Policial que estuprou detenta em sala de delegacia vira réu

brasil
05.05.2022, 14:30:39
(Divulgação/PCMS)

Policial que estuprou detenta em sala de delegacia vira réu

A denúncia foi feita por outros presos recolhidos na mesma delegacia, que ouviram o choro da vítima no Mato Grosso do Sul

O investigador da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul, Elbesom de Oliveira, de 41 anos, se tornou réu em processo no qual é acusado pelo Ministério Público daquele estado de estuprar mais uma vez uma detenta de 28 anos, recolhida na delegacia de Sidrolândia (MS). O policial foi preso em 12 de abril, após denúncia feita por detentos da unidade. 

De acordo o relato dos outros presos, feita um dia antes da prisão do investigador, o policial retirou a vítima da cela em que estava e a levou para a “Sala Lilás”, espaço da unidade policial dedicado ao atendimento de mulheres vítimas de violência de gênero. Lá, segundo os relatos, a detenta sofreu abuso sexual. 

Conforme o boletim de ocorrência, os detentos, que haviam tido o silêncio "comprado" com um celular, solicitaram a presença de uma delegada da cidade. O grupo afirmava estar com um celular, o que chegou a ser questionado por policiais, mas só esclarecido após a chegada da delegada. Para ela, os detentos disseram ter escutado a vítima chorando na noite anterior, ocasião em que ela revelou ter sido abusada sexualmente pelo investigador.

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) recebeu a denúncia do MPMS, nesta terça-feira (3). Elbersom foi denunciado pelos crimes de estupro, importunação sexual e violência psicológica contra a mulher.

A denúncia foi colhida pela juíza da Vara Criminal, em Sidrolândia, Silvia Eliane Tedardi da Silva, no fim de abril deste ano. Nesta terça-feira o juiz da 7ª Vara Criminal, em Campo Grande, Marcelo Ivo de Oliveira, determinou que defesa do réu se posicione.

Para a denúncia do MPMS, o investigador e acusado de estupro causou dano emocional à vítima de violência sexual, "mediante constrangimento humilhação e ameaça, gerando prejuízo à saúde psicológica e autodeterminação".
 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas