Polícia prende taxista envolvido em crime na Praia de Jaguaribe

salvador
07.01.2021, 15:33:00
Atualizado: 07.01.2021, 17:01:00
(Alberto Maraux/SSP)

Polícia prende taxista envolvido em crime na Praia de Jaguaribe

Homem assumiu que táxi foi usado por criminosos na fuga

Um terceiro envolvido no crime que deixou três mortos na Praia de Jaguaribe, na última terça-feira (5), foi preso pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). 

O criminoso preso é o motorista do táxi utilizado para levar os dois atiradores até a praia e, depois, dar fuga a eles. Além dele, já foram presos também os motociclistas que foram ao local do crime momentos antes, para verificar se tinha alguma blitz ou presença de policiais nas redondezas.

Após a informação dos motociclistas de que a barra estava limpa, os dois atiradores chegaram de táxi ao local, que foi embora da praia e ficou esperando os bandidos em outro ponto. Após o tiroteio, os atiradores subiram nas duas motos dirigidas pelos capangas e fugiram de forma rápida, encontrando o táxi que os deixou mais à frente e usando o veículo para chegar ao destino que queriam. 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, o táxi foi identificado através de imagens de câmeras de segurança. Com as imagens, os investigadores descobriram o número do táxi e o modelo do carro utilizado pelos criminosos, um Chevrolet Spin.

Uma campana foi montada na Avenida Vasco da Gama e, quando o motorista apareceu para entrar no táxi, foi preso. Em conversa inicial, o homem  confessou que participou do crime. Ele já tem passagens por receptação de veículo roubado.

O criminoso e o veículo foam encaminhados para o DHPP.

Crime
Por volta das 15h desta terça-feira (5), banhistas se divertiam na Praia de Jaguaribe, quando um grupo de cinco homens armados invadiu a faixa de areia atirando. O alvo da ação era Lucas Santos da Cruz, 27 anos, que correu, mas foi alcançado e morto no local. A estudante de biomedicina na Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Juliana Celina da Santana Silva Alcântara, 20, e o adolescente, Igor Oliveira Lima Filho, 16, que não tinham nenhum envolvimento com os criminosos, estavam na linha dos tiros e acabaram sendo atingidos e mortos. 

A mãe de Juliana Celina estava na hora quando a filha foi baleada e passou mal, precisando ser socorrida e medicada. Um outro rapaz que estava na praia, André Luiz Cunha dos Santos, que também não tem envolvimento com a criminalidade, foi atingido e sobreviveu. Ele foi levado para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde passou por cirurgia.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas