Mulher que encomendou morte de família por herança é presa

brasil
15.03.2017, 23:36:00
Atualizado: 15.03.2017, 23:36:48

Mulher que encomendou morte de família por herança é presa

Simone não aceitava dividir o dinheiro irmã adotada

Acusada de ser a mandante do assassinato da irmã, do cunhado e da sobrinha, de 9 anos, Simone Gonçalves Resende, de 46 anos, foi presa em Mimoso do Sul, no sul do Espírito Santo, e transferida, na manhã desta quarta-feira (15), para o Rio de Janeiro. Ela estava foragida desde fevereiro. Simone estava escondida no interior do Espírito Santo, na casa de um amigo, que é taxista e também foi preso por crime de favorecimento.

A mulher estava com os cabelos tingidos de preto, o que os investigadores consideram uma tentativa para dificultar ser reconhecida. Além dela e do taxista, outros três envolvidos estão presos, entre eles os filhos gêmeos da acusada, Matheus e Lucas Resende Kalil, presos em 23 de fevereiro.

O crime ocorreu em São Gonçalo, na Grande Rio, em 17 de fevereiro, vitimando a irmã e o cunhado de Simone, Soraya Gonçalves Resende, 38, e o advogado Wagner da Silva Salgado, 43, diretor da Ordem dos Advogados do Brasil, além da filha do casal, Giovanna Resende Salgado. Segundo a Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, as irmãs disputavam a herança deixada pelo pai, avaliada em R$ 7 milhões, o que inclui imóveis em Búzios, na Região dos Lagos, e um posto de gasolina.

Histórico
Segundo a investigação, Simone não aceitava dividir o dinheiro com Soraya, que era adotada. “Foi um crime cometido por ganância”, afirmou o delegado Fábio Barucke.  Simone foi ouvida ontem e transferida para o Complexo Penitenciário de Gericinó. Em depoimento, Matheus disse que acompanhou os assassinos contratados pela mãe até a porta do prédio em que a tia morava. Ele, então, teria liberado a entrada dos criminosos no apartamento da avó, do qual eles teriam pulado uma janela e disparado contra a família. Soraya e Giovanna morreram no local. Salgado chegou a ser socorrido e levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas