Palco de brigas constantes, bar onde PM foi morto já teve agressão a clientes e tiroteio

salvador
31.08.2021, 05:30:00
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Palco de brigas constantes, bar onde PM foi morto já teve agressão a clientes e tiroteio

'Há três anos que eles estão funcionando e, aqui, ninguém tem paz', reclamam moradores

A morte do sargento da reserva da Polícia Militar Isídio Monteiro Bulhões Júnior, 52 anos, foi, até então, o único caso de violência extrema ocorrido no Bar e Restaurante Feijão de Ouro, na Estrada Velha do Aeroporto. Mas, moradores de dois condomínios do entorno disseram que, além do som varar a madrugada, o local é palco de brigas constantes, inclusive com a intervenção da polícia. 

“A gente sabia que um dia isso ia terminar assim. Toda vez que tem confusão nesse bar. Até quando não tem apresentação de bandas. Desta vez foi algo mais grave. Já teve casos de mesas e cadeiras serem arremessadas contra os próprios clientes. Já teve tiro, mas ninguém ficou ferido. Há três anos que eles estão funcionando e aqui ninguém tem paz”, declarou um morador que pediu para não ser identificado.

O Feijão de Ouro, está situado na Avenida Aliomar Baleeiro, número 52, e está defronte ao Condomínio Recanto dos Pássaros e ao lado do Residencial Nossa Senhora da Vitória I e II. “É briga que não acaba mais. A polícia está direito aí. Já chamamos também a fiscalização porque o bar fica até 4h aberto e ninguém dorme”, pontou uma moradora que também pediu anonimato. 

Moradores dos condomínios disseram ainda que o local onde funciona o bar pertencia à Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa). “Pois é. O local é uma área grande de repente parte dela virou o bar. O terreno sempre funcionou como um depósito da Embasa, inclusive tem lá no fundo, tubos e outros equipamentos da Embasa. Dá para ver tudo da janela”, disse o morador.   

A reportagem procurou a Embasa, que afirmou que não foi identificado registro de terreno pertencente à empresa no endereço fornecido e que é possível que o local tenha servido de canteiro de obras, para uso temporário. "A Embasa encaminhará uma equipe ao local, amanhã, para verificar presencialmente se há alguma relação do terreno com o patrimônio da empresa", diz a nota.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (Sedur) também foi procurada para saber se o estabelecimento tem alvará. Em nota, afirmaram que enviaram uma equipe de fiscalização ao local na tarde desta segunda-feira (30), mas o estabelecimento estava fechado. "Na terça, iremos retornar e checar as informações", disse a assessoria. A reportagem vem tentando falar com os proprietários do Feijão de Ouro, mas até agora não retornaram às nossas ligações. 

Moradores dizem que brigas constantes acontecem em bar onde PM foi morto (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Tiros
Neste final de semana, três atrações se apresentaram no bar. De acordo com o perfil do estabelecimento no Instagram, no sábado contaram Eduardo Soares, Cinho Silva e Mamau Estilizado. Já no domingo, dia da confusão, a atração foi Neto Calazans, que contou à reportagem o que aconteceu.  

"Houve uma briga. Na hora que desci do palco para interagir com a galera, rolou a confusão. Na hora, me virei para a banda e pedi para parar o show. Logo em seguida escutei os tiros e comecei a correr. Foram três tiros", disse o cantor, que em seguida alegou que não viu quem efetuou os disparos. 

Ele disse que na ocasião, ele correu e acabou se chocando com os túneis que fazem parte da decoração do espaço. "Estou com os braços machucados.  Teve gente que se jogou no chão. Muitas mulheres correram desesperadas para atrás do bar. Diante do pânico, parecia que mais de uma pessoa estava atirando", contou o cantor. No entanto, uma outra testemunha disse que o PM brigou antes de ser morto no bar.  

Polícia Civil
O crime ocorreu pouco depois das 21h. O policial foi atingido por três disparos e chegou a ser socorrido para o Hospital São Rafael, mas não resistiu. A Polícia Civil afirmou que ainda não encontraram identificação da autoria do crime.

Em nota, a Polícia Civil informou que o Serviço de Investigação de Local de Crime (Silc/DHPP) foi acionado por volta de 0h10 desta segunda (30) para atender a uma ocorrência de possível homicídio no Jardim Nova Esperança, região da Estrada Velha do Aeroporto.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas