Nossa Senhora Aparecida leva milhares de fiéis a igreja em Salvador

salvador
12.10.2021, 13:53:00
Atualizado: 12.10.2021, 19:18:45
Imagem colocada no estacionamento para adoração do público (Foto: Marina Silva/ CORREIO)

Nossa Senhora Aparecida leva milhares de fiéis a igreja em Salvador

Padroeira do Brasil está sendo venerada com cânticos e orações

A pedagoga Maria Rita Gonçalves, 41 anos, passou por maus bocados em 2016. Ela teve um problema sério de saúde e precisou ser internada às pressas, mas a situação se agravou e ela entrou em coma. Os médicos orientaram a família a rezar e foi nesse momento que a fé em Nossa Senhora Aparecida fez a diferença. Nesta terça-feira (12), dia em que se celebra a data da Padroeira do Brasil, Maria Rita foi à missa para agradecer.

Templo ficou lotado, dentro do limite permitido, para a missa (Foto: Marina Silva/ CORREIO)

O dia da santa foi marcado por diversas celebrações em Salvador. O Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora da Conceição Aparecida, no bairro do Imbuí, teve três missas pela manhã e todas ficaram lotadas. “É difícil explicar a fé. Assim como o amor, fé é algo que a gente sente, que a gente vive e por isso nos é tão caro. Minha devoção começou ainda menina e minha fé foi testada em 2016. Estou aqui hoje contanto essa história porque eu confiei nela”, disse Maria Rita.

Cerca de 200 fiéis ocuparam os bancos do lado de dentro da igreja do Imbuí e outros 200 ficaram nas cadeiras organizadas no estacionamento. Do lado de fora, outra multidão assistiu à celebração através das grades do muro. Por conta da pandemia, o acesso dos fiéis foi controlado para evitar aglomerações. Um homem se irritou e tentou desrespeitar a regra, mas não conseguiu.

Acesso está sendo controlado para evitar aglomerações (Foto: Marina Silva/ CORREIO)

A missa das 9h30 teve um advento especial. O padre que fez a celebração foi orneando há 16 dias. Essa foi a terceira missa de Geovani Ferreira, 31 anos, e a primeira presidida no dia da Padroeira. Animado, ele contagiou o público e encerrou a missa com um sonoro “Viva a Nossa Senhora Aparecida”. Depois, saiu do templo para abençoar os fiéis que não conseguiram entrar na igreja por conta da restrição de público e expeliu água benta em bebês, imagens, fotografias e objetos de valor.

“Sou cearense, natural da cidade de Aracati, e estou como vigário aqui na igreja. Foi muito gratificante presidir a missa porque o povo correspondeu. Me falaram que o povo de Salvador era muito animado e hoje eu pude comprovar. A eucaristia não é a gente celebrar para nós, mas na unidade, na fraternidade, na comunhão com os irmãos e as irmãs. O povo de Salvador deu esse testemunho de fé”, disse.

Padre Geovani Ferreira, 31 anos, foi ordenado há 16 dias (Foto: Marina Silva/ CORREIO)

Ele afirmou que é importante alimentar a fé nos momentos de dor, como os provocados pela pandemia e pelo desemprego, quando nada parece dar certo, e praticar o amor em nome do bem coletivo. Um dos momentos mais emocionantes da missa foi quando a imagem da santa foi levada da entrada do templo até o altar sob aplausos, flashs e algumas lágrimas.

A banda deu o tom e o público entoou os versos da canção “Oh, Minha Senhora e também minha mãe/ Eu me ofereço inteiramente, todo a vós/ E em prova da minha devoção, eu hoje vos dou meu coração”. Em seguida, a canção Dai-nos a bênção, oh Mãe querida, em uma referência direta a Nossa Senhora Aparecida, encerrou essa parte da celebração.

Fiéis ficaram emocionados e fizeram orações (Foto: Marina Silva/ CORREIO)

Emocionados, alguns fiéis fizeram pedidos e agradecimentos. Na primeira missa do dia houve também a entrega de rosas. O reitor do Santuário, o padre Cleriston Mendes, pediu que os devotos se inspirem no principal exemplo deixado pela santa: o de fazer o bem.

“Há mais de 300 anos Nossa Senhora apareceu no rio Paraíba e até hoje ela derrama suas bençãos sobre nós todo dia 12 de outubro. Essa data é especial nos dias de hoje principalmente por causa da pandemia. Tantas famílias perderam seus entes queridos, e Nossa Senhora através de seu exemplo e da sua interseção vem nos ajudar a fortalecer a nossa fé. No dia de hoje a gente pede a sua proteção”, disse.

Missas foram programadas para às 6h30, 9h30, 12h, 15h e 18h (Foto: Marina Silva/ CORREIO)

A última missa do dia será presidida pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de Salvador, Dom Valter Magno de Carvalho, às 18h. Parte dos assentos de todas as celebrações foram reservados através da internet e outra parte está disponível no momento da missa, mas existe fila e por isso é preciso chegar com antecedência para conseguir uma vaga.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas