No Sudoeste baiano, município de Licínio de Almeida tem melhor resultado da Bahia no Ideb 2019 

minha bahia
17.09.2020, 05:00:00
Atualizado: 17.09.2020, 08:40:47
Escola Pingo de Gente foi a mais bem avaliada entre as cidades de Licínio de Almeida e tem melhor nota da Bahia (Divulgação)

No Sudoeste baiano, município de Licínio de Almeida tem melhor resultado da Bahia no Ideb 2019 

Com média de 7,3, cidade teve melhor nota entre estudantes do Ensino Fundamental I

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A cidade de Licínio de Almeida, no Sudoeste baiano, tem pouco menos de 13 mil habitantes e foi emancipada em 1962, quando se desmembrou das cidades vizinhas de Urandi e Jacaraci. Apesar da pouca idade, ela é exemplo em educação pública na Bahia - até a filha do prefeito estuda na rede pública. O município teve a melhor nota do estado, de 7,3, no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) em 2019 no Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano). A média foi acima do projetado para este ano, de 5,6, e foi maior que as notas estadual, de 5,3, e nacional, de 5,9. Em Salvador, a média foi de 5,6. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (15) pelo Ministério da Educação. 

No Ensino Fundamental II (5º ao 9º ano), Licínio ainda ocupou o segundo lugar, com nota 6,0, ao lado do município de Novo Horizonte, e ficou atrás somente de Jacaraci, que teve score de 6,3. A evolução da cidade nesses índices, que contabilizam escolas da rede pública municipal e estadual, dobrou ao longo dos anos. Na primeira avaliação do Ideb, em 2005, a média dos alunos nos anos iniciais do Fundamental era de 3,6. Nos anos finais, foi de 2,9. O aumento foi de 108% e 106%, respectivamente. 

A receita deste sucesso, segundo a secretária de educação municipal Mychely Teles, é o investimento em capacitação dos professores e a assistência individualizada dos alunos. “A gente trabalha com uma sistemática de acompanhamento de aluno por aluno, através do que chamamos de indicadores de sucesso, como frequência, aprovação e reprovação, e pela formação continuada dos gestores escolares, coordenadores pedagógicos e professores”, avalia Teles. 

Secretária municipal de educação Mychely Teles defende capacitação dos profissionais das escolas. Crédito: Arquivo Pessoal/Prefeitura de Licínio de Almeida

A secretária ressalta ainda para as mudanças das matrizes curriculares, que intensificaram o aprendizado. Desde 2009, quando o município firmou parceria com o Instituto Ayrton Senna, os educadores trabalham com competências e habilidades, não mais com matérias e conteúdos. 

É o que explica a coordenadora pedagógica da escola Pingo de Gente, a mais bem avaliada da cidade e da Bahia, com 8,1 no Ideb de 2019. “A partir desse trabalho, é possível despertar nos estudantes iniciativas que são capazes de desenvolver competências e habilidades para a vida e a gente prepara o aluno para lidar com situações diárias”, esclarece a coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental I, Leila Gama.

Outro projeto que tem sido aplicado nos últimos anos é o “Aprender Mais”, no qual monitores auxiliam os alunos no turno oposto ao das aulas para reforço escolar, a fim de diminuir a defasagem entre eles. Além disso, a escola disponibiliza gratuitamente uma equipe multidisciplinar, formada por psicólogos, psicopedagogos e fonoaudiólogos, para os estudantes que precisam de terapias ou consultas médicas, seja por autismo, déficit de atenção, ou qualquer outra desvalia. 


O prefeito Frederico Vasconcellos Ferreira, conhecido como Dr. Fred, afirma que a educação estava entre as prioridades de sua gestão, assim como na dos prefeitos anteriores. “O trabalho que é feito em Licínio é a longo prazo. A educação vem sendo prioridade há uma década e o principal fator é a busca incessante da capacitação de nossos profissionais, além do investimento em infraestrutura escolar”, diz Ferreira, que pretende inaugurar mais duas escolas até o final do mandato. 

A quantidade de recursos destinados à educação também é maior do que prevê a lei, pela qual estabelece um mínimo de 25% da receita anual. No caso de Licínio Almeida, 29,9% da receita total do município foram para educação no ano de 2019, como consta no site do Tribunal de Contas. A Receita total no ano passado foi de R$ 31.471.093,24, sendo R$ 9.439.678,19 destinados a educação. As principais atividades econômicas da cidade são a mineração e, mais recentemente, a produção de energia eólica.

A comerciante Suzygleidy Baleeiro, moradora da cidade, diz não colocaria os filhos na rede privada. “Fui aluna dessa rede pública e hoje sou mãe de dois filhos e posso analisar o que vivi para o que está hoje. Como mãe, não tiraria da rede pública para colocar na particular, porque dentro da rede pública eu tenho assistência, são escolas que se preocupam com a criança, com a saúde física e psicológica”, relata Baleeiro, que participa ativamente da reunião de pais do colégio. Na pandemia, desde março, os professores utilizam o Whatsapp para enviar as atividades escolares. 

Escola Pingo de Gente, em Licínio de Almeida, teve melhor avaliação da Bahia no Ideb do Ensino Fundamental I (Crédito: Arquivo pessoal/Prefeitura de Licínio de Almeida)

O estudante Abmerayko Carvalho, do 6º ano Ensino Fundamental, foi um dos que fez a prova do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), que resultou no índice do Ideb de 2019. “A prova foi fácil, a turma toda estudou bastante e os professores ajudaram. O difícil foi o tempo da prova, acho que a gente teve que ficar 3 horas na sala”, comenta o aluno, que não vê a hora de voltar às aulas presenciais. “Amo minha escola e estou morrendo de vontade de voltar”, desabafa. 

A estrutura do sistema de ensino é composto por 19 escolas. Nos anos iniciais, são 778 alunos e 70 professores na rede pública. Somado às outras séries, são 204 professores e cerca de 2000 estudantes. Cada escola tem cerca de 10 salas de aula com uma de 20 estudantes por turma. Desde 2016, os professores usam o quadro branco, com piloto, e não mais o giz, como ainda é visto em algumas escolas estaduais na Bahia. 

Os resultados do Ideb de Licínio Almeida se refletem também em outros indicadores, como na taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade, que é de 98,4%, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O índice é o 61º entre os 417 municípios baianos.

Top 10 municípios com melhores notas no Ideb do Ensino Fundamental I
Licínio de Almeida - 7,3
Itatim - 6,9
Piripá - 6,6
Piatã - 6,6
Novo Horizonte - 6,6
Caculé - 6,6
Wagner - 6,5  
Mortugaba - 6,5
Jacaraci - 6,5
Ibitiara - 6,5

Top 11 municípios com piores notas no Ideb do Ensino Fundamental I
Arataca - 3,2
Aratuípe - 3,3
Aporá - 3,3
Itambé - 3,4
Esplanada - 3,5
Pedro Alexandre - 3,6
Nova Canaã - 3,6
Cabaceiras do Paraguaçu - 3,7
Itapebi - 3,7
Mascote - 3,7
Arataca - 3,7

Evolução Ideb Ensino Fundamental I - Licínio de Almeida
2005 - 3,6
2007 - 4,0 (meta: 2,9)
2009 - 4,8 (meta: 3,1)
2011 - 5,9 (meta: 3,4)
2013 - 5,8 (meta: 3,8)
2015 - 6,3 (meta: 4,1)
2017 - 6,8 (meta: 4,4)
2019 - 7,3 (meta: 4,7)

Evolução Ideb Ensino Fundamental II - Licínio de Almeida
2005 - 2,9 
2007 - 3,5 (meta: 3,7)
2009 - 4,5 (meta: 4,0)
2011 - 4,8 (meta: 4,5)
2013 - 4,9 (meta: 4,7)
2015 - 5,0 (meta 5,0)
2017 - 5,5 (meta: 5,3)
2019 - 6,0 (meta: 5,6)

*Sob orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas