Passagens aéreas para Salvador ficam 21% mais caras; veja dicas para economizar

salvador
06.04.2022, 05:30:00
(Nara Gentil/Arquivo CORREIO)

Passagens aéreas para Salvador ficam 21% mais caras; veja dicas para economizar

Capital baiana é o quinto destino mais procurado do Brasil

Chegar em Salvador pelo meio aéreo não tem sido fácil para turistas e residentes. As passagens aéreas para a capital baiana registraram um aumento médio de 21% somente na primeira quinzena do mês de março deste ano, em relação ao mesmo período do mês anterior, de acordo com o metabuscador de viagens Kayak. A busca aponta apenas o destino, sem especificar a origem, considerando viagens de 15 de março a 31 de dezembro de 2022. (Confira tabela no final da reportagem). Os reajustes acompanham o petróleo no mercado internacional, por causa da guerra entre Rússia e Ucrânia, mas outros fatores estão envolvidos nessa conta. 

Salvador é o quinto destino mais procurado nacionalmente e, entre os dez primeiros da lista, ocupa o oitavo lugar no ranking de preços. Para pousar em Salvador, o preço médio da passagem está em torno de R$984. De São Paulo para Salvador, trecho mais contabilizado pelo aeroporto da capital baiana, o voo direto mais barato simulado na Kayak para esta quarta (6) custava R$1.014. 

E se chegar à capital baiana só tem sido acessível através dos ônibus, sair também está complicado. Na simulação dos principais destinos do Nordeste (Salvador, Fortaleza, Recife e Maceió) para São Paulo, Salvador fica com a passagem aérea mais cara, no valor de R$1.349. Considerando todas as nove capitais da região, Salvador fica com o quarto preço mais caro. 

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens da Bahia (Abav-Ba), Jean Gonze, o aumento de preços tem feito com que as pessoas deixem de viajar. “Outro dia eu atendi aqui na agência umas pessoas que vieram comprar passagem para Vitória da Conquista e desistiram porque só a ida estava por R$1.800. Os preços dos combustíveis estão aumentando por conta da guerra e as companhias têm que repassar, só que o bolso das pessoas não está acompanhando isso”, diz. 

Prova disso é a estudante Fabiana Passos, 21. Ela costumava pegar um avião de Salvador para visitar a família pelo menos uma vez ao ano antes da pandemia. Com familiares espalhados pelos estados do Pará e Ceará, ela estava acostumada a constantemente atualizar os sites de passagens aéreas, buscando sempre as promoções. Já chegou a encontrar valores de R$ 200 para ir e voltar de Fortaleza, e R$ 700 para Belém. “Foi-se a época; agora tive que me adaptar às longas viagens de ônibus”, diz. 

O CORREIO monitorou valores de passagens aéreas em diferentes sites, de distintas companhias aéreas. A ida e volta de Fabiana a Fortaleza, saindo de Salvador, está custando, ao menos até junho de 2022, cerca de R$ 700. Para Belém, o trajeto não custa menos que R$ 1.010, no mesmo período. 

O que justifica o aumento?

De acordo com o CEO da empresa Kennedy Viagens Corporativas, Leonardo Bastos, o custo elevado é devido ao cenário de incertezas macroeconômico. Segundo Bastos, os principais impactos causados no ramo da aviação em um primeiro momento se devem às tarifas de combustível, valor do câmbio, e preço de commodities relevantes para a indústria, como o titânio, que é utilizado para a fabricação das aeronaves.

Se o preço do petróleo subiu por conta da guerra entre Rússia e Ucrânia, o preço do querosene de aviação (QAV), subiu também. Somente os preços dos combustíveis correspondem a 30 a 45% do valor das passagens aéreas, de acordo com o empresário. Tendo em vista que, em março, o litro do querosene de aviação rompeu pela primeira vez na história a barreira dos R$ 4 nas refinarias, o aumento nas tarifas deve ser sentido ainda nos próximos meses. A dinâmica é bem diferente, no entanto, da venda do diesel e gasolina.

Para além da guerra Rússia X Ucrânia

O economista e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Cleiton Silva, explica que o motivo do aumento no preço dos combustíveis vai além da guerra entre Rússia e Ucrânia. De acordo com Silva, o movimento é resultado de um processo que começou em 2021. "Os grandes países produtores de petróleo, a nível internacional, não tem conseguido produzir o suficiente para acompanhar a demanda de energia no mundo, que está crescente após a reabertura econômica, com o arrefecimento da pandemia", afirma.

Isso resulta em um descasamento entre a demanda por energia mundial e o crescimento da oferta de petróleo no mundo. E os repasses acabam não só nas passagens, mas também se espalham por outros serviços prestados pelas companhias aéreas, como o despacho de bagagens, e até o oferecimento de refeições nos voos. Além disso, por conta da diminuição no setor das viagens de férias, as empresas também tendem a adotar a redução da quantidade de rotas, por isso, redução do quadro de funcionários, e o corte no custo das refeições nas aeronaves.

O que Salvador tem de especial nessa conta?

Para o presidente do Conselho Baiano de Turismo (CBTur), Roberto Duran, os preços elevados das passagens aéreas é um problema que começou com a pandemia e agora se acumula com a alta dos combustíveis. Mas, segundo ele, alguns estados acabam sofrendo mais do que outros devido às diferenças em relação aos impostos cobrados sobre o querosene de aviação. 

“Alguns estados sofrem mais do que outros e a Bahia, lamentavelmente, está nessa lista. Nós temos uma carga tributária em cima dos combustíveis muito elevada, é um dos combustíveis mais caros do Brasil. Falando do combustível de aviação, a situação não é diferente. A Bahia tem um elevado ICMS em cima do QAV quando comparado a outros locais. Aí esse fator vai se desdobrar em outros, como volume de fluxo e etc, que vão também impactar nos preços das passagens”, destaca Duran. 

Para o presidente da Abav, Jean Gonze, a procura por Salvador como destino de Verão foi dentro do esperado. “Tinha muita gente que deixou de viajar na pandemia e estava esperando justamente esse Verão de agora para fazer isso, então houve uma compensação”, aponta. Já Roberto Duran diz que entre fevereiro e março, houve uma queda de cerca de 10 a 15% na procura por Salvador, mas que isso se deve a ausência do Carnaval. 

Sobre os próximos meses, Gonze e Duran dizem que é difícil prever como será a procura devido à chegada da baixa estação e aos anos de 2021 e 2020 terem sido atípicos por conta da pandemia. “Mas a gente espera que o real se valorize frente ao dólar. Outro ponto que dá esperança é que estamos tendo uma retomada do turismo de evento, que envolve congressos, por exemplo”, coloca Duran.  

Sobre os valores do querosene de aviação na Bahia, a Secretaria da Fazenda (Sefaz) respondeu que foi adotado em julho de 2019 um plano de diminuição gradual para estimular o desenvolvimento da aviação regional. A alíquota máxima de ICMS sobre o QAV foi de 18% para 12% para empresas que operam no Estado.

“Para empresas aéreas que operam regularmente na Bahia, a alíquota máxima de ICMS sobre o QAV é de 12%, e a mínima, de 3%. O Estado adota um escalonamento de alíquotas de acordo com o número de municípios atendidos e assentos ofertados na Bahia pelas companhias aéreas. Quanto maior o número de municípios atendidos, menor a alíquota”, explica a nota. 

Sobre as ações que estão sendo adotadas para driblar os altos preços e possíveis cortes de voos, a Secretaria de Turismo da Bahia (Setur-BA) disse que vem trabalhando para a retomada turística do Estado no período pós-pandemia através da promoção do destino frente aos cenários nacional e internacional. A secretaria está participando durante esta semana, em São Paulo, da World Travel Market Latin America (WTM), principal feira mundial da indústria de viagens da América Latina. 

Durante o evento, a Setur-BA terá reuniões com as companhias aéreas TAP, Copa Airlines, Air France e Aerolíneas Argentinas, para discutir a atração de novos voos para a Bahia. "A Bahia tem marcado presença nas principais feiras de turismo, nacionais e internacionais. Aqui em São Paulo, o maior polo nacional na emissão de turistas para o nosso estado, vamos prospectar voos e negócios e reforçar a promoção internacional das potencialidades que oferecemos, para atrair mais investimentos e visitantes", explicou o titular da Setur-BA, Maurício Bacelar.

A Secretaria de Cultura e Turismo de Salvador (Secult) afirmou que está trabalhando na captação de mais voos internacionais para Salvador, em parceria com a Vinci, operadora do aeroporto. “O Diretor de Turismo da Secult, Barretto Jr, estará na quinta-feira, em Buenos Aires, e na sexta-feira, em Montevideo, juntamente com executivos da Vinci, onde participarão de reuniões em busca de novos voos”, informa a nota. 

A Vinci Airports, empresa que administra o aeroporto de Salvador, disse que constantemente vem anunciando novos voos e que, em abril, serão oito novos voos diários para São Paulo e quatro novos para o Rio de Janeiro. “Esses aumentos superam a oferta pré-pandemia para essas duas cidades, estabelecendo o Aeroporto de Salvador como um hub estratégico para a GOL Linhas Aéreas. Os esforços da VINCI Airports para recompor a malha aérea resultaram não só na recuperação de assentos, mas também na diversificação de destinos, com cerca de 30 opções”, destaca a nota. 

Como economizar na hora da compra?

O carioca Eduardo Quintino é uma das pessoas que têm adiado a vinda à Salvador. Ele, que morou em Lauro de Freitas nos últimos anos, e só recentemente voltou para o Rio de Janeiro, tem tentado visitar amigos e familiares que deixou pela Bahia, mas ainda não conseguiu. Quintino conta que, se antes fazia o trecho por R$ 200, agora dificilmente encontra valores inferiores a R$ 400. Por isso, dá dicas de como economizar no momento das compras.

"Eu evito comprar passagens em entradas de saídas de feriados ou final de semana, então sextas e segundas, porque é quando rola o maior fluxo de migração pendular, e também uso vários sites terceirizados, comparando passagens e preços, com antecedência", revela.

Já o baiano Matheus Vilas conta que, desde o ano passado tentava viajar para o Rio de Janeiro, mas sem sucesso, por conta dos preços. "Estava há meses procurando passagem para o Rio, e só encontrava valores acima de R$ 600 para ida e volta, cheguei a encontrar na casa dos R$ 1300 reais", diz.

Mas Vilas não desistiu da viagem, e acabou encontrando uma promoção no site 123 Milhas. "Eles têm um tipo de protocolo em que você pode comprar uma passagem promocional, mas sem a possibilidade de escolher se o voo tem escala ou não, nem o horário da viagem. Além disso, deve estar disponível um dia antes ou depois das datas que escolheu para viajar, porque tudo pode ser mudado de última hora". Foi assim que conseguiu a passagem por R$ 273.

A médica Walquiria Lima, por sua vez, conta que costuma viajar para Maceió uma vez ao ano, para ver a família. Mas tem adiado o máximo que pode desde o ano passado, por conta dos altos custos. "Estou priorizando viagens de carro, mas também monitoro os sites promocionais. Uso o site Melhores Destinos, para passagens de avião, e pacotes turísticos, é onde encontro as melhores promoções", finaliza.

Simulação na Kayak de voos diretos de ida de São Paulo para as capitais nordestinas para o dia 06/04:

  • São Paulo - São Luís - R$2.786
  • São Paulo - Natal - R$2.513
  • São Paulo - Fortaleza - R$1.760
  • São Paulo - Teresina - R$1.546
  • São Paulo - João Pessoa - R$1.410
  • São Paulo - Aracaju - R$1.155
  • São Paulo - Salvador - R$1.014 
  • São Paulo - Recife - R$1.079
  • São Paulo - Maceió - R$960

Simulação na Kayak de voos diretos de ida das capitais nordestinas para São Paulo para o dia 06/04:

  • Teresina - São Paulo - R$2.839
  • São Luís - São Paulo - R$1.926
  • João Pessoa - São Paulo - R$1.412
  • Salvador - São Paulo - R$1.349
  • Fortaleza - São Paulo - R$1.287
  • Aracaju - São Paulo - R$1.160
  • Recife - São Paulo - R$971
  • Maceió - São Paulo - R$965
  • Natal - São Paulo - R$819

Tabela com os preços dos 10 destinos nacionais mais procurados: (Fonte: Kayak) 

Destinos Nacionais Mais Buscados no Período Citado Preço Médio Variação Mensal do Preço
Maceió R$1,510 12%
Natal R$1,495 19%
Fortaleza R$1,209 22%
Recife R$1,177 20%
Florianópolis R$1,132 45%
Porto Alegre R$1,077 28%
São Paulo R$989 40%
Salvador R$984 21%
Rio de Janeiro R$982 40%
Brasília R$956 41%

Confira sites promocionais para compra de passagens aéreas:

1. Passagens Promo

2. Kayak

3. SkyScanner

4. MaxMilhas

5. ViajaNet

6. Melhores Destinos

7. Decolar.com

8. Expedia

9. Google Flights

10. Submarino Viagens


*com orientação da subchefe de reportagem Monique Lôbo

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas