Não abuse da lei de trânsito: 5 hábitos que podem render multas

só se vê no correio
13.11.2021, 05:47:00
Estacionar a mais de 50 centímetros da calçada é considerado uma infração leve. Mas se o carro ficar a mais de 1 metro, vira uma infração grave (Foto: Antônio Meira Jr./ CORREIO)

Não abuse da lei de trânsito: 5 hábitos que podem render multas

Você pode estar cometendo infrações sem perceber e isso pode custar caro

Ter uma Carteira Nacional Habilitação (CNH) envolve muita responsabilidade e fazer parte do trânsito é mais complexo do que parece. Não basta estar com a documentação, sua e do carro em dia, e não ultrapassar os limites de velocidade. 

Hábitos simples podem se tornar multas desagradáveis e depois não adianta reclamar, pois elas estão previstas no Código Brasileiro de Trânsito (CTB).

1. USO DE LENTES CORRETORAS
Se você é míope, por exemplo, haverá uma sinalização na sua CNH. Quando o problema na visão é detectado, é apontado pelo exame médico e há uma sinalização na carteira. Assim, mesmo se você achar que é capaz de guiar sem óculos ou lentes de contato, estará sendo um risco para si e para os outros. 

Se parado em uma blitz o guarda poderá contestar e aplicar uma multa gravíssima, que custa R$ 293,47 e rende 7 pontos na CNH.

2. DIRIGIR COM APENAS UMA MÃO
Ocupar uma das mãos para se alimentar, beber ou fumar enquanto dirige não é permitido. Essa conduta é caracterizada como infração média e é tipificada no Inciso V do Artigo 252 do CTB. 

Ou seja: para se alimentar ou fumar e dirigir ao mesmo tempo, o condutor terá de deixar apenas uma das mãos no volante. É uma infração média (4 pontos) e custa R$ 130,16.

3. CELULAR: FALAR E MANUSEAR
Se você for flagrado por um agente de trânsito com o celular no ouvido estará cometendo uma infração média. Conforme estabelece o Inciso VI do Artigo 252 do CTB, terá que pagar R$ 130,16 e irá acumular 4 pontos na carteira.

Porém, caso o condutor seja flagrado manuseando o celular ou digitando uma mensagem ao volante, a multa é ainda maior, pois é enquadrada como infração gravíssima. As penalidades previstas são o pagamento de multa R$ 293,47, mais 7 pontos no prontuário.

E isso vale para qualquer situação, inclusive se você estiver parado na sinaleira, por exemplo. Para utilizar um smartphone, ou até mesmo manusear para inserir um endereço no GPS, é preciso estacionar o veículo.

4. PARAR LONGE DO MEIO FIO
A temida baliza para muitos condutores iniciantes vai além de um arranhão nas rodas. Se você estacionar longe estará cometendo uma infração leve, e se parar ainda mais longe ela se torna grave.

A regra está prevista no Artigo 181 do CTB. O inciso II diz: Estacionar o veículo afastado da guia da calçada (50 cm até 1m). Essa é leve, custa R$ 88,38 e rende 3 pontos.

O inciso III aponta que Estacionar o veículo afastado da guia da calçada (+1m). Neste caso é uma infração grave, que custa R$ 195,23 e agrega 5 pontos na CNH. Essa última ainda tem o agravante que prevê a remoção do veículo, o que pode se desdobrar em mais custos.

5. DIRIGIR COM O BRAÇO PARA FORA
Com a gasolina cara você pode deixar de usar o ar-condicionado e, com o calor, automaticamente pode colocar o braço para fora... Não é recomendável para a sua segurança e para o seu bolso.

Pelo gesto, você poderá ser enquadrado em uma infração média, prevista no Inciso I do Artigo 252 do CTB. 

Além das multas
Se, infelizmente, você for multado por alguma dessas ocorrências poderá até contestar, mas evite cometer as infrações. Algumas podem até parecer capricho das autoridades, mas há fundamentação.

O cigarro, por exemplo, além de ocupar uma mão pode cair dentro ou fora do carro e provocar um incêndio. Já dirigir com os vidros abertos pode te deixar susceptível a um assalto e até ocasionar um trauma maior em um acidente. Explico: se o carro capotar, seu braço poderá sair do limite da carroceria e sofrer mais danos do que se estivesse dentro do carro.

De acordo com um estudo do National Highway Traffic Safety Administration (Nhtsa), órgão que regula a segurança viária nos Estados Unidos, comer e falar com o telefone no ouvido dobram as chances de o motorista se envolver em um acidente. 

Enquanto ajustar os espelhos retrovisores com o veículo em movimento, algo que se deve fazer antes de sair com o carro, aumenta em 10 vezes.

Porém, nada supera o perigo de se digitar uma mensagem de texto ao volante. O Nhtsa aponta que as chances de se envolver em um acidente ao escrever no smartphone são 23 vezes maiores.

Em relação ao uso de lentes corretoras, você pode nem saber que precisa usar. Um estudo da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego revelou que quase um terço dos motoristas e motociclistas brasileiros, o equivalente a 20,7 milhões de pessoas, tem algum problema de visão e necessita de restrições na CNH por conta disso. 

A maior restrição é relativa ao uso de lentes corretivas (restrição de código A), com mais de 20 milhões de condutores que não podem dirigir ou pilotar se não estiverem fazendo uso de óculos ou lentes de contato. 

Em segundo lugar, com mais de 332 mil casos, constam as restrições associadas à visão monocular (código Z), atualmente excluída da Resolução do Contran que trata das restrições médicas. 

Em terceiro lugar, com aproximadamente 102 mil casos, estão os motoristas impedidos de dirigir após o pôr-do-sol (código U).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas