Organização de Tóquio-2020 requisita 500 enfermeiros para evento

esportes
26.04.2021, 15:00:00
Cerimônia de abertura de Tóquio-2020 está marcada para o dia 23 de julho (Foto: Shutterstock/Reprodução)

Organização de Tóquio-2020 requisita 500 enfermeiros para evento

A menos de três meses da cerimônia de abertura dos Jogos, Japão enfrenta nova onda de covid-19

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Os organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio confirmaram nesta segunda-feira (26) que solicitaram os serviços de 500 enfermeiros japoneses para o evento, concordando que devem ser "flexíveis" para evitar agravar ainda mais um sistema de saúde duramente afetado pela pandemia.

O diretor-geral do Comitê Organizador, Toshiro Muto, admitiu em coletiva de imprensa as informações da mídia local de que a organização já teria feito uma solicitação neste sentido à Associação de Enfermeiros do Japão. A notícia gerou polêmica nas redes sociais, onde os usuários acusaram os organizadores dos Jogos de acumular recursos médicos fundamentais enquanto o Japão enfrenta uma nova onda de casos de covid-19.

Um novo estado de emergência, o terceiro desde o começo da pandemia, foi lançado no domingo (25) em quatro regiões japonesas, incluindo a de Tóquio, a menos de três meses da cerimônia de abertura dos Jogos, marcada para 23 de julho - a Olimpíada foi adiada no ano passado em função do novo coronavírus.

Muto disse que as negociações ainda estavam em curso e que os organizadores trabalhariam para "encontrar uma maneira de garantir os reforços" de um número semelhante de enfermeiros. "Nem é preciso dizer que os serviços de saúde regionais não devem sofrer transtornos" por este pedido, acrescentou, afirmando que "insistiu neste ponto".

O diretor-geral do Comitê negou que a solicitação tenha sido feita "nos bastidores" e afirmou que, para ajustar os detalhes, seria necessário "conversas prudentes e meticulosas" com todo o departamento de saúde do Japão.

"Temos de encontrar a maneira de conviver", disse, destacando a necessidade para os organizadores de se mostrarem "flexíveis com as horas de trabalho e as rotações".

Os organizadores dos Jogos Olímpicos tentam provar a opinião pública do país-sede de que o evento pode ser celebrado com segurança apesar da pandemia, mas os japoneses se opõem em grande maioria pelos riscos sanitários, de acordo com pesquisas realizadas nos últimos meses.

O Japão, relativamente menos afetado pelo coronavírus que muitos outros países, com cerca de 10 mil mortes registradas oficialmente desde janeiro de 2020, vive atualmente um aumento dos casos em vários departamentos. Daí a necessidade de novo estado de emergência em Tóquio. Outra preocupação dos organizadores é não usar as instalações médicas destinadas aos japoneses durante os Jogos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas