Prefeito de Jequié é afastado do cargo por 90 dias após denúncias

bahia
17.06.2020, 08:27:00
Atualizado: 17.06.2020, 08:27:47
(Foto: Divulgação/Câmara Municipal de Jequié)

Prefeito de Jequié é afastado do cargo por 90 dias após denúncias

Afastamento foi aprovado durante votação na Câmara Municipal; foram 10 votos favoráveis e seis votos contrários

Com 10 votos favoráveis e seis votos contrários, a Câmara Municipal de Jequié aprovou pelo acatamento de denúncias contra o prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira e pelo seu afastamento imediato do cargo. A votação ocorreu na última terça-feira (16.06) em sessão ordinária que durou 4h30min. Ao fim da votação, o presidente da Câmara, Emanuel Campos (Tinho) anunciou que, com o resultado, o prefeito está afastado de suas funções pelo período de 90 dias ou enquanto durar o processo de investigação e que o mesmo será substituído pelo vice-prefeito Hassan Iossef. O próximo passo é a notificação das partes interessadas sobre a decisão do Poder Legislativo.

Durante a sessão também ocorreu o sorteio dos membros da Comissão Processante.Quem integra a comissão são os vereadores Admilson Nascimento ‘Careca’ (presidente), Joselane Ferreira ‘Laninha’ (relatora) e José Augusto Aguiar ‘Gutinha’ (membro).

Os votos favoráveis ao afastamento foram dos vereadores: Reges Silva, Adriano Guião, Ivan do Leite, Colorido, Joaquim Caíres, Admilson Careca, Soldado Gilvan, Laninha, Tinho e Gutinha. Já os votos contrários foram dos vereadores José Simões, Beto de Lalá, Pastoleiro, Marcinho, Roque silva e Ramon Fernandes.

O vereador Dorival Jr. não compareceu à sessão. Os vereadores Eliezer Pereira ‘Fiim’ e Guina Lopes não participaram da votação. A minoria não permaneceu no plenário no momento do sorteio.

Foram apontadas pelo denunciante, o professor José Carlos Almeida, uma série de irregularidades no âmbito da gestão do prefeito Sérgio da Gameleira, dentre as quais, uma considerada grave, que diz respeito ao pagamento de juros e multas a Previdência Social por parte do gestor municipal. Quando é gerada a folha salarial dos servidores municipais a prefeitura também declara os valores correspondentes ao INSS que devem ser recolhidos aos cofres federais. Quando o gestor não faz estes recolhimentos na data correta, automaticamente, no mês seguinte ou no subsequente, a própria Receita federal realiza desconto na cota do FPM – Fundo de Participação dos Municípios – dos valores não pagos e ainda desconta os valores referentes aos juros e multa pelo atraso do pagamento.

Ao longo do tempo foi apurado no governo de Sérgio da Gameleira um prejuízo comprovado de R$ 1.770.100,89  aos cofres públicos Municipais. No entendimento da maioria dos vereadores, o afastamento temporário do prefeito é de suma importância para que se garanta a instrução do Processo, pois, não há dúvidas de que caso o denunciado permaneça no exercício do cargo de prefeito, terá poder de eliminar, manipular, esconder, maquiar provas e ainda coagir pessoas e possíveis testemunhas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas