Nova barragem racha e prefeitura emite alerta em cidade na Bahia

bahia
12.07.2019, 20:07:00
Atualizado: 12.07.2019, 22:02:08
(Foto: Junior Nascimento/CORREIO)

Nova barragem racha e prefeitura emite alerta em cidade na Bahia

Medo de enxurrada fez população deixar casas em povoado de Pedro de Alexandre

Uma segunda barragem em Pedro Alexandre, no Nordeste da Bahia, está apresentando rachaduras nesta sexta-feira (12) e, por conta disso, houve um alerta e a população do distrito de Boa Sorte foi removida pelo medo de uma enxurrada. Segundo o prefeito de Coronel João Sá, cidade vizinha que foi a principal atingida pelo rompimento ontem da barragem do Quati, a barragem de Sem Terra está "sangrando por baixo". 

A prefeitura mandou uma máquina ao local no final da tarde de hoje para tentar resolver o problema, mas por segurança os moradores foram retirados. Não há um número exato de quantas pessoas deixaram suas casas no povoado.

Por enquanto, em Coronel João Sá, há cerca de 500 desabrigados, que estão ficando em escolas e ginásios. Vinte e sete casas foram condenadas e 328 famílias afetadas pelo alagamento após o rompimento da barragem, o que eleva o número de atingidos diretamente a mil.

 “Fomos comunicados que a barragem dos Sem Terra da Boa Sorte está com uma rachadura grande no paredão. Nós pedimos ao Corpo de Bombeiros que se dirigisse ao local, o coronel chegou agora dizendo que tem um grande risco também dela romper. E justamente a lascadura é no meio da barragem. Ela também vai desembocar no Rio do Peixe. Com um agravante: ela está só a 17 km. Então as águas vão chegar muito mais rápido. Por isso, eu peço para as pessoas que retornaram para essas áreas de risco que voltem para onde vocês dormiram ontem à noite. Às mesmas escolas onde vocês estavam, o ginásio de esportes e para a casa dos parentes que vamos dar toda a assistência. Pelo amor de Deus, não fiquem nas casas”, diz mensagem do prefeito tem uma rede social.

Sobral disse ao CORREIO que não é  possível falar em rompimento de mais de uma barragem, além do Quati. "Na verdade, nem aqui nós chamamos de barragem, porque não há um projeto de engenharia. Para nós, aqui, sempre foram açudes e barreiro. A que chamamos de barragem é a de Barra do Gaspareno, que seria, sim, uma grande tragédia", diz.

O governador Rui Costa, que visitou o local hoje à tarde, disse que não são realmente barragens, pois são feitas de maneira privada pelas pessoas da região, sem muito refinamento, e atribuiu o ocorrido a um "efeito cascata". "O volume de água era muito pequeno e na verdade o que fez o rompimento não foi a água ali reservada, foi o colapso de diversos pequenos que virou uma onda por cima daquele reservatório", diz. "Foram várias (barreiras que romperam). Conversei por telefone com o prefeito de Pedro Alexandre e ele me relatou os nomes de todos proprietários das fazendas e terras, e ele me falou de dezenas de pequenas barragens, barramentos. A gente chama de águadas (...) Rompeu isso, o segundo, o terceiro vai em sequência porque vira uma onda de água. Infelizmente como essa situação nunca viu tanta água, nos últimos 70 anos, isso tá acontecendo".

Rompimento
Ainda era início da manhã quando veio o alerta: a Barragem de Quati, localizada no povoado do Quati, município de Pedro Alexandre, no Nordeste da Bahia, havia transbordado após pelo menos cinco dias de chuvas intensas. Às 11h20, veio a confirmação: a estrutura, inaugurada em 2000 pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) para abastecimento de água de cidades da região, havia rompido.

Em pouco tempo, as ruas do Quati pareciam uma extensão do Rio do Peixe, onde fica a estrutura. A água que inundou o povoado, a 14 quilômetros da sede do município, afetou ainda mais a cidade vizinha de Coronel João Sá. Lá, além das 150 casas atingidas, outras dez desabaram. As cidades ficam na divisa com Sergipe.

Em um vídeo que circulou nas redes sociais, um morador relatou a situação na cidade. “Aqui é o centro da cidade da Rua Velha. Olha onde se encontra a água, no joelho das crianças. Mas, graças a Deus, aqui não ficou ninguém. Já tiramos todo mundo. Todas as crianças, idosos”, comenta o cinegrafista amador. Animais também foram retirados.

O prefeito de Coronel João Sá, Carlos Sobral, disse que a situação é atípica. “A barragem quebrou no meio, rompeu no meio. Temos vídeos que mostram o momento do rompimento. A própria Defesa Civil do estado diz que houve o rompimento”, afirmou.

“Graças a Deus, não morreu ninguém. Só uma senhora de 70 anos que ficou ilhada e quase morre afogada, mas conseguimos resgatá-la”, disse o prefeito.

Para ele, só foi possível evitar uma tragédia de maior proporção porque, assim que soube que havia risco de rompimento da barragem, por volta das 9h, ele convocou a equipe da prefeitura para ir às áreas de risco e tirar os moradores de suas casas.

“Botei todos os secretários na rua avisando a população, diponibilizamos caminhões para recolher as coisas e escolas para o povo ficar abrigado. Se não tivéssemos evacuado as zonas de risco a tempo, muita gente teria morrido. Foram afetadas entre 100 e 150 famílias”, diz.

As famílias que tiveram que deixar os imóveis estão sendo levadas para o Colégio Municipal e para as escolas Maria Dalva, Ruy Barbosa, Juracy Magalhães e Paraíso Infantil.

(Foto: Junior Nascimento/CORREIO)

Desabrigados
Os desabrigados em Coronel João Sá somam ao menos 500 pessoas. No povoado do Quati, em Pedro Alexandre, vivem cerca de 50 famílias, segundo o prefeito, Pedro Gomes Filho.

Inicialmente, algumas famílias resistiam em deixar suas casas. Segundo o prefeito de Coronel João Sá, foi necessário pedir o apoio policial.

“Estamos dando alimentação, colchões e suprimentos. Pretendemos fazer uma campanha para arrecadar donativos para as vítimas, mas  foi tudo tão corrido que ainda não tivemos tempo de organizar isso. O mais importante disso tudo e que sirva de exemplo é que, se evacuar a tempo, é possível poupar as vidas das pessoas”, disse Carlos Sobral.

“As Defesas Civis de Pedro Alexandre e Coronel João Sá agiram em conjunto para retirar as famílias das casas. A água invadiu algumas residências, mas não houve destruição nem vítimas. Estão todos em local seguro”, informou, na quinta à tarde, a Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado (Sudec).

O presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (Crea-BA), Luís Edmundo Campos, está acompanhando a situação em contato com a Sudec. “As imagens divulgadas não mostram o rompimento. Elas mostram um volume de água muito grande passando pela estrutura do sangradouro. Agora, uma barragem de terra transbordando tem um grande potencial de romper”, disse.

Um trecho da rodovia BR-235 foi tomado pela água e lama e está intransitável. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) emitiu um alerta e informou que irá aguardar a “redução do nível da água para verificar possíveis danos à rodovia, recuperar em caráter emergencial e restabelecer a trafegabilidade o mais rápido possível”. A PRF não informou sobre desvios.

De acordo com o secretário de Comunicação de Coronel João Sá, Waldomiro Júnior, as áreas mais atingidas foram as ruas do Galo, Santo Antonio, Beira Rio, Senhor do Bonfim, José Antonio dos Santos e o bairro da Barroquinha. Foi disponibilizado um telefone de emergência: (75) 99987-3419.

“A área próxima ao rio é muito povoada, temos casas que ficam a 20 metros, 30 metros de distância do Rio do Peixe”, comenta o secretário. Ainda segundo ele, “a água já atingiu metade da altura de muitas casas” e há famílias que já perderam tudo. 

Pedro Alexandre decreta situação de emergência
Após o rompimento da barragem, o prefeito de Pedro Alexandre, Pedro Gomes Filho, decretou situação de emergência na cidade. O decreto, publicado na própria quinta no Diário Oficial, explica que as fortes chuvas que têm caído no município desde o domingo  causaram inundações, enxurradas e alagamentos. O decreto também alerta que, por conta do mau tempo, tem sido impossível transitar por diversas estradas.

O documento determina a suspensão das aulas da rede pública municipal, em razão dos danos causados nas estradas que impossibilitam o transporte dos alunos, por tempo indeterminado, e autoriza a mobilização de todos os órgãos municipais para atuarem sob a direção da coordenadoria municipal de proteção e defesa civil.

Além disso, prevê mobilização para reabilitação do cenário e reconstrução/desobstrução de vias, além da convocação de voluntários para realização de campanhas de arrecadação.“Não temos como fazer nada com relação à barragem, porque nem trator chega lá. Hoje está uma chuva fina, mas desde a semana passada que estamos tendo chuvas pesadas, que ocasionaram essa situação”, disse o prefeito.

População carente é a mais atingida nas cidades
De acordo com o secretário municipal de Comunicação de Coronel João Sá, Waldomiro Júnior, as áreas mais afetadas são justamente aquelas que abrigam pessoas mais carentes. “A população mais afetada é a mais carente. São pessoas que construíram suas casas muito próximas do rio. Mas os moradores daqui são muito solidários e todo mundo tem ajudado”, afirmou.

Como a situação nunca aconteceu, a gestão ainda estava na expectativa de que a água tomasse toda a cidade. “Estávamos em alerta, mas não sabemos o que vai acontecer a partir de agora”, analisou.
Segundo Pedro Gomes Filho, prefeito de Pedro Alexandre, a barragem era de água salobra e muitos moradores costumavam pescar no local.

Em nota, a ANA informou ter tomado conhecimento do “rompimento gradual da barragem Quati, em Pedro Alexandre, de usos múltiplos de água”, mas informou que a responsabilidade por fiscalizar a estrutura é do estado da Bahia.

“Por se tratar de uma barragem em rio estadual, a fiscalização desse açude não compete à ANA, e sim à autoridade competente no estado da Bahia”, delimita o órgão federal, embora afirme que, guardadas as devidas proporções, acompanha a situação. Nesse caso, a atribuição é do Inema, que enviou técnicos ao local, mas não respondeu como a fiscalização vem sendo feita.



Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/salvador-concorre-ao-premio-nacional-do-turismo-2019-em-tres-categorias/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/banda-panteras-negras-recebe-luedji-luna-e-okwei-odili-no-goethe/
Celebrando um ano de formação, musicistas exaltam contribuição das mulheres negras na arte
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/linn-da-quebrada-estrela-bixa-travesty/
Documentário debate sobre o corpo, gênero e identidades
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/policia-civil-analisa-imagens-de-acao-da-prf-que-deixou-adolescente-morto/
Pai foi ouvido no DHPP; familiares homenagearam garoto de 17 anos nesta quinta-feira (21)
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/operario-fica-pendurado-em-predio-durante-pintura-e-e-socorrido-veja-video/
Ele foi retirado de edifício em Fortaleza e conduzido a unidade médica pelo Samu
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/apos-passar-mal-e-ser-socorrido-no-senado-kajuru-segue-internado-na-uti/
Colega baiano Otto Alencar ajudou a socorrê-lo em plenário: ‘não vai ficar sequela’
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/matou-como-se-ela-fosse-bicho-diz-testemunha-de-crime-contra-moradora-de-rua/
Defesa de comerciante alega que ele reagiu a uma tentativa de assalto
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/bombeiros-controlam-incendio-em-academia-na-graca/
Fogo começou por volta das 22h40 e foi contido rapidamente
Ler Mais