Osid tem estoque zerado em metade do banco de sangue; saiba como doar

salvador
30.08.2021, 16:52:00
Atualizado: 30.08.2021, 16:53:02
Quatro dos oito estoques estão zerados (Foto: Paula Fróes/CORREIO)

Osid tem estoque zerado em metade do banco de sangue; saiba como doar

Obras Sociais atendem demanda interna de suas atividades e também de todo o Estado, repassando o sangue coletado para o Hemoba

Sheila Oliveira e Luciano Borges se identificam como doadores de sangue. Ele já tem mais de dois anos que doa regularmente enquanto ela, convencida pelo maridão, começou a doar no ano passado - quando vários bancos de sangue enfrentaram situações críticas já que os estoques caíram bastante durante a pandemia do coronavírus. 

É essa a situação delicada que o banco de sangue das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid) enfrenta neste exato momento: não há estoque mínimo de bolsa disponível para nenhum dos oito tipos sanguíneos e isso prejudica tanto tratamentos regulares como os oncológicos quanto as cirurgias eletivas, que já voltaram a ser marcadas.

Líder do banco de sangue da Osid, Marília Sentges define a situação como desesperadora. O desalento é visível no tom de voz dela, que faz um apelo para que as pessoas façam doação de sangue

"Ontem a gente quase zerou tudo, foi um caos enorme. Dá uma angústia muito grande de não atender todo o mundo, tendo que analisar quem está pior e isso é horrível. Na Osid, durante esse um ano e meio de pandemia toda a parte de oncologia funcionnou normalmente, além de três UTI's funcionando. O sangue O+ eu preciso ter em estoque 30 bolsas e ontem eu tinha 8. O O-, que é o doador universal, eu não tinha nenhuma. Todos os tipos estão em baixa. Está uma situação desesperadora", afirma. 

Sheila e Luciano, o casal doador, estiveram na Osid durante a manhã de sexta (27) para fazer doações para uma colega de trabalho que fará cirurgia. Foi a primeira vez que doaram no local. Sheila contou que a doação precisa ser uma rotina e as pessoas precisam encarar esse ato como uma obrigação cidadã.

(Foto: Paula Fróes/CORREIO)
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)

Segundo o Hemoba, homens podem doar até 4 vezes a cada 12 meses, com intervalo mínimo de 60 dias entre as doações e mulheres podem doar até 3 vezes a cada 12 meses, com intervalo mínimo de 90 dias entre as doações.

Na última sexta (27), quatro dos oito estoques da Osid estavam zerados: AB+, O-, A- e AB-. Como citado por Marília Sentges, o tipo O+, que necessita um estoque mínimo de 30 bolsas, tinha apenas 8.

"O grande problema para a doação de sangue é que ainda não se tem uma sociedade conscientizada sobre a importância da doação. É algo que não se compra, não se vende, depende da solidariedade e do amor de várias pessoas", afirma.

De acordo com Marília, há quatro grandes motivos para a queda dos estoques: além da queda do número de doadores devido à pandemia da Covid-19, também há a demanda transfusional e de reserva cirúrgica aumentando com o retorno das cirúrgias eletivas; o período de vacinação (que dá inaptidão temporária) e processos gripais aumentados por conta do período do ano.

O banco de sangue da Osid não é importante somente para as Obras: é o segundo que mais coleta sangue em toda a Bahia, perdendo somente para o posto do Hemoba no HGE, que é central. Além de atender à demanda interna das Obras Sociais Irmã Dulce e o excedente é encaminhado à Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba), que faz a distribuição para unidades de saúde de Salvador e do interior do estado.

Não é muito difícil doar, basta preencher alguns pré-requisitos e comparecer aos postos. Confira:
- Ter entre 16 e 69 anos e gozar de boa saúde;
- Apresentar documento oficial original, em bom estado e com foto atualizada (cópia somente se autenticada e legível);
- Doador menor de idade, entre 16 e 17 anos, pode doar acompanhado do responsável legal;
- O candidato à doação não pode estar gripado ou com qualquer outra doença aguda. Caso esteja em uso de alguma medicação, apresentar o nome de todas para avaliação;
- Não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 24 horas;
- Não ter ingerido alimentos gordurosos;
- As doações podem ser direcionadas a um paciente (doação de reposição) ou para ajudar a unidade (doação voluntária).

Saiba onde doar
- Hemocentro Coordenador - Salvador
Endereço
: Ladeira do Hospital Geral, s/n, Brotas - Cep: 40.286-240 - Complexo HGE, Hemoba e Cican
Tel.: (71) 3116-5664/5600
E-mail: direg.hemoba@hemoba.ba.gov.br
Funcionamento: Segunda a sexta-feira - 07h às 18h | Sábado - 07h às 12h30

- UCT Hemoba - Hospital Santo Antônio/Obras Sociais Irmã Dulce - Salvador
Endereço
: Avenida Bonfim, 161 – Largo de Roma - Cep: 40.415-000
Tel.: (71) 3310-1349 / 3310-1224
E-mail: direg.hemoba@hemoba.ba.gov.br
Funcionamento: Segunda a sexta-feira - 7h10 às 11h30 e 13h às 16h

- UC Hemoba - Hospital do Subúrbio - Salvador
Endereço
: Rua das Pedrinhas, s/n, Periperi - Cep: 40.720-460
Tel.: (71) 3217-8824/8905/8823
E-mail: uc.suburbio@hemoba.ba.gov.b
Funcionamento: Segunda a sexta-feira - 7h30 às 12h e 13h às 16h30

- Coleta itinerante no Salvador Shopping
Posto de coleta:
Piso G1, na Praça de Serviços.
Horário de funcionamento: de segunda- feira a sábado, das 10h às 19h.

- Coleta itinerante no Salvador Norte Shopping
Posto de coleta
: Loja na entrada principal + espaço do Hemóvel.
Horário de funcionamento: de segunda-feira a sábado, das 10h às 19h.
Obs.: Com pausa para almoço das 13h00 às 14h00.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas