PM mata homem que descumpriu medida protetiva e foi visitar ex-namorada

salvador
07.11.2019, 09:12:00
Atualizado: 07.11.2019, 21:09:42

PM mata homem que descumpriu medida protetiva e foi visitar ex-namorada

Caso aconteceu no bairro Monte Serrat, em Salvador; PM se apresentou 

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Eric dos Santos Queiroz, 23 anos, não aceitava o fim do relacionamento com a ex-namorada. Mesmo sabendo que a mulher estava amparada por uma medida protetiva que proibia que se aproximasse, decidiu procurar a jovem, na manhã de quarta-feira (6), no bairro de Monte Serrat, em Salvador.

Lá, chegou gritando e fazendo ameaças. Ao retornar para casa, foi agredido e baleado por um soldado da Polícia Militar que não teve o nome divulgado. Baleado na cabeça, Eric foi socorrido para o Hospital Agenor Paiva, no Caminho de Areia, mas precisou ser transferido para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde morreu na manhã desta quinta-feira (7), por volta das 7h. 

Eric foi morto com tiro disparado por PM, irmão de sua ex-namorada
Foto: Reprodução/Tailane Muniz/CORREIO

Segundo ocorrência registrada no posto da Polícia Civil da unidade de saúde, Eric estava ciente da decisão judicial que determinou o afastamento da ex-namorada. “A irmã da vítima diz que ele recebeu a intimação que comunicava a medida protetiva, mas não conseguia aceitar a separação”. 

O documento diz ainda que, a princípio, o crime foi registrado como tentativa de homicídio pela delegada plantonista, Darlene Palafois, a ser investigado pela 3ª Delegacia (Bonfim). Após a morte, contudo, o caso está sob a investigação do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

A Polícia Civil informou, em nota, que a 3ª Delegacia de Homicídios (DH/BTS) investiga a morte de Eric. "A vítima foi socorrida para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde não resistiu aos ferimentos. O suspeito é um policial militar e ex-cunhado da vítima", disse, em nota. 

Pela manhã, a Polícia Civil e a família do jovem assassinado disseram ao CORREIO que o policial que matou Eric era irmão da mulher que tem a medida protetiva. Mas à noite, em contato com o jornal, a vítima afirmou que não tem irmão policial e nenhuma relação com o PM que matou Eric. Sem se identificar, ela contou que o policial à paisana foi até ao local depois que ela informou que Eric estava descumprindo a medida protetiva. O PM encontrou com Eric e o rendeu, mas ele teria reagido e, por isso, o policial atirou. Ela disse que já foi ouvida no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

O corpo de Eric, que segundo as informações preliminares estava desarmado, foi levado para o Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IMLNR), onde aguarda a identificação de familiares.

Segundo apurou o CORREIO, o PM se apresentou com a arma utilizada na Corregedoria da corporação.

Procurada pela reportagem, a Polícia Militar ainda não retornou contato.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas