Prefeito é preso sob a suspeita de estuprar menina de 8 anos

brasil
22.04.2018, 15:52:00

Prefeito é preso sob a suspeita de estuprar menina de 8 anos

Paulo Araújo (PSDB), 34, comanda prefeitura de Bariri (SP) interinamente

Foto: Arquivo pessoal

O prefeito interino de Bariri (SP), Paulo Henrique Barros de Araújo (PSDB), 34 anos, foi preso neste sábado (21) sob a suspeita de ter estuprado uma menina de oito anos em Bauru, cidade distante 61 quilômetros. Neste domingo (22), em audiência de custódia, Araújo negou as acusações.

Segundo a polícia, a menina tinha saído de casa para comprar pão no bairro José Regino quando foi levada pelo político até a região do Vale do Igapó, onde houve o abuso. Em audiência de custódia neste domingo (22), o prefeito negou.

A versão apresentada pela menina foi a de que Araújo se apresentou como policial, disse que era perigoso ela ficar sozinha no local e a fez entrar no carro. Já no Vale do Igapó, a criança teria sido abusada e conseguiu fugir depois que o carro do prefeito ficou preso numa vala. Ela foi encontrada por um casal, que a levou para a casa.

A família acionou a polícia e o prefeito foi encontrado caminhando pela região. Ele foi levado para o plantão policial e, à noite, encaminhado à cadeia de Barra Bonita.

O depoimento da criança foi acompanhado pelos pais e o Conselho Tutelar da cidade.

O prefeito teve a prisão preventiva decretada e foi levado ao CDP (Centro de Detenção Provisória) de Bauru. A polícia decretou sigilo do processo. Uma perícia foi feita para verificar se houve relação sexual, cujo laudo deve ficar pronto em até um mês.

Araújo está interinamente no cargo desde o começo do ano passado. Vereador presidente da Câmara, ele assumiu o cargo depois que o prefeito e vice mais votados na eleição de 2016 tiveram os registros de suas candidaturas indeferidos. A cidade deve ter novas eleições em 3 de junho.

Vereadores de Bariri devem se reunir nesta segunda (23) para discutir a situação de Araújo. A defesa do prefeito interino não foi localizada para comentar o caso. A policiais civis que participaram de sua prisão, ele afirmou que falaria apenas em juízo.  

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas