Novo Hospital Cárdio Pulmonar triplica quantidade de leitos

salvador
09.12.2019, 22:30:00
Atualizado: 09.12.2019, 23:19:23
Unidade vai aumentar os postos de trabalho em 86% (Foto: Betto Jr/ CORREIO )

Novo Hospital Cárdio Pulmonar triplica quantidade de leitos

Unidade foi inaugurada nesta segunda-feira (9)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A noite foi de festa no Hospital Cárdio Pulmonar (HCP), nesta segunda-feira (9). Dirigentes da unidade, médicos e autoridades públicas participaram da inauguração do novo hospital, na Avenida Anita Garibaldi. Na ocasião, também foi entregue a unidade da Oncologia D'Or, instalada no 9º andar.

A diretora-superintendente do HCP, Iolanda Peltier, era só sorrisos. Ela contou que a ampliação foi um desafio do ponto de vista orçamentário e logístico, uma vez que as obras foram realizadas com o hospital em funcionamento.

“Estou muito feliz. Esse é um sonho que vem desde 2011, quando colocamos no planejamento estratégico da Cárdio o plano de expansão. Inicialmente, a gente esperava construir mais 100 leitos, mas depois mudamos esse plano para 250 leitos que vão abrir até o final do próximo semestre. É um momento especial em que podemos entregar para a sociedade soteropolitana e para a Bahia um hospital feito com muito carinho e com uma equipe altamente capacitada”, disse.

Francisco Peltier, ACM Neto, Iolanda Peltier, e vice-prefeito Bruno Reis (Foto: Betto Jr/ CORREIO)

O investimento foi de R$ 200 milhões. Com a reforma, o HCP triplicou a capacidade de atendimento, passando a oferecer 249 leitos. Antes, eram apenas 76 leitos. Ele também terá incremento de 86% no número de funcionários. O prefeito ACM Neto participou da inauguração.

“Ter uma rede de assistência privada que funcione bem, com qualidade, é importante porque, de um lado, é possível diminuir a pressão e a demanda sobre a rede pública que é crescente, e por outro lado, podemos ter profissionais de elevada qualidade que vão trabalhar nas duas redes, tanto pública como particular”, afirmou.

Segundo o HCP, na primeira fase da reforma de ampliação foram gerados 400 empregos e haverá mais 350 contratações ao final do projeto, em abril de 2020. Com isso, o número de integrantes vai saltar de 860 para 1,6 mil. O titular da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), Fábio Vilas-Boas, acompanhou o evento.

“Hoje, temos o Cárdio Pulmonar como uma referência em diversas áreas da medicina baiana, e isso foi conquistado graças ao esforço de cada um dos profissionais que atuam aqui. É um atendimento qualificado tecnicamente e de responsabilidade ética na condução dos serviços”, afirmou.

Estrutura
Para se ter uma ideia do tamanho da ampliação, a área construída do hospital saiu de 5 mil para 30 mil metros quadrados. São dez salas modernas no centro cirúrgico, dez elevadores, sendo 1 com capacidade para 38 pessoas, heliponto e estacionamento com 300 vagas.

A emergência terá sete consultórios até a fase final, sendo que cinco deles já estão em funcionamento: três como clínica geral, um para cirurgia, e um de otorrinolaringologia. Na próxima etapa serão construídos um de ortopedia e um de oftalmologia. O presidente do Conselho Administrativo do HCP, Francisco Peltier, disse estar emocionado.

“A sociedade vai receber mais leitos. Em um hospital com padrão de excelência, de alta resolutividade, de alta tecnologia, e com um nível de assistência reconhecido internacionalmente pela qualidade que tem”, afirmou.

Em termos de tecnologia, o novo HCP terá cinco geradores com autonomia para 7 dias de queda de energia e equipamentos como de ressonância magnética 1,5T, tomografias computadorizadas 128 canais, Gama Câmara (medicina nuclear), Ecocardiografia 3D, Ultrassonografia e Rx digital.

Diretor-presidente da Rede Bahia, Paulo Cesena, ao lado de Iolanda Peltier (Foto: Betto Jr/ CORREIO)

O diretor-presidente da Rede Bahia, Paulo Cesena, conheceu o novo hospital. “Esse é um grande marco porque acaba sendo a união de duas instituições muito fortes, a Cárdio Pulmonar com uma tradição de mais de 40 anos na Bahia e a Rede D'Or que tem uma relevância e uma credibilidade nacional. Isso vai mudando a forma como a prestação de saúde em Salvador e no estado da Bahia é disponibilizada para a população”, disse.

A obra é sustentável e foi executada dentro dos critérios de respeito ao meio ambiente. O aquecimento da água será com energia solar e é possível reaproveitar a água para vaso sanitário, por exemplo. O HCP foi fundado em 1977, e há 42 anos está atuando em assistência à saúde na Bahia. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas