'Paxtel e Poxinha': Gugu e namorado dividiam Netflix e tinham apelidos carinhosos

em alta
07.05.2020, 10:54:00
Atualizado: 07.05.2020, 10:55:11

'Paxtel e Poxinha': Gugu e namorado dividiam Netflix e tinham apelidos carinhosos

Conheça a história de amor entre o apresentador e Thiago Salvático

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foto: Reprodução

A morte de Gugu Liberato continua trazendo à tona diversos detalhes sobre a vida do apresentador. Uma das 'bombas' reveladas é de que Gugu viveu um relacionamento homossexual de sete anos com o chef de cozinha Thiago Salvático, que briga na Justiça por parte da herança bilionária do ex-Record.

Para obter a sua divisão da bolada, Thiago reuniu diversos documentos, fotos e conversas entre os dois para comprovar a união estável. Um detalhe que chama a atenção é que os dois trocaram apelidos carinhosos de casal: 'Poxinha' e 'Paxtel' - não se sabe quem é quem.

O documento divulgado pelo site Notícias da TV também conta que Thiago e Gugu se conheceram em um voo entre São Paulo ao Rio de Janeiro. Por terem se sentado lado a lado na viagem, foram conversando durante o trajeto e trocaram e-mails assim que desembarcaram. Somente em fevereiro de 2012 o apresentador enviou a primeira mensagem, e a partir daí passaram a se falar diariamente por telefone. 

Em maio daquele ano fizeram a primeira viagem juntos. Foram para Milão, na Itália, e se hospedaram em quartos separados. Já instalados, passaram duas horas conversando nos aposentos do apresentador e antes de descerem para o jantar no restaurante do hotel, deram o primeiro beijo. 

Ficaram poucos dias juntos e só voltaram a se encontrar em outubro do mesmo ano, desta vez na casa de Gugu na cidade de Barueri (SP). Decidiram passar o fim de semana em Búzios (RJ) e viajaram com o jatinho particular do apresentador. 

Após os dias juntos, Thiago retornou para a Alemanha, e mantiveram contato diário. Eles se reencontraram somente em julho de 2013, em uma viagem romântica pelo sul da Itália, passando por Ísquia e Positano. Foi nesta ocasião que eles tiveram a primeira relação sexual. Em agosto do mesmo ano, em um hotel de luxo em Istambul (Turquia), o apresentador o teria pedido em namoro.

Foram anexados ao processo comprovantes das inúmeras viagens que fizeram juntos ao redor do mundo. O processo lista mais de 40 destinos, como Espanha, Ilhas Maldivas, Dubai, Finlândia, Áustria, África do Sul, México e França. Diversas fotos dos dois juntos também constam no processo. 

Ainda de acordo com o Notícias da TV, a defesa incluiu ainda trechos de inúmeras conversas que tiveram por meio do aplicativo WhatsApp. Nos textos constam os apelidos carinhosos do casal: "Paxtel" e "Poxinha". 

No processo, a defesa de Thiago diz que foi numa viagem à Suíça, realizada em novembro de 2016, que ocorreu a conversa que definiu o novo status do relacionamento. Eles teriam assumido o compromisso de ficarem juntos para sempre e formarem uma família. 
Há diversos relatos íntimos do casal. 

Thiago afirma que no último aniversário celebrado por Gugu, em 10 de abril de 2019, eles estavam em Sintra (Portugal) e pediu para que o músico do restaurante em que jantavam tocasse Chariots of Fire, música-tema do filme Carruagens de Fogo (1981), composição instrumental que fazia parte da história do casal. 

Ele também cita a última viagem que fizeram juntos, entre 17 outubro e 4 de novembro de 2019. No último dia de turismo, o perfil oficial do Power Couple Brasil havia sido invadido e noticiado a morte do apresentador. Eles estavam em Singapura e de lá o apresentador publicou no Instagram uma foto da piscina do hotel em que se hospedaram para dizer que estava vivo. 

Retornaram ao Brasil e ficaram juntos até 15 de novembro, e Gugu precisou retornar a Orlando (EUA) para resolver problemas com seus filhos. Uma semana depois, Thiago foi notificado por Nilton Moura, motorista e confidente do apresentador, sobre o acidente doméstico que o matou. 

Na ação, a defesa do chef de cozinha argumenta que o envolvimento entre os dois não tinha mais como evoluir em termos afetivos, e que o acordo verbal selado em novembro de 2016, quando combinaram de passar o resto de suas vidas juntos e constituir família, configura a relação como uma união estável. 

Entre as provas a seu favor, é dito que o casal compartilhava cartões de crédito e que Thiago tinha as senhas dos cartões pessoais de Gugu. Além disso, possuíam investimentos em conjunto administrados por ambos. E também cita os serviços de streaming que compartilhavam.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas