'Não seremos um time encolhido lá atrás', avisa Barbosinha

e.c. bahia
20.04.2019, 17:15:00
Atualizado: 20.04.2019, 17:20:30
Barbosinha promete Bahia de Feira ofensivo na decisão do Baiano (Bahia de Feira/Divulgação)

'Não seremos um time encolhido lá atrás', avisa Barbosinha

Com um desfalque, Bahia de Feira está pronto para a final do Baiano

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Sem temer, o Bahia de Feira vai em busca do bicampeonato estadual. No domingo (21), o representante do interior do estado encara o xará da capital, às 16h, na Fonte Nova, para decidir o título do Campeonato Baiano. "Não seremos um time encolhido lá atrás esperando o Bahia nos massacrar. Nós vamos entrar para jogar também", avisa o técnico Barbosinha.

Na avaliação do treinador, o adversário é o favorito a erguer a taça, o que serve de estratégia para o Tremendão. "Não temos nada a perder. O favoritismo é todo do Bahia. As pessoas vão ver o Bahia ser campeão. Em cima disso é a nossa proposta de jogo. Se nós perdermos o jogo, não deu mais do que o normal", afirmou.

Para Barbosinha, o psicológico dos atletas será decisivo na decisão da Fonte Nova. "Vamos jogar contra a força, o favoritismo e a Fonte Nova lotada. Esse jogo tem um jogo invisível que é o emocional. Tanto o nosso como o do Bahia vai estar lá em cima. Quem estiver com o emocional mais equilibrado vai vencer o jogo", disse o comandante do Bahia de Feira. 

A equipe feirense iniciou a concentração na quinta-feira (18) e viajou para Salvador nesse sábado (20). Como o primeiro jogo, disputado no Joia da Princesa, no último domingo (14), terminou empatado em 1x1, quem vencer em Salvador fica com a taça estadual. Em caso de novo empate, o título será decidido nos pênaltis. 

Barbosinha fará ao menos uma alteração no time. Expulso no jogo de ida, Bispo está suspenso. Ebinho ou Edimar brigam pela vaga. O técnico não revela quem será o substituto, mas explica as vantagens de escalar cada jogador. 

"Com o Ebinho eu ganho mais ofensividade, por dentro, e trago o Bruninho para fazer o segundo volante. Tenho mais força de ataque por dentro e tento ser mais ofensivo", pontuou. "Com o Edimar, eu não mexo muito na estrutura do time, perco a força da saída do Bispo, mas ganho a posse de bola do Edimar. Com o Edimar, o time fica com mais posse de bola", completou. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas