'Não sabia que ia conseguir', diz menina que venceu disputa contra adversária maior e mais velha

em alta
29.06.2022, 14:36:00
(Reprodução)

'Não sabia que ia conseguir', diz menina que venceu disputa contra adversária maior e mais velha

Na gravação, o pai da pequena se diverte com a diferença de altura das duas competidoras e decidiu transmitir a luta das duas em sua página de humor

Um vídeo de uma menininha de nove anos viralizou nas redes sociais na última semana após ela ganhar uma luta e levar a medalha de ouro para casa em uma disputa em Belo Horizonte contra uma competidora mais velha e mais alta.

Com menos de 1,40 de altura e 18 kg, Maria Clara Souza Pereira enfrentou uma competidora maior e de 11 anos de idade. Na gravação, publicada no dia 13 de junho, o pai da pequena se diverte com a diferença de altura das duas competidoras.

“A vida do jiujiteiro já começa difícil desde a infância. Pequena Raquel, contra grande Maria Clara. O encontro entre um edifício de seis andares e uma casinha de sapê", brincou o pai da menina, Henrique Dias.

"Se ela ganhar, Vinícius (o professor) infarta de vez. Ela queria lutar, perguntei sete vezes, todo mundo preocupado. Força, guerreira!”, narrou Henrique durante o vídeo. 

Em seu perfil no TikTok, o vídeo já foi visto quatro milhões de vezes e tem oito mil comentários sobre o feito da menina.

"Maria Clara luta desde os 7 anos, mas todas as lutinhas ela perdeu. Ela é bem pequenininha, as outras meninas da mesma faixa etária são maiores. Mas ela sempre lidou muito bem com a derrota. No dia 12 de junho, ela foi para o campeonato e a adversária era uma menina de 11 anos, mais alta. O pessoal do evento falou que não ia deixar lutar, mas autorizamos e a orientação era que, em caso de qualquer risco, a luta seria interrompida", contou Henrique em entrevista ao portal G1.

O pai conta que, após conhecer a adversária de Maria Clara, ele pensava que sua filha iria perder. Mas a menina conseguiu vencer a competidora. Além da medalha, Maria lembrou do prêmio prometido pelo professor, Vinícius Campos de Jesus, em caso de vitória: um açaí de sobremesa.

A garotinha conta ao site Bhaz que o gosto pela luta veio de sua mãe, que a apresentou ao jiu-jitsu. 

“Eu gostei de lutar quando minha mãe me ensinou o que era jiu-jitsu. Aí eu quis tentar fazer. Já faz dois anos que eu treino. Aí eu fiquei alegre porque eu ganhei dela [da competidora mais velha], eu não sabia que ia conseguir, porque ela era muito grande”, diz.

Assista:

Originalmente publicado em O Povo

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas