de colegas, efetua a prisão.

“Eu sou federal, desgraçado. Eu sou federal”, grita Nildes, ao ser imobilizada. 

De acordo com o portal Metrópoles, o boletim de ocorrência do caso mostra que a Polícia Militar realizava patrulhamento na praça Popular quando a mulher jogou uma garrafa contra a viatura.

“Os policiais desceram do veículo para conversar com a suspeita, momento em que ela passou a desferir palavras de baixo calão contra os policiais e jogou a cerveja que estava no copo contra o rosto de um deles”, relata.

Ela foi autuada em flagrante por desacato e resistência à prisão e depois encaminhada para audiência de custódia da justiça.

Nildes de Souza tem 22 ocorrências policiais em seu desfavor, sobre preservação de direito, ameaça, lesão corporal, perturbação, atrito verbal, constrangimento ilegal, vias de fato e injúria real.

A mulher não é policial federal nem ex-esposa do policial militar. O caso foi entregue para a Polícia Judiciária Civil.

No Instagram, Nildes diz ser formada em jornalismo. Na mesma rede social, ela postou um vídeo, na segunda-feira (11), em que critica o cancelamento de um show pela “fiscalização de Cuiabá”.

“Simplesmente uma querida Juíza de Cuiabá embargou o evento, autorizado pelas autoridades de Cuiabá. Sem comentários…”, escreveu.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas