Perdeu o emprego na pandemia? Saiba como se recolocar no mercado

empregos
03.08.2020, 06:00:00
A pandemia e a quarentena não ajudam no processo de recolocação no mercado profissional, a estratégia certa ajuda a mudar esse quadro (Shutterstock/reprodução)

Perdeu o emprego na pandemia? Saiba como se recolocar no mercado

Especialistas dão dicas para garantir novas oportunidades de trabalho em tempos de crise

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A última Pesquisa Nacional de Desenvolvimento (PNAD)mostrou que a taxa de desemprego passou de 11,8%, na semana de 31 de maio a 6 de junho, para 12,4%, entre 7 a 13 de junho. A pandemia e a quarentena não ajudam no processo de recolocação no mercado profissional, no entanto, especialistas mostram que, com a estratégia certa, é possível conseguir uma recolocação profissional, mesmo nesses tempos. 

A diretora de operações da consultoria LHH no nordeste Mariângela Schoenacker diz que num momento como esse, é fundamental buscar se atualizar na sua área de atuação, estar atento ao que acontece no mercado, ter claro como pode contribuir para as empresas e se preparar bem para os processos seletivos. “Só quem conseguir mostrar o seu diferencial, vai conseguir se recolocar”, ressalta, lembrando que, desde o início da pandemia, os processos de recrutamento em seleção têm sido feitos de maneira virtual. 

Mariângela Schoenacker enfatiza a necessidade de ativar os contatos profissionais, seja através das redes sociais, entre os amigos ou nos sites especializados (Foto: Divulgação)

“Portanto, é importante que os profissionais tenham seu LinkedIn e redes sociais atualizados para que sejam localizados com facilidade, dediquem tempo e foco na resposta dos testes e ferramentas online, pois estão sendo as ferramentas mais comuns de pré-seleção dos candidatos que serão entrevistados, e se preparem para entrevistas online com uma ou mais pessoas”, completa.

A orientação é partilhada pela especialista de Recursos Humanos da VAGAS.com. Patrícia Beltran, que sugere que o profissional aproveite o momento para desenvolver conhecimentos e habilidades. “A atualização é sempre importante e aumenta as chances no processo de recolocação. Busque instituições sérias que estejam ofertando cursos gratuitos ou com valores de baixo custo, invista seu tempo e foco nesse aperfeiçoamento, isso dará um “up” no seu currículo”, orienta. 

Além disso, ela sugere o acesso e a candidatura às plataformas de emprego. “Mas lembre-se que é importante que você tenha todos os requisitos da vaga. Além de aumentar as suas chances, isso fará com que o sistema apresente oportunidades que realmente são compatíveis com seu perfil e interesse profissional”, complementa.

Contatos profissionais

Nas redes sociais, a sugestão de Patrícia é que o profissional siga os grupos específicos de sua área de atuação, e # do momento que demonstram oportunidades em aberto, como o #vaipassar. “Ainda há listas com contatos de pessoas em busca de recolocação que estão circulando e os RH’s as têm utilizado na busca de candidatos”, diz.  

Mariângela Schoenacker pontua que é importante ficar atento as oportunidades no LinkedIn, Vagas.com, Infojobs, Glassdoor. “Mas além de ficar atento estes sites, deve manter contato com profissionais de empresas de recrutamento & seleção ou amigos de empresas que você sabe que têm muito a contribuir. Assim, eles podem te informar de vagas assim que elas forem abertas”, orienta.

Se o candidato a uma vaga de trabalho está estudando uma mudança de carreira, a sugestão de Patrícia Beltran é que ele defina o que quer fazer e entenda quais competências precisa desenvolver. Caso esteja buscando uma alternativa de trabalho neste momento tão incerto, há algumas maneiras de se encontrar: a 1ª é investir nos seus talentos e ofertá-los ao mercado.

“Por exemplo, se você faz um bom brigadeiro, invista nele e apresente aos seus vizinhos. Outra forma alternativa seria buscar oportunidade em áreas que não pararam, como os serviços essenciais: varejo, alimentício, saúde e limpeza”, sugere. Entre os mercados mais aquecidos hoje estão os de tecnologia, saúde, seguros, ensino a distância, produtos de limpeza, entretenimento online e logística.

Perfil ideal

Mariângela enfatiza que, hoje, o mercado busca profissionais que tenham a capacidade de aprender e se atualizar constantemente. “Num cenário de incertezas é muito importante que o profissional tenha pensamento sistêmico, capacidade de adaptação e tenha agilidade para atuar em diferentes cenários”.
Dessa forma, num novo emprego, a atitude e o perfil desejado precisa ser de um profissional de atitude proativa, capaz de se atualizar constante vai contar pontos.

A representante da LHH também enfatiza as habilidades socioemocionais, tais como trabalho em equipe, comunicação, capacidade de resolução de problemas complexos, pensamento crítico, criatividade, gestão de pessoas, inteligência emocional, capacidade de julgamento e tomada de decisão, orientação para servir, negociação, flexibilidade cognitiva e capacidade de coordenar projetos com pessoas de diferentes níveis trabalhando juntos. “As habilidades socioemocionais desenvolvidas vão ajudar você a se diferenciar neste contexto de mercado competitivo, onde profissionais mais polivalentes estão sendo procurados”, afirma Mariângela.

Outro aspecto destacado pelas especialistas diz respeito ao comportamento de achar que ‘qualquer coisa serve’, que para elas não é uma boa atitude profissional. “As empresas querem profissionais verdadeiros e com garra para fazer as coisas acontecerem. Dizer ‘qualquer coisa serve’ é sinônimo de desespero e acomodação, pois está deixando na mão da empresa a escolha da sua carreira”, pontua Mariângela.

Kerullen Pimenta de Sá sugere abandonar a fala de 'qualquer coisa serve' e focar na vaga desejada e esperar a oportunidade certa (Foto: Divulgação)

A gerente de Serviço & Qualidadde da Adecco, Kerullen Pimenta de Sá diz que aceitar uma oportunidade por aceitar não deixará o profissional feliz. “Provavelmente não irá performar como deveria, e sempre estará de olho no mercado, e na primeiro oportunidade sairá da empresa, prejudicando quem o contratou. Então se for possível, o ideal é esperar a oportunidade certa”, conclui. 


Um currículo vencedor não pode ter mais de 2 páginas e deve conter as seguintes informações:

1º - CABEÇALHO  
Nome 
Endereço de e-mail e o LinkedIn  
Telefone de contato 
Não incluir foto 
 
2º - OBJETIVO - Escreva aqui a posição que está buscando oportunidade no mercado de trabalho (Ex: Recepcionista, Operador de Maquina, Auxiliar de Produção. 
 
3º. RESUMO DAS QUALIFICAÇÕES:  
Resumo da trajetória, vivências, experiências mais relevantes para os objetivos pretendidos. Habilidades, diferenciais e qualificações técnicas, que deixem claro como pode contribuir para o mercado 
 
4º - FORMAÇÃO ACADÊMICA   
(Coloque aqui sua formação, 2º grau completo, graduação, pós-graduação) 
Escreva a formação, a instituição e o ano que concluiu.  
 
5º - EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL  
Sempre escreva primeiro suas últimas experiências.  
Coloque o  nome da empresas, tempo de permanência , cargos ocupados e responsabilidades/ realizações.
As empresas querem saber como você contribuiu para os resultados da empresa, portanto suas realizações escritas de maneira sucinta é fundamental.

6º -CURSOS 
Escreva todos os cursos que fez, sempre colocando os últimos cursos primeiro. (A ordem aqui é do último para o primeiro). 
Só escreva os cursos mais relevantes para a função onde está se candidatando.  

Como se preparar bem para as entrevistas de emprego?

  1. Deixe o seu currículo atualizado, e saiba contar a sua história com começo, meio e fim, demonstrando que você sabe qual é o seu objetivo de carreira. 
  2. Pesquise sobre a empresa, os valores da companhia, história, tempo que atua no mercado e serviços/produtos oferecidos, como está o mercado do segmento que ela atua, e procure sobre as últimas notícias. 
  3. Hoje a escolha não é só por parte da empresa, mas o candidato também deve escolher a empresa em que vai trabalhar, pois o fit cultural, a identificação com os valores é muito importante. 
  4. Seja pontual, programa-se para estar disponível ou chegar no local com pelo menos 10 minutos de antecedência. 
  5. Procure vestir-se de maneira mais formal, pense sempre na imagem que você gostaria de passar para o outro, mas entenda o perfil da empresa, pois pode ser que um traje esporte fino também seja bem-vindo nessa ocasião.

Fonte: Kerullen Pimenta de Sá, Gerente de Serviço & Qualidade da Adecco

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas