Padre é preso por suspeita de assaltos em série no Rio Grande do Sul

brasil
03.03.2021, 15:12:02
Atualizado: 03.03.2021, 16:25:41
(Divulgação/Brigada Militar)

Padre é preso por suspeita de assaltos em série no Rio Grande do Sul

Elizeu Lisboa Moreira foi localizado portando um simulacro de arma de fogo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O padre católico Elizeu Lisboa Moreira, da cidade de Passo Fundo (RS), foi preso nesta terça-feira (2) por suspeita de ter cometido três assaltos a estabelecimentos comerciais. Os crimes aconteceram durante a tarde e a noite de ontem. Elizeu foi localizado portando uma pistola falsa após ser reconhecido pelas vítimas.

Junto ao simulacro, o padre de 28 anos também estava com R$ 655, itens de higiene e produtos alimentícios subtraídos de dois supermercados e uma farmácia. Na delegacia, Elizeu afirmou que cometou os crimes durante um "momento de loucura". Ele evadiu o local dos assaltos utilizando um veículo pertecente à arquidiocese da cidade.

Além de ter quebrado alguns dos dez mandamentos da Bíblia, Elizeu será indiciado por roubo majorado, que tem pena de reclusão de 4 quatro a 10 dez anos, e multa.

De acordo com as vítimas, o padre fingia fazer compras normalmente até se dirigir ao caixa para pagar pelos produtos. Neste momento, ele anunciava o assalto e ameaçava os funcionários utilizando a pistola falsa. A ação do eclesiástico também foi filmada por câmeras de segurança.

Ordenado padre em 2019, Elizeu trabalhava  em uma paróquia do município de Tapejara. Ele não possuía antecedentes criminais. A defesa do sacerdote ainda não se pronunciou publicamente sobre o ocorrido na cidade gaúcha.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas