Prefeitura realiza primeira blitz das máscaras no Dique do Tororó

coronavírus
24.04.2020, 13:47:00
Atualizado: 24.04.2020, 13:47:14
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Prefeitura realiza primeira blitz das máscaras no Dique do Tororó

Fiscalização ainda tem caráter educativo, mas multas não estão descartadas futuramente

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Motoristas e passageiros de Salvador passaram nesta sexta-feira (24) pela primeira blitz educativa da Prefeitura de Salvador para fiscalizar o cumprimento do decreto que estabelece o uso da máscara em transportes coletivos e veículos que trafegam com mais de uma pessoa na cidade. Pela manhã, a blitz foi realizada por agentes da Superintendência de Trânsito do Salvador (Transalvador), no Dique do Tororó, na altura do posto de gasolina que fica no sentido Estação da Lapa. 

Por enquanto, a fiscalização tem caráter educativo e não punitivo - ou seja, não há aplicação de multas para quem descumpre a regra. Três agentes ficaram responsáveis por verificar se as pessoas dentro do carro e ônibus já estão cumprindo as regras estabelecidas. Caso contrário, o veículo é parado e abordado por outros agentes.  

"Nós explicamos o que estabelece o decreto e instruímos o cidadão a usar a máscara, destacando que, futuramente, pode ser que seja aplicada uma multa para quem descumprir o decreto, a depender do comportamento dos cidadãos”, disse a agente da Transalvador Maria Celestina. 

Assim como outros funcionários da pasta, o trabalho de fiscalização exercido por Maria Celestina é considerado essencial e, por isso, é exercido nas ruas da capital baiana. “É um prazer enorme a gente poder ajudar a sociedade nesse momento. Eu me sinto grata por dar a minha contribuição”, disse.  

Veículos com mais de uma pessoa sem máscara foram parados pelos fiscais
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Primeiro
O primeiro cidadão parado na blitz foi abordado por Celestina. Trata-se do auxiliar técnico Diego Luis, que levava sua esposa para o hospital. Os dois estavam sem o equipamento de proteção. "Já tenho a máscara, mas não sabia que o decreto estava valendo", justiificou.

Já nos ônibus parados pela blitz, os agentes da Transalvador entram e fazem o mesmo processo de abordagem, orientando os passageiros a como agir corretamente. Enquanto o CORREIO esteve no local, nenhum ônibus abordado tinha alguém sem a máscara. 

Agentes da Transalvdor fizeram trabalho educativo
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

“Quero parabenizar a todos vocês por estarem cumprindo o decreto”, disse um agente, entregando os panfletos informativos para os passageiros. Caso seja identificado alguém dentro do ônibus sem o uso da máscara, o passageiro será orientado a sair do veículo.  

Trânsito
A blitz deixou o fluxo do trânsito mais lento na região do Dique do Tororó. As placas e características de todos os carros parados foram ainda registradas numa planilha da Transalvador. Essas blitze acontecerão diariamente, segundo o superintendente da pasta, Fabricio Muller.  

"Vamos estar em locais de grande porte e fluxo elevado, inclusive nos bairros que possuem muitos casos de coronavírus, conforme os dados divulgados pela Secretaria de Saúde", disse Muller. 

*Com supervisão da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas