Palestra com editores abre 12ª turma do Correio de Futuro

salvador
06.11.2017, 21:30:00
Atualizado: 06.11.2017, 21:35:44
(Foto: Almiro Lopes/CORREIO)

Palestra com editores abre 12ª turma do Correio de Futuro

Oito selecionados vão estagiar no CORREIO por três meses

A 12ª turma do programa Correio de Futuro, que é formada por oito estudantes, foi lançada nesta segunda-feira (6) na sede da Rede Bahia. Durante o período de três meses, os selecionados irão participar de encontros com editores e repórteres e acompanharão a rotina tanto do jornal impresso quanto do site do CORREIO, sob a supervisão de professores de Jornalismo e de profissionais do jornal. O programa tem apoio da Faculdade Social da Bahia (FSBA) e patrocínio da Odebrecht.

Com o objetivo de aprimorar a formação de estudantes de Jornalismo e revelar novos talentos, o Correio de Futuro funciona também como um laboratório de inovação na busca de linguagens para plataformas multimídia. A palestra de apresentação aos selecionados foi feita pelo gerente de Comunicação da Odebrecht, Marcelo Gentil, e pela editora-chefe do CORREIO, Linda Bezerra.

“O propósito do programa é transformar pessoas, fazendo com que eles saiam profissionais melhores do que quando entraram. Para ter a vida longa de 12 turmas, é necessário ter dedicação e empenho de todos os envolvidos, desde os alunos, passando aos jornalistas e ao patrocinador. Os estudantes de fato se transformam, há transformação na vida deles”, explicou Linda.

Durante o lançamento, os estudantes contaram com uma apresentação do planejamento para os próximos três meses, conversaram com Linda Bezerra e com Marcelo Gentil, além das professoras-editoras Bárbara Souza e Maria Ísis. Os calouros também conheceram a Rede Bahia e tiveram uma palestra sobre notícias, reportagens e apuração.

“Com o apoio do Correio de Futuro, nós estamos contribuindo de fato para a formação de melhores profissionais para o mercado de trabalho baiano e brasileiro. Isso é visível e conseguimos enxergar a importância que o programa tem a partir do momento que a gente sente no próprio veículo uma valorização muito grande do produto, que forma profissionais. Além do jornalismo ser instrumento fundamental do processo democrático, a Odebrecht acredita na formação de profissionais melhores através da qualificação e através do exemplo”, disse Gentil.

Através de palestras, convivência com o cotidiano da redação e a produção de um produto, os oito estudantes terão a oportunidade de aliar a teoria aprendida na universidade com a prática ensinada no CORREIO. “Nós fazemos o meio termo entre a utopia da teoria e a negligência da prática. Reunimos o melhor dos dois e mostramos com equilíbrio o caminho para os estudantes”, disse a professora Bárbara.

Os futuros jornalistas passaram por uma seleção que contou com três etapas. A primeira era a produção de um texto de 10 linhas respondendo: “Por que quero participar do programa Correio de Futuro?”. Os pré-selecionados fizeram uma prova prática que consistia em uma entrevista coletiva com a cantora Daniela Mercury, sobre arte e militância, em que os candidatos deveriam sabatinar a cantora e fazer uma notícia sobre o evento. A fase final consistiu em uma entrevista pessoal.

Para a estudante da Faculdade de Comunicação (Facom) da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Renata Oliveira, 20, a vaga fará com que ela consiga aliar o trabalho de jornal impresso com digital. “Esse é o meu primeiro estágio em redação e será muito engrandecedor acompanhar professores, editores, participar da rotina da redação e ter toda essa preparação antes da real convivência com a redação”, disse.

Rafaela Pereira, 21, também estudante da Facom, afirmou que o Correio de Futuro é “um sonho” para ela, como estudante de jornalismo. “É uma oportunidade única fazer parte do CORREIO com profissionais renomados, tendo a chance de absorver conhecimentos. É a chance que temos de colocar em prática os ensinamentos que vemos na universidade”, comemorou.

Já o estudante da Unijorge, Pedro Vilasboas, 20, já estagiava em outro jornal impresso e viu no programa a oportunidade de passar por todas as editorias e trabalhar com digital e impresso. “Eu estou empolgado em trabalhar com esses dois mundos. No CORREIO, eu conseguirei atrelar a prática do online e do impresso, além de ser acompanhado por profissionais que eu admiro muito”, disse.

Alterações
O programa da 12ª turma sofreu leves alterações na forma com que ocorre. A partir de agora, os estudantes selecionados passarão a ter 6 horas de carga horária diária, em vez de 5 horas. A forma de produção do produto também foi modificada, visando dar um maior tempo de apuração aos estudantes.

“As mudanças ocorrem porque a gente está buscando sempre melhorar. É uma eterna busca para fazer melhorias. Se você comparar edições anteriores, principalmente as mais velhas, vai ver que muito foi alterado”, explicou Linda.

As professoras Bárbara Souza e Maria Ísis contaram que a cada edição do programa, mudanças são instituídas, visando melhorar o aprendizado de quem participa. “Nós contávamos com duas palestras por dia. Hoje temos quatro por dia durante três semanas”, contam.

Para a editora-chefe do CORREIO, a característica principal de um participante do Correio de Futuro é bom texto. “Mas o bom texto tem que estar aliado à dedicação, comprometimento, assiduidade, empenho e entrega. São três meses de dedicação de tempo, do jornal, dos editores, das professoras, de nós todos. O que eu espero é que eles se entreguem para terem o melhor aprendizado”, concluiu Linda.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas