Obra em buraco aberto na Pituba após chuvas deve ser concluída nesse sábado

salvador
12.07.2019, 19:00:00
Atualizado: 12.07.2019, 19:05:06
(Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

Obra em buraco aberto na Pituba após chuvas deve ser concluída nesse sábado

Três faixas da Avenida Paulo VI seguem interditadas; máquinas trabalham no local

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O buraco que se abriu na Avenida Paulo VI, uma das mais movimentadas do bairro da Pituba, em Salvador, continua bloquando o trânsito em três faixas e causando incômodo entre moradores. Nesta sexta-feira (12), parte deles reclamou dos transtornos causados pelo problema, causado pelas fortes chuvas do início da semana, e a demora para que a pista volte a ser totalmente liberada.

Segundo o aposentado Edson da Silva, 60 anos, que mora no bairro há 19, essa é a segunda vez que uma cratera aparece na avenida.

"Da primeira, a obra durou mais de três meses para acabar. Tomara que essa termine no prazo que eles estão informando [este sábado, 13], porque está bastante complicado. Até para nós moradores podermos entrar e sair, temos que dar uma volta grande”, comentou.

Ainda segundo ele, muitos motoristas estão se atrapalhando por não saber por qual rua desviar. "Sem contar que, durante a noite, ninguém consegue dormir com o barulho das máquinas trabalhando", emendou.

(Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)
(Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

De acordo com a Secretaria Municipal de Manutenção (Seman), a previsão de conclusão da intervenção é para esse sábado (13), pois a cratera afetou o sistema de drenagem do local.

Enquanto isso, os ônibus que circulam pelo local continuarão entrando na Rua das Camélias, e seguindo pela Rua das Rosas até virar à esquerda, para a Rua dos Maçons, para que possa chegar à Avenida Magalhães Neto.

Os carros seguem trafegando normalmente numa única faixa liberada na avenida, no sentido Shopping da Bahia. 

O comerciante Ivan Pereira, 44, teme que a situação afaste a clientela. “Desde que a obra começou, o fluxo de clientes deu uma diminuída. Até aí, normal, mas espero que não demorem muito. Eu moro em outro bairro. Com a intervenção da rua, estou tendo que descer bem distante para poder vir para cá. Antes, o ônibus me deixava na porta”, contou.

*Com supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas