Não precisa ser difícil: professores dão dicas para quem tem dificuldade nas ciências naturais

enem
14.10.2020, 05:05:00
Atualizado: 14.10.2020, 11:51:47
(Arisson Marinho/CORREIO)

Não precisa ser difícil: professores dão dicas para quem tem dificuldade nas ciências naturais

Além do treino encontrar pontos de interesse e curiosidade nas matérias pode ajudar; prova será no dia 21 de janeiro

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Juntando três das matérias mais complexas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a prova de ciências naturais pode se transformar em um bicho de sete cabeças. Mas não precisa. A pedido do CORREIO, professores das disciplinas dão dicas de preparação para aqueles que  sentem dificuldade em química física e biologia. 

Além do estudo constante, procurar os assuntos que despertam mais curiosidade é uma forma de ajudar a lidar com o desafio das 45 questões que serão aplicadas no segundo dia de exame, em 21 de janeiro. Segundo os professores, apesar da prova ser elaborada para contar com 15 questões de cada uma das disciplinas, os assuntos se misturam muito e por isso contar com uma preparação abrangente pode ajudar. 

“A prova de naturais é muito abrangente, e bastante interessante, com matérias que se relacionam muito bem uma com a outra. O aluno precisa entender a prova como uma só, não como três matérias separadas e perceber que tudo   ajuda, atualidades, curiosidades, fatos do cotidiano”, explica o professor de física Caio Félix, que ensina no Colégio Sartre.

 Na hora da preparação, os professores costumam preparar o aluno a partir do conhecimento geral para os pontos específicos. Assim, mesmo aqueles que têm dificuldades conseguem formar um banco de informações. “Existem temáticas que são muito abrangentes, então o aluno pode se apropriar dessa coisa mais geral, de uma leitura de mundo que ajuda a chegar na prova com alguma carga de informação que vai ajudar a responder as questões”, detalha Luiz Amorim, professor de química dos colégios Isba e Portinari.

Tendo nas ciências naturais a sua maior dificuldade essa a estratégia do futuro psicólogo Caio Valadão, 17: “Muitas vezes, eu usei a internet pra buscar explicações mais concretas para assuntos que eu não conseguia entender na aula. Uma forma diferente de explicar acaba sempre ajudando”. Para ele, o apoio dos colegas também tem sido fundamental para que as matérias ‘entrem’ na cabeça.

 “As matérias de naturais sempre dependeram muito dos professores, da identificação com eles porque os assuntos sempre me pareceram mais complexos. Uma coisa que me ajudou muito foi estudar   com amigos. A companhia torna a matéria mais prazerosa, e até mais simples”, diz Valadão.

100% simulado
Que a estratégia de Caio é válida e pode ajudar não há dúvidas, mas os professores chamam atenção para um aspecto importante na hora de treinar e estudar através da resolução de questões. O aluno precisa também simular as condições que terá no dia da prova, principalmente, mas não exclusivamente, em relação ao tempo.

 “Simular a prova como ela vai ser na hora, em relação ao tempo, as condições, até o uso da máscara por exemplo. A resolução de questões precisa ser constante, mas esse simular também precisa acontecer. Porque o Enem não é uma prova com grandes dificuldades,  a maior dificuldade é a quantidade de questões. Então, o aluno precisa se preparar pra isso”, chama atenção Sérgio Magalhães, professor de biologia dos colégios Integral, Portinari, e do curso PontoMed. 

No que diz respeito ao tempo, os professores explicam que a média gasta em cada questão deve ser de três minutos, mas isso não deve prender o aluno. Segundo os mestres, existem questões que levam mais ou menos tempo que a média e o importante é que o estudante esteja treinado para perceber até quando insistir na mesma pergunta. “O aluno precisa ter o relógio como aliado e não como inimigo. O grande desafio da prova é o tempo. O aluno não pode perder muito tempo em uma questão que não saber fazer. Na primeira passada da prova que o aluno foque no que ele sabe, depois ele volta e no tempo que resta vai se debruçando nas questões  que deixou pra trás”, aconselha Amorim.

Outro ponto importante de simular é treinar o corpo e a mente para a maratona que, inevitavelmente, vai gerar cansaço no estudante. “O Enem é sim  uma maratona, é uma prova desgastante, sim. Por isso, é importante saber como lidar. É uma prova de conhecimento, mas é de resistência também. Então, o aluno precisa treinar para estar mais resistente ao cansaço. O aluno precisa se habituar a pensar cansado, esse acaba sendo o grande desafio do Enem”, explica Félix, que completa com outra habilidade que pode vir do treino.

 “O Enem é uma prova feita por uma banca fixa, que, inevitavelmente, repete o estilo de questões. Por isso, o treino é importante, para que o aluno consiga perceber a forma de fazer a prova, como ela é cobrada. Ele também consegue catalogar o que mais acerta, o que mais tem dificuldade e o que mais erra, para se guiar. Fazer as provas antigas vai moldando o pensamento, deixando o aluno mais tranquilo”, diz. 

O Revisão Enem 2020 é uma realização do Correio, com o patrocínio da UniFTC e o apoio da SAS

Saúde física e emocional  melhoram desempenho do aluno
Se toda preparação prévia é fundamental, os professores alertam que existem as técnicas que precisam ser observadas no dia da avaliação para ajudar, principalmente, aquele aluno com mais dificuldade. Mesmo ocupando a posição de liderança na sala, alguns professores seguem fazendo exames para sentir a dinâmica da prova  e poder ajudar da melhor maneira. “Faço o Enem todo ano justamente para saber ajudar melhor o aluno. É uma seleção,  tem questões difíceis, mas o aluno não pode se desesperar”, relata Caio Felix.

 Entre as estratégias, até as idas ao banheiro fazem diferença na hora do cansaço. “Esticar o corpo, fazer um alongamento, jogar uma água no rosto, atrás do pescoço, tudo isso ajuda depois de muito tempo de prova”, explica. No momento das avaliações, toda decisão tomada pelo aluno influencia no desempenho. É preciso escolher o que levar de alimento, estar atento para se manter hidratado. Cada um desses pontos contribui para que os alunos enfrentam da melhor maneira a maratona. 

“A prova do Enem começa 24 horas antes, Ele precisa dormir bem, ter se alimentado bem, desde o dia anterior. O aluno precisa ir para prova com uma sensação de bem estar, se cuidar na esfera física e emocional ”, ensina Luiz Amorim. 

Quem sente na pele o baque das provas já percebe a importância dessa outra preparação mesmo antes de chegar janeiro. “Não adianta dominar muito o conteúdo, mas estar estressado, ansioso. Por isso, eu sempre uso técnicas de meditação, de respiração, que ajudam no relaxamento e aumentam  o foco. Tudo para que eu possa fazer a prova de uma maneira mais tranquila e saudável”, conta o estudante Caio Valadão. 

O que mais cai

Levantamento feito pela SAS Plataforma Educacional levando em conta provas entre 2009 e 2019, Veja os cinco assuntos mais cobrados em cada uma das disciplinas da prova

Física

Mecânica - 91 itens (31,4%) 
Eletricidade e energia 72 itens  (24,8%) 
Ondulatória 55 itens (19,0%) 
Termologia 46 itens (15,9%) 
Óptica 26 itens (9,0%)

Quimica 

Físico-química 101 itens  (27,3%) 
Química geral 94 itens (25,4%) 
Química orgânica 70 itens (18,9%) 
Meio ambiente 40 itens (10,8%) 
Energia 26 itens (7,0%)

Biologia

Humanidade e ambiente 64 itens (17,3%) 
Citologia 46 itens (12,5%) 
Histologia e fisiologia 43 itens (11,7%) 
Biotecnologia 29 itens (7,9%)
Fundamentos da ecologia 28 itens (7,6%)

CORREIO traz fascículos para revisão
O CORREIO publica até o próximo dia 13 de janeiro, 17 fascículos especiais do 14º projeto Revisão Enem 2020. Na semana passada o tema foi  Matemática e suas tecnologias. Nesta semana o caderno traz questões de Ciências Naturais e suas tecnologias.  

Com simulados online, que são disponibilizados no site do jornal, os conteúdos contam com uma série de questões objetivas, realizadas pelo SAS Educação, para os estudantes testarem os seus conhecimentos nas disciplinas cobradas. 

“É um projeto pensado para facilitar a vida do estudante nessa reta final. Os conteúdos são desenvolvidos para abranger todas as 120 habilidades cobradas no Enem e os assuntos mais recorrentes nas provas, para que o aluno descubra uma forma dele se aproximar mais da realidade do exame,  além de disponibilizar as vídeoaulas com as resoluções para que o aluno também aprenda o conteúdo que ainda não sabe”, diz o professor Ademar Celedônio, diretor de Ensino e Inovações Educacionais no SAS Plataforma de Educação.

Além disso, sempre às quartas-feiras, o site Correio24horas conta com videoaulas.As aulas podem ser acessadas na íntegra no canal www.correio24horas.com.br/revisao

“Reunimos em um só lugar materiais inéditos de estudo que serão atualizados semanalmente e ficarão disponíveis para serem consultados a qualquer momento, do  computador ou celular. Toda quarta-feira, o estudante poderá ler conteúdos especiais, assistir videoaulas e realizar simulados para testar os seus conhecimentos”, diz Vanessa Araújo, coordenadora de projetos do CORREIO. 

*Com a orientação da chefe de reportagem Perla Riberio 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas