PoderData: Lula amplia vantagem e venceria Bolsonaro por 52% a 34% no 2º turno

brasil
14.04.2021, 21:54:06
Atualizado: 14.04.2021, 22:06:14
(Reprodução)

PoderData: Lula amplia vantagem e venceria Bolsonaro por 52% a 34% no 2º turno

Pesquisa aponta que Lula e Huck ganhariam de Bolsonaro; Já Moro, Ciro e Doria ficariam empatados com o atual presidente

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O site Poder360 divulgou, na noite desta quarta (14) mais uma rodada da Pesquisa PoderData para disputa da presidência da República, que ocorrerá em 2022. A pesquisa, realizada em todo o Brasil com 3.500 entrevistas nesta semana, entre os dias 12 e 14 de abril, indica que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teria 18 pontos de vantagem sobre Jair Bolsonaro (sem partido) num possível 2º turno. O petista teria 52% contra 34% do atual presidente. Na pesquisa anterior, Lula tinha 41% e Bolsonaro 36%

Em meio ao pior momento de impacto da pandemia de coronavírus, com alto número de mortes e incertezas sobre a recuperação da economia, a pesquisa PoderData mostra uma piora das intenções de voto para o presidente Jair Bolsonaro na comparação com um mês antes, quando apenas Lula e Ciro Gomes (PDT) o venceriam em um possível 2º turno. Na pesquisa desta quarta, Bolsonaro não ganha de ninguém fora da margem de segurança.

Segundo o PoderData, Bolsonaro perderia hoje num confronto direto para Lula (52% X 34%) e para o empresário e apresentador da TV Globo Luciano Huck (48% X 35%).

Contra outros três possíveis candidatos testados, Bolsonaro ficaria apenas em situação de empate técnico (a margem de erro da pesquisa é de 1,8 ponto percentual, para mais ou para menos): Bolsonaro 38% X 37% João Doria (PSDB); Bolsonaro 38% X 37% Sergio Moro (sem partido); Bolsonaro 38% X 38% Ciro Gomes.

O governador de São Paulo João Doria teve um crescimento significativo de 31% para 37% em duas semanas na simulação de 2º turno contra Bolsonaro. Mesmo crescimento registrado no caso do ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro (de 31% para 37%) na simulação de 2º turno. 

O apresentador Luciano Huck teve um crescimento ainda maior que Doria e Moro. Em duas semanas, ele saiu de 40% para 48%. Huck e Moro, além de Doria, são sempre citados como possíveis nomes da corrente denominada “de centro” e que gostaria de ter um candidato em 2022  fora da disputa Bolsonaro-Lula.

Além de Bolsonaro, quem também variou negativamente dentro da margem de erro na simulação de 2º turno foi Ciro Gomes (de 39% para 38%). Além disso, no cenário de confronto direto contra Ciro, Bolsonaro saiu de 34% para 38%. Há duas semanas, Ciro venceria. Agora, está empatado com o atual presidente.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, a divisão de estudos estatísticos do Poder360. De acordo com o PoderData foram 3.500 entrevistas em 512 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 1,8 ponto percentual. 

Simulação de 1º turno

O cenário de 1º turno testado pelo PoderData (apenas uma hipótese) apresentou estabilidade entre os líderes da pesquisa. Bolsonaro tinha 30% duas semanas atrás e agora está com 31%, uma variação dentro da margem de erro de 1,8 ponto percentual. Lula tinha 34% e ficou com o mesmo percentual agora.

Na parte de baixo, houve algumas variações, a maioria dentro da margem de erro. Ciro e Huck que tinham 5% e 4%, respectivamente, agoram têm 6%. Amoêdo, que tinha 3%, agora tem 5%. Doria tinha 3% e agora tem 4%, enquanto Moro que tinha 6% agora tem 3%. O ex-ministro Mandetta aparece com 2%, mesmo número de duas semanas antes. Brancos e nulos passaram de 10% para 7%, enquanto não sabem de 3% para 2%. A eleição presidencial está marcada para 2 de outubro de 2022.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas