Pesquisadores da Uefs criam nova ferramenta de cálculo de casos de covid-19

coronavírus
12.07.2020, 11:54:00
Atualizado: 12.07.2020, 12:01:20

Pesquisadores da Uefs criam nova ferramenta de cálculo de casos de covid-19

Estudo indica aceleração instantânea de casos da doença

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A cada dia, os boletins informam a situação atual da covid-19 nos locais e estas ocorrências de casos confirmados vão revelando se estamos perto ou longe de vencer a guerra contra a doença. Nesta semana, a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) divulgou que pesquisadores da instituição desenvolveram um novo tipo de cálculo que pode ajudar a entender ainda mais a tal curva de casos. A ideia é poder contribuir para que as autoridades possam tomar melhores decisões de saúde pública.

Publicado na revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, o modelo matemático proposto ajuda a enxergar e comparar as curvas da pandemia, quantificando a aceleração dos novos casos diários confirmados e também das mortes. A princípio, é preciso entender que a curva epidemiológica de casos novos ou óbitos num gráfico apresentam três níveis: fase de crescimento, pico e queda.

Professor do curso de Medicina da Uefs, Airandes de Sousa Pinto explica que a avaliação do avanço atualmente tem sido feita de forma qualitativa, na base “do olho”. Se está mais para cima, indica mais casos a cada dia; se está caindo, menos casos a cada dia. O novo modelo permitiria, de fato, calcular a variação instantânea, o valor numérico em cada ponto da curva. 

“Como não é uma reta, muda a cada instante. Tão importante quanto saber o número de casos novos por dia, é saber como estes casos estão acelerando, qual a força de crescimento destes casos. Então, o gestor tem como avaliar quantitativamente, por números, qual o efeito de suas medidas”, explica o pesquisador, que desenvolveu a ferramenta durante seu doutorado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde estudou doenças cardiovasculares.

Com a chegada da pandemia, o modelo do doutorado foi adaptado para a análise das curvas de covid-19.

O trabalho contou ainda com a contribuição de outros pesquisadores da Uefs, como Carlos Alberto Rodrigues, professor de Ciências da Computação; do professor Edval Gomes dos Santos Júnior, do curso e dos estudantes Paulo Cesar Mendes Nunes e Matheus Gomes Reis Costa, todos de Medicina. Participou ainda Manoel Otávio, titular de clínica médica da UFMG e reconhecido na área de pesquisa em infectologia.

O estudo pode ser conferido aqui.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas