Ônibus metropolitanos vão manter integração com metrô após acordo

bahia
25.10.2017, 00:01:00
Atualizado: 25.10.2017, 10:40:04

Ônibus metropolitanos vão manter integração com metrô após acordo

Governo nega demissões em massa; alterações em linhas são adiadas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Após uma reunião com representantes do Governo do Estado, nesta terça-feira (24), os motoristas dos ônibus metropolitanos resolveram manter a integração com o metrô de Salvador. Um dia antes, o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários da Região Metropolitana de Salvador (Sindimetro), Mário Cleber Costa, havia informado ao CORREIO que os coletivos iam voltar a fazer o antigo trajeto, sem entrar nas estações de metrô, por conta de um alegado descumprimento de acordo entre as partes.

Segundo, ele a decisão ocorreu depois que a Agerba, agência do governo estadual que regula os transportes na Bahia, anunciou o corte de 50 veículos, resultando na demissão de 200 funcionários. "Eles [governo do estado] adiaram a decisão e nós resolvemos suspender as atividades que estavam previstas para amanhã (quarta)", disse o coordenador.

No entanto, o secretário estadual da Casa Civil, Bruno Dauster, informou nesta terça que os rodoviários interpretaram a informação de forma errada. "Ontem (segunda), deve ter ocorrido algum mal entendido, porque isso nunca existiu. As informações foram sobre mudanças nos itinerários", afirmou, negando as demissões.

Alterações adiadas
Ainda conforme Dauster, por conta disso, o governo adiou as alterações que aconteceriam em dez linhas de ônibus da RMS. Com a decisão, somente a partir da próxima segunda (30), os trajetos que circulam nas avenidas Pinto de Aguiar (Patamares) e Jorge Amado (Imbuí) terão itinerários e pontos finais alterados. Os ônibus continuarão percorrendo a orla de Salvador.

O secretário ainda garantiu que nenhuma linha será extinta. De acordo com ele, as mudanças surgem para reduzir o tempo de espera nos pontos de ônibus na RMS e diminuir o tempo de viagem para a integração com o sistema metroviário, além de melhorar a mobilidade da capital.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas