Porto Seguro: Dona de Husky Siberiano furtado precisou pagar para ter cachorro de volta

bahia
11.09.2020, 20:15:00
Atualizado: 12.09.2020, 06:51:30
(Acervo Pessoal)

Porto Seguro: Dona de Husky Siberiano furtado precisou pagar para ter cachorro de volta

Pagamento do resgate foi realizado na frente de um mercado, sem a presença da Polícia Civil; ladrões entraram em contato pelo Instagram

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Sun, um filhote da raça Husky Siberiano que foi levado por ladrões em Porto Seguro, no Sul da Bahia, no último sábado (5) e foi recuperado após o pagamento de resgate, foi vítima de uma tipo de "sequestro”. Isso porque, após furtarem o cachorro da residência, os bandidos entraram em contato através um perfil falso no Instagram e iniciaram uma negociação com a família dona do cão para o pagamento do resgate, que se concretizou após concordarem em pagar a quantia solicitada. Por orientação da Polícia Civil (PC), a família não divulgou o valor pago para ter o pet de volta.

A dona de Sun, a vendedora Maria Eduarda Gusmão, 20 anos, conversou com a reportagem do CORREIO e afirmou que não titubeou em pagar o que estavam pedindo para ter seu cachorro de volta. “Nós tivemos que pagar o que eles pediram. Não deixaria meu cachorro de apenas três meses lá. Quando estávamos negociando, falei com o meu marido que poderíamos pagar. Só não pagaríamos se eles pedissem ainda mais porque viraria um processo de extorsão”, afirma.

Dona de Husky Siberiano furtado precisa pagar para ter cachorro de volta em Porto Seguro

(Foto: Acervo Pessoal)

O furto, que aconteceu quando todos estavam fora de casa, deu um baita susto na família, que logo notou a ausência do cachorro no interior da casa. Eduarda conta que foram momentos desesperadores que precederam o contato dos criminosos. “Saímos de casa no sábado a tarde e voltamos no início da noite. A primeira coisa que eu percebi foi a ausência dele. Procurei em todo canto e não o achei e fiquei desesperada por terem levado o meu cachorro. Fui atrás dos vizinhos, chamei a polícia. Se você ouvisse meus áudios do momento em que aconteceu, veria o estado em que eu fiquei”, relata.

A devolução de Sun foi realizada por quatro indivíduos segundo conta Maria Eduarda, que aceitou encontrá-los na frente de um mercado sob a condição de manter a PC longe da situação. “Eles pediram pra Polícia Civil não se envolver muito. Então, eu fui para o local, onde três rapazes me abordaram para pegar o dinheiro e um quarto rapaz deixou o cachorro dentro de uma mochila na esquina”, conta.

A família acredita que o objetivo dos bandidos era mesmo vender o animal, por se tratar de um cão de raça e que tem um alto valor de mercado no território brasileiro. Para se ter uma ideia, outros cachorros da mesma espécie são vendidos no Mercado Livre por valores que vão de R$ 1.000 à R$ 2.700 e na OLX por preços variam entre R$ 900 e R$ 2.500.

(Acervo Pessoal)
(Acervo Pessoal)

Declaração da PC
O CORREIO entrou em contato com a PC para saber mais detalhes da ocorrência e da participação da polícia no processo de resgate de Sun. Por meio de nota, a assessoria limitou-se a confirmar a recuperação do cãozinho e salientar que segue investigando o caso para encontrar os responsáveis pelo furto.

“Policiais da 1ª Delegacia Territorial (DT), de Porto Seguro, recuperaram um cão da raça Husky Siberiano, na terça-feira (8), após o animal ser furtado na casa do seu dono, no domingo (6). As investigações continuam, com o objetivo de identificar e prender os autores”, informa.

Sem ferimentos, mas abatido
Apesar do susto, Sun voltou para casa sem ferimentos, mas abalado e sem vontade de se alimentar. O trauma mesmo ficou pra família que, a partir de agora, não pretende deixar o animal sozinho por muito tempo na residência. “Pra nós, foi um susto maior que pra ele, que tem apenas três meses. Mas, mesmo assim, ele voltou abatido, sem vontade comer e desidratado. Já levei para o veterinário cuidar dele direitinho”, diz. 

No ato do furto, os ladrões também levaram uma televisão e R$ 100, materiais pelos quais eles não abriram negociações para devolução. Maria Eduarda disse ainda que os criminosos tentaram arrancar mais dinheiro dela após a entrega. A vendedora afirmou que segue em contato com a PC para acompanhamento do caso.

*Sob orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas