Prates lamenta desfalques por covid e queda do Bahia no 2º tempo

e.c. bahia
28.11.2020, 22:20:00
Atualizado: 28.11.2020, 22:24:50
Claudinho revelou dificuldades durante a semana por conta dos casos de covid-19 no clube (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Prates lamenta desfalques por covid e queda do Bahia no 2º tempo

Auxiliar reconheceu que time não conseguiu seguir a estratégia da partida

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Diante do São Paulo, na noite deste sábado (28), na Fonte Nova, o Bahia apresentou dois tempos distintos. No primeiro, o tricolor conseguiu fazer um jogo seguro e criou boas chances para abrir o placar. Já na etapa final, o time caiu muito de produção, passou a cometer erros grosseiros e viu o adversário gostar da partida. O resultado foi a derrota em casa por 3x1.

Na análise do auxiliar Cláudio Prates, que comandou o time no lugar de Mano Menezes – afastado após testar positivo para covid-19 -, o Esquadrão não conseguiu cumprir a estratégia traçada para o duelo no segundo tempo e por isso acabou castigado com o revés.

“A gente gostaria, obviamente, que mantivesse a mesma performance do primeiro tempo em todos os aspectos. A comissão montou uma estratégia, acho que foi extremamente bem cumprida, temos que parabenizar os meninos, mas sabemos que temos hoje três ou quatro treinadores. É o teste de covid, teste da fisiologia... são os fatores que estão levando a ter um desgaste”, disse ele, antes de continuar:

“A cobrança foi feita para manter a performance do primeiro tempo, por alguns fatores não foi. Sabemos da qualidade do São Paulo, quando não tem encurtamento de linha, pegada forte, eles têm jogadores que sabem jogar. É corrigir, mentalizar esse primeiro tempo que fizemos, e seguir a diante. Mas valorizar a entrada desses jovens que entraram hoje e lutaram honrosamente”.

Ainda segundo Prates, o elenco vem trabalhando e se cobrando para minimizar os erros na defesa, mas em campo isso ainda não tem acontecido. Ele criticou a falta de atenção na cobrança de lateral de Reinaldo, em lance que originou o primeiro gol do São Paulo.

“A gente sabe, a cobrança é interna, mas não podemos falhar do jeito que falhamos. Se a gente quer chegar em cima na tabela, brigar por Sul-Americana, não pode ter a postura de tomar gol do jeito que a gente tomou. Neutralizamos as principais jogadas do adversário, mas em situações mais simples não conseguimos e falhamos”, disse ele.

“O futebol de alta performance não permite erros grosseiros, e nós tivemos erros grosseiros. Minimizar erro é o que faz a gente ter resultados bons e performance boa. Minimizamos em todo primeiro tempo e tivemos boa performance, poderia sair na frente. No segundo tempo isso não aconteceu”, continuou.

Cláudio Prates falou ainda sobre a dificuldade que teve para montar o time. Além dos jogadores suspensos e lesionados, o Bahia perdeu quatro atletas por covid-19 nos últimos jogos.

“Essa semana foi muito difícil. Estamos sem o comandante (Mano Menezes), sem três pessoas, e a cada exame era tenso. Estamos lidando com pessoas e até o último minuto tivemos que esperar e treinar quem poderia, e de última hora ainda perdemos dois atletas. Não está acontecendo só aqui, é em todo futebol brasileiro, mas são coisas que buscamos superar com a força do grupo. Hoje, pelo menos no primeiro tempo, eles demonstraram essa força”, finalizou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas