Posto vende gasolina a R$3,50 e cria fila imensa na Avenida Paralela

salvador
19.03.2021, 18:19:00
Atualizado: 19.03.2021, 18:19:36
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)

Posto vende gasolina a R$3,50 e cria fila imensa na Avenida Paralela

Ação foi realizada pelo Sindipetro para 140 motociclistas e 100 motoristas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

De repente, uma fila gigantesca de carros se formou bem à frente do prédio de Caio Santos, estudante de 19 anos. Ele se perguntou o porquê de toda aquela movimentação e no melhor estilo "é um pássaro? É um avião? Não! É o Superhomem" que ele descobriu do que se tratava: uma ação liderada pelo Sindpetro Bahia com o objetivo de mostrar que é possível vender gasolina a preços acessíveis para a população.

O litro da gasolina já ultrapassa os R$6 em Salvador. Foram três reajustes só em 2021. O que o Sindipetro fez nesta sexta (19) foi vender o litro a R$3,50 para 100 motos e 140 carros. A ação foi realizada no Posto Kalilandia, próximo à estação de metrô do Imbuí, na Avenida Paralela. Uma fila quilométrica foi formada e muita gente não conseguiu aproveitar a promoção.

Foi o caso do advogado Marcelo Oliveira, que mora bem pertinho ao posto, mas chegou tarde para aproveitar a promoção. Ele conta que pegou cerca de 1km de fila, ficou pouco mais de 40 minutos aguardando até chegar a notícia de que os tíckets disponibilizados estavam esgotados.

Ação subsidiou cerca de 3,3 mil litrosde gasolina (Foto: Paula Fróes/CORREIO)

O entregador Fábio Couto deu mais sorte. Ele colocou cerca de 5L de gasolina. O que sairia por cerca de 40 reais, acabou ficando por R$17,5. "Estou dando graças a Deus, a gente que sempre está em posto porque trabalha com o veículo sente muito. A vida já está difícil, com essa gasolina a quase R$6 é pior. Chega desmotiva", afirmou Fábio.

Diretor de comunicação do Sindipetro, Radiovaldo Costa, explica que o valor de R$3,50 para a gasolina foi definido a partir de um estudo elaborado por técnicos e economistas contratados pela entidade sindical. 

“Eles estudaram os preços e custos da Petrobras para poder encontrar um preço que garanta lucratividade à empresa que produz o diesel, gasolina e gás de cozinha ao distribuidor e ao revendedor, e não penalize a sociedade. Então, hoje, o preço justo da gasolina seria em torno de R$3,50”, afirmou o diretor.

Com as vendas de hoje, o Sindipetro chegou a 12,3 mil litros de gasolina subsidiadas  em quatro municípios do interior e na capital do estado. A ação de Salvador distribuiu 3.300 litros.

Em nota, o Sindipetro afirmou que a política preço da Petrobrás tem por base, desde 2016, a paridade de importação (PPI). Por conta disso, a cada 15 dias, em média, a Petrobras anuncia um novo aumento nos preços. Só em 2021, a gasolina subiu seis vezes, acumulando um aumento de 54,3%.

Os petroleiros baianos estão em greve há 15 dias - uma mobilização que também acontece no Amazonas, Espirito Santo e São Paulo. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas