Ópera infantil traz reflexão sobre a diversidade 

salvador
19.06.2022, 17:56:08

Ópera infantil traz reflexão sobre a diversidade 

'Jeremias Fisher - A História do Menino Peixe' foi apresentada no Parque do Queimado

Discutir a diversidade deixou de ser um assunto exclusivo de gente grande. A história de um menino que nasceu com mãos e pés de peixe e que contou com o apoio dos pais para aceitação dessa diferença levou muita gente à apresentação do Coro Infantil dos Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba), neste domingo de manhã, no bairro da Liberdade. 

A ópera para crianças “Jeremias Fisher - A História do Menino Peixe” foi apresentada no Parque do Queimado, em uma edição especial da série “Domingo no Parque”.  "A história é sobre aceitação. Sobre um casal que vai ter um filho e que o ama de qualquer jeito. E mesmo que ele seja diferente, porque ele nasce um pouquinho diferente, a mãe tem um grande momento que ela fala: ‘Se ele for diferente, não tem nenhum problema, pelo contrário’”, declarou a maestrina e coordenadora de canto do coro, Lucie Barluet. 

A atração começou pouco depois das 11h, com lotação de público, entre crianças, adolescentes e adultos. "Foi a primeira vez que eu vim para assisti-los. Eu já conhecia o texto e acho que trazer essa ideia do respeito à diversidade, à diferença do outro desde a infância é muito importante. Então estimular a arte, o canto, e ainda estimular a diversidade acho que é de uma sutileza e de uma força muito potente para o Neojiba", declarou o jornalista e ator, Rafael Brito. 

A pedagoga Juscileia Reis disse que o espetáculo foi comovente. "É um programa lindo, uma apresentação emocionante. A gente percebe o brilho dessas crianças, e que a arte tem esse poder transformador na vida das crianças, e de todo mundo. Com certeza, elas serão adultos bem mais sensíveis, irão olhar o mundo de outra forma".

E os pais dos integrantes do coro não esconderam o orgulho. "Foi maravilhoso. É a primeira ópera que minhas filhas participam. E foi lindo, foi maravilhoso. Desde o ensaio, desde as aulas, elas vêm ensaiando em casa, então, eu acompanhei a todo momento. Eu praticamente fui uma integrante também, por elas abraçarem com tanto amor, com tanto carinho. Infelizmente uma das minhas filhas não pôde participar, houve um incidente, a minha pequenininha, mas a minha mais velha está maravilhada", disse a turismóloga Nira Cabral, mãe das integrantes Morena Cabral, 8, e Sol Cabral, 6. 

E falando da Morena... Ela contou como foi a estreia. “Demorou muito para fazer essa ópera, foi bem longa, mas eu consegui fazer, lembrar, e eu não sabia ainda que ia repetir duas vezes, mas eu consegui sim e meus coleguinhas também fizeram, e eu dei uma ajuda pra eles. A gente passou um mês ensaiando, desde que eu comecei no Coro”.

Antes de entrar no coral, Samuel Lucas dos Santos, 9 anos, disse que sonhava em ser veterinário. Agora, quer ser "artista".  "Eu adoro cantar e está sendo muito bom fazer essa ópera". Na última vez em que se apresentou num recital no Parque do Queimado, em maio, cantou o hino medieval católico "Stabat Mater", de Pergolesi, algo bem diferente do que mostrou neste domingo. "Essa ópera de agora é sobre um menino-peixe, e a outra foi sobre a morte de Jesus", pontou o artista mirim. 

A obra estreou na França em 2007, numa adaptação da peça de mesmo nome do dramaturgo Mohamed Rouabhi, com música da compositora Isabelle Aboulker. A montagem do Neojiba teve, além do coro infantil, a participação de integrantes do coro juvenil.

“A princípio parece complicado a gente dizer que vai fazer ópera para crianças, no sentido de quem escuta isso. 'Poxa, como vai ser?' Nunca se viu algo assim... É de suma importância a gente ter esse trabalho aqui porque a gente abre alas, a gente dá um pontapé para a questão de ópera aqui na Bahia, e óperas infantis também", declarou o solista do Coro Juvenil, Dandê Azevedo, 24. 

A apresentação integra as comemorações pelos 15 anos do Neojiba, celebrados em 2022. A entrada foi gratuita e todos da plateia apresentaram o cartão de vacinação. 
 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas