Pioneirismo: Hospital Santa Izabel completa 128 anos; conheça a história da unidade

salvador
30.07.2021, 05:20:00
Atualizado: 30.07.2021, 14:55:32
(Divulgação/Santa Casa de Misericórdia)

Pioneirismo: Hospital Santa Izabel completa 128 anos; conheça a história da unidade

Por ano, são realizados 635 mil procedimentos e 17 mil cirurgias

O Hospital Santa Izabel (HSI) completa 128 anos nesta sexta-feira, 30, mas sua história é mais antiga e se confunde com a fundação de Salvador. Originário do Hospital da Caridade, da Santa Casa de Misericórdia da Bahia, criada em 1549, na construção da capital, em 1893 é que a unidade se instalou em Nazaré, onde está até hoje. Em comemoração à data, a Santa Casa promove celebração ecumênica, logo mais, às 11h, na capela do hospital. Haverá transmissão online pelo Instagram (@hospitalsantaizabel).

Nesses 128 anos da história mais recente, 26 foram vividos pelo cardiologista Joberto Sena. As três residências médicas dele foram no hospital, onde também começou a trabalhar em 2005. “Aqui é minha casa”, afirma. Especializado em cirurgias cardíacas minimamente invasivas, Joberto Sena conta que o Santa Izabel é líder nessa área.

"O que mais revolucionou, não só na cardiologia, mas na medicina, foi o implante de Implante Percutâneo de Válvula Aórtica (TAVI), que foi feito no mundo, pela primeira vez, em 2002, e no Santa Izabel, em 2010. Acompanhamos de perto a evolução desse método, que teve grande avanço, tanto pelo custo, quanto pelo benefício que traz aos pacientes. Mês passado, fizemos três dele no mesmo dia, coisa que era inimaginável anos trás”, explica o médico.  

O TAVI é feito para pacientes com problema na valva aórtica, a principal do corpo humano, com contraindicação a cirurgias. Os sintomas da doença são falta de ar, dores no peito, tonturas e cansaço. O centro de hemodinâmica do Santa Izabel é o maior do Norte Nordeste e o laboratório de hemodinâmica e cardiologia é certificado com o selo diamante, o mais alto de qualidade, concedido pela Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI).   

Mas esse não foi único método inovador do hospital. O Santa Izabel é pioneiro no diagnóstico da cardiopatia congênita na Bahia e foi a primeira unidade hospitalar do Brasil a realizar pesquisas que contribuíram para a cura da Doença de Chagas.  

Leia mais: Santa Izabel é destaque nacional em intervenções cardíacas pouco invasivas

As primeiras cirurgias robóticas, feitas em 2019, já são rotina. Em dois anos, mais de 700 cirurgias foram realizadas com robôs, uma média de 29 por mês.

Santa Izabel é pioneiro em realização de cirurgia robótica na Bahia. Crédito: Divulgação. 

Para Joberto Sena, esse investimento em pesquisa e inovação é o diferencial do hospital. Ele também atua no Hospital Aliança, São Rafael, Português e Hospital da Bahia. “A área da cardiologia depende muito de tecnologia, tanto de dispositivos, quanto de equipamentos. E o Santa Izabel sempre foi pioneiro, vários equipamentos de ponta estão instalados aqui, são três salas de hemodinâmica com 115 exames feitos por dia, e a robótica também é muito forte”, relata.  

Com a pandemia da covid-19, o setor da cardiologia teve uma diminuição no número de pacientes, mas já voltou ao normal, desde final do ano passado. A média de procedimentos feitos por dia pelo médico varia entre 15 a 16. Os mais solicitados são cateterismo e angioplastia.  

Na oncologia, os diagnósticos têm sido mais tardios, pela baixa frequência do paciente no hospital. Quando ele chega, o quadro da doença já está mais avançado. Segundo oncologista clínica e presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), Clarissa Mathias, 53, os mais comuns tipos de câncer são o de mama, em mulheres, e de próstata, em homens.  

Ela faz do grupo clinico do Santa Izabel, com serviço de radiologia, há 7 anos e da oncologia clínica há 1 ano. A medicina e o Santa Izabel estão na veia da família: seu avô também foi médico no hospital e a filha dela fez residência. “É um hospital que combina tradição com modernização, onde temos a melhor emergência da cidade, seja em termos de fluxo ou estrutura”, defende.  

Hospital tem mais de 40 especialidades médicas. Crédito: Divulgação. 

Na sua especialidade, o principal é o trabalho em equipe. “Dentro da oncologia, a gente trabalha com multidisciplinaridade. Buscamos dar um serviço completo, integrado, em termos de diagnóstico, tratamento para todos os tipos, com cirurgia robótica, cirurgia guiada por PET, e, o mais importante, com atendimento humanizado e acolhedor, dialogando com a psicologia, nutrição, cardiologia, e outras áreas", explica Clarissa.  

Diagnóstico de câncer de próstata 
Quando o assunto é diagnóstico de câncer de próstata, o hospital também está na vanguarda. No final de 2019, começou a ser feita a localização da doença em estágio precoce, pela tecnologia PET – PSMA, de forma pioneira. Ela só localiza o câncer naqueles pacientes que já tiveram. Através da molécula radioativa PSMA (Prostate-specific Membrane Antigen), ocorre o ligamento da mesma com a membrana da próstata, especificamente no local do tumor.  

“A gente consegue rastrear onde está o tumor, quando ele retorna. Isso aumenta 50% as chances de diagnóstico, do que uma ressonância ou tomografia, e também podemos usar essa técnica dentro da cirurgia ou com a finalidade de tratamento para doenças em estágio avançado”, esclarece a médica especialista em medicina nuclear, Adelina Sanchez, que há 12 anos trabalha no Santa Izabel.  

Esse tipo de tratamento, pela molécula PSMA, só é feito no Santa Izabel em toda a Bahia. No último trimestre, pela primeira vez no Brasil, a equipe de Adelina conseguiu localizar uma doença que até então desconhecida no paciente. “Conseguimos localizar uma doença que ninguém estava achando, colocando uma sonda no intraoperatório”, conta.  

Diagnóstico por molécula PSMA é uma das inovações trazidas pelo hospital. Crédito: Divulgação.

Tratamento humanizado 
Outro diferencial da casa é o serviço de psicologia hospitalar, o qual é coordenado, atualmente, pela psicóloga Ana Lúcia Freitas. Ela foi a primeira psicóloga que o hospital teve e trabalhava antes, em 1993, na ala de pediatria, que era anexa ao hospital. Vinte quatro anos depois, ela coordena uma equipe de 14 psicólogos, que fazem o acompanhamento de pacientes e familiares.  

“Vi o serviço de psicologia sendo construído, se estruturando, crescendo em todos os sentidos, garantindo a qualidade da assistência e prestando um trabalho de humanização. Tenho muito orgulho”, relata Ana Lúcia. Com a pandemia, o serviço tem sido ainda mais requisitado. "Temos feito mais o trabalho de luto antecipatório com mais frequência, porque muitas pessoas estão perdendo seus entes queridos e próximos, às vezes com duas pessoas da mesma família em internamento no hospital. Esse processo de luto sempre foi trabalhado, sobre como preparar a notícia ao paciente, mas se acentuou mais”, narra.  

Dentre os momentos mais memoráveis que passou no hospital, ela cita o casamento que ocorreu na capela do hospital, em novembro de 2010. Ele foi realizado entre o paciente Manoel de Almeida e Bernardete Oliveira. Manoel estava internado em estado grave na UTI, acompanhado de equipamento de ventilação mecânica por mais de 60 dias - relembre aqui. Outras ações como essa foram feitas pelo hospital, como piquenique no Farol da Barra, sorvete na Ribeira e acompanhamento de pacientes em jogos e treinos de futebol.  

Número um da Bahia 
Essa atuação do hospital rendeu reconhecimentos. No primeiro semestre de 2021, ficou em primeiro lugar no ranking de melhores hospitais publicado pela Newsweek, sendo o melhor da Bahia. O critério para a escolha são recomendações de médicos e pesquisas com pacientes. 

O hospital se classifica como uma unidade de alta complexidade em saúde, e presta atendimento multidisciplinar a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), de operadoras de saúde e particulares. Ao todo, são mais de 40 especialidades (veja lista no final da matéria), com uma equipe de 3.500 profissionais. A área construída do hospital tem 50,7 mil m², com 500 leitos, 80 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), três salas de hemodinâmica e 13 salas de cirurgia.  

O HSI também tem equipamentos de terapia guiada por imagem para realização de procedimentos minimamente invasivos. A tecnologia contribui na qualificação do atendimento prestado pelas equipes aos usuários do SUS e conveniados de operadoras de saúde, nas especialidades de Cardiologia Intervencionista, Angiologia Vascular, Neuro Intervenção, Radiologia Intervencionista e Eletrofisiologia. 

Especialidades do Hospital Santa Izabel: 
Alergologia 
Anestesiologia 
Angiologia 
Arritmologia 
Buco Maxilo 
Cabeça e Pescoço 
Cardiologia 
Cardiologia Pediátrica 
Cirurgia Plástica 
Cirurgia Vascular 
Cirurgia Geral 
Cirurgia Pediátrica 
Cirurgia Torácica 
Cirurgião Cardio Adulto 
Clinica Medica 
Coloproctologia 
Cuidados Paliativos 
Dermatologia 
Endocrinologia 
Enfermagem 
Fonoaudiologia 
Gastroenterologia 
Ginecologia 
Hematologia 
Infectologia 
Mastologia 
Neurocirurgia 
Neurologia 
Nutrição 
Nutrólogo 
Oncologia Cirúrgica 
Oncologia Clínica 
Oncologia Hemato 
Ortopedia 
Otorrinolaringologia 
Pneumologia 
Psicologia 
Proctologia 
Radiologia Intervencionista 
Urologia 
Clinica da Dor 
Fisioterapia 
Reumatologia 
Traumatologia 

*Com a orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro  

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas