Opção ao carro, moto gasta menos, mas fila de espera para comprar chega a 90 dias

brasil
09.04.2022, 11:00:00
Cobiçadas por quem quer fugir dos altos preços dos combustíveis e dos carros zero-quilômetro, as motocicletas estão com fila de espera (Fotos: Divulgação)

Opção ao carro, moto gasta menos, mas fila de espera para comprar chega a 90 dias

Além disso, menos de 40% dos pedidos de financiamento de motos são aprovados

Com carros zero-quilômetro partindo de R$ 60 mil, gasolina sendo reajustada várias vezes ao mês e indisponibilidade de carros por aplicativo em alguns horários, a motocicleta pode ser uma boa opção para enfrentar o trânsito para ir ao trabalho ou à faculdade.

Econômicos e ágeis, os modelos de duas rodas entraram na mira do brasileiro para driblar as dificuldades. Mas quem buscou essa saída está encontrando dificuldades. O impacto do aumento dos juros nos financiamentos, que tem provocado maior restrição para a concessão de crédito, está dificultando o acesso às motos.

De acordo com a Fenabrave, entidade que reúne os concessionários de veículos novos, as dificuldades para conseguir crédito são grandes. A aprovação de financiamento gira em torno de 37% das propostas enviadas aos bancos.

E se você tem um bom limite de crédito ou o dinheiro na conta para levar sua motoca para casa, há um outro complicador: as filas de espera. A Honda, que tem quase 75% de participação nas vendas no mercado brasileiro, tem filas de até 90 dias. Na Yamaha, que ocupa a segunda posição no ranking, a situação é parecida.

Escolha bem
Se o jeito é esperar, a melhor forma é aproveitar o tempo para se preparar. Em primeiro lugar, faça uma boa escolha do produto que vai pilotar, levando em conta qual o seu uso.

Se você não tem muita experiência e pretende fazer apenas uso urbano, uma scooter pode ser uma boa solução. Em sua maioria, esse tipo de motocicleta possui câmbio automático, ou seja, o condutor não precisar usar a embreagem nem passar marchas.

A Biz é uma das scooters mais acessíveis do mercado brasileiro

A pilotagem de moto mescla a utilização de pedais e manetes. Nas scooters, via de regra, todo controle fica nas mãos. Outro ponto diferencia o modo de condução: nas motos o tanque de gasolina fica à frente do piloto e nas scooters o tanque fica embaixo do banco ou no assoalho.

Na scooter pessoa vai sentada e conta um escudo para proteger suas pernas. Em uma moto convencional o condutor vai montado, com o assento entre as pernas. Há ainda outras comodidades nas scooters, como porta-capacetes sob o acento e tomada USB para carregamento de smartphones, por exemplo.

Já tem sua documentação?
Você sabe pilotar? Ok. Mas já tem autorização guiar uma motocicleta, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de categoria A? Quem já dirige carro e tem a carteira B, vai gastar em torno de R$ 1 mil, valor que inclui o laudo, o exame médico e as aulas. 

Para a primeira habilitação em motocicletas, o custo médio em Salvador passa para R$ 1,3 mil. Os custos com Detran devem ser pagos à vista. As autoescolas parcelam em até 12 vezes.

Se for fazer aulas, dedique-se a conhecer a legislação. E se já tem experiência, faça uma reciclagem e veja se o seu capacete ainda está válido. Sim, o Inmetro indica a validade do equipamento e, em uma blitz, isso pode ser verificado.

De acordo com o Código de Trânsito brasileiro, é proibido pilotar motos com chinelos, sandálias que não ficam presas aos pés, especialmente, ao calcanhar, e calçados de salto alto. Quem for flagrado pilotando dessa forma será multado em R$ 130,16 e receberá quatro pontos na CNH.

"Mas eu vivo em um lugar quente, estava na praia..." A segurança vem em primeiro lugar: além da necessidade de movimentar em alguns modelos os pedais, os pés são o apoio natural do motociclista. Por exemplo, em um acidente iminente ele precisará em algumas vezes apoiar o pé no piso. Se o calçado não oferecer esse apoio ou quebrar, o pé toca o chão, a pessoa recolhe a perna e cai.

Mais vendidas na Bahia
Nos três primeiros meses do ano a Honda dominou os emplacamentos de motos no estado. O modelo mais licenciado foi a CG 160, que somou 4.178 entre janeiro e março. Essa motocicleta custa a partir de R$ 11.920. 

Segunda motocicleta mais vendida na Bahia em 2022, a Pop tem fila de espera

Em segundo lugar, outro modelo da Honda, a Pop 100i. O veículo teve 3.633 unidades emplacadas e custa a partir de R$ 8.090. E, em terceiro, outro produto do fabricante japonês, a Biz, que somou 2.816 emplacamentos. A scooter é oferecida pelo preço inicial de R$ 9.870. Em todos os modelos o frete é cobrado a parte.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas