Organizações de saúde buscam estratégias para minimizar crise no setor

salvador
11.12.2017, 20:40:03
Atualizado: 11.12.2017, 20:55:13

Organizações de saúde buscam estratégias para minimizar crise no setor

Inadimplência do poder público é uma ameaça à sobrevivência das instituições

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Representantes das Organizações Sociais de Saúde (OSS) de várias partes do Brasil se reuniram na manhã desta segunda-feira, (11), no Museu da Misericórdia, no Centro Histórico de Salvador, para pensar estratégias para diminuir o impacto da crise no setor. O encontro contou com a presença de 25 representantes de 14 instituições. Entre elas, a Santa Casa de Misericórdia da Bahia, as Obras Sociais Irmã Dulce (Osid) e o Instituto de Responsabilidade Social Sírio Libanês.

(Foto: Divulgação)


Entre as estratégias propostas no encontro está a consulta a juristas para dar um parecer sobre a legislação, garantindo que as instituições trabalhem com segurança. Segundo o provedor da Santa Casa de Misericórdia da Bahia e anfitrião da reunião, Roberto Sá Menezes, a inadimplência do poder público é uma ameaça à sobrevivência das instituições. "A importância deste encontro está em assegurar que a gente possa trabalhar com tranquilidade e que assuma os compromissos que formem conosco", explicou.
 
Em janeiro deste ano, a Santa Casa deixou a administração da Maternidade de Referência Professor José de Maria Magalhães Netto, o que causou o desligamento de mais de mil funcionários. De acordo com Menezes, a organização ainda não recebeu o repasse do governo para quitar as dívidas trabalhistas com os funcionários demitidos.
 
Para o presidente do Instituto Brasileiro das Organizações Sociais de Saúde (Ibross), Renilson Rehem, a situação atual é preocupante. Segundo ele, vários governos estão celebrando contratos com as organizações e se preocupando apenas com uma redução de custos por causa da crise, fazendo isso sem pensar na qualidade dos serviços oferecidos à população. “Estamos nos articulando em busca de alternativas legais para garantir que os governos cumpram o contrato de gestão”.
 
As Organizações Sociais de Saúde (OSS) são instituições sem fins lucrativos que gerenciam os serviços de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS). No encontro, participaram representantes de estados como São Paulo, Goiás, Pernambuco, Rio Grande do Sul, da própria Bahia e do Distrito Federal.

*Integrante da 12ª turma do programa CORREIO de Futuro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas