Presidente da Caixa deixará cargo nesta quarta (29), diz colunista

brasil
28.06.2022, 22:33:36
(Foto: Marcos Corrêa/PR)

Presidente da Caixa deixará cargo nesta quarta (29), diz colunista

Funcionárias denunciaram Pedro Guimarães por assédio sexual; investigação corre em sigilo no Ministério Público Federal

Pedro Duarte Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, deve deixar o cargo nesta quarta-feira (29). A informação foi confirmada ao colunista Lauro Jardim, por assessores de Jair Bolsonaro. A saída acontece depois que denúncias de assédio sexual contra um grupo de funcionárias do banco foram divulgadas, nesta terça-feira (28), pelo Metrópoles. 

Ainda de acordo com o colunista, Guimarães e Bolsonaro conversaram na noite desta terça-feira (28) e decidiram que o presidente da Caixa pedirá demissão para cuidar de sua defesa.

Por conta dos casos, há uma investigação correndo sob sigilo no Ministério Público Federal. De acordo com os relatos das mulheres, os assédios aconteceram durante compromissos profissionais, principalmente, durante viagens realizadas por Pedro Guimarães pelo país para acompanhar o programa Caixa Mais Brasil.

Denúncias
As funcionárias, que trabalham diretamente com o gabinete da presidência da Caixa, contaram que as abordagens começaram no fim do ano passado e incluem toques íntimos, investidas inadequadas e convites incompatíveis com a relação entre o presidente e as funcionárias. 

"É comum ele pegar na cintura, pegar no pescoço. Já aconteceu comigo e com várias colegas”, disse uma funcionária que não teve o nome revelado. "Ele trata as mulheres que estão perto como se fossem dele. Ele já tentou várias vezes avançar o sinal comigo. É uma pessoa que não sabe escutar não", disse a funcionária do banco, acrescentando que as mulheres que recusam as abordagens passam a ser ignoradas por Pedro Guimarães.

Ainda de acordo com os relatos, as mulheres que chamam a atenção de Pedro, durante as viagens pelo país, são chamadas de 'discos voadores'. Algumas delas são convidadas a trabalhar em Brasília, ou são promovidas, mesmo se preencher os requisitos para as vagas.

Uma das funcionárias contou que é o gabinete do presidente que fica responsável por escolher as mais bonitas para compor as comitivas que vão acompanhá-lo nas viagens. “Ele convida para as viagens as mulheres que acha interessantes”, afirmou outra vítima ao Metrópoles.

Além de levar um beliscão, mais uma funcionária afirmou em seu relato que precisou recusar convites com segundas intenções, como ir até uma piscina e sauna em seu horário de folga.  "Ele me chamou para ir para sauna com ele. Perguntou: ‘Você gosta de sauna?’. Eu disse: ‘Presidente, eu não gosto’. Se eu tivesse respondido que gosto, ele daria prosseguimento à conversa. De que forma eu falo não? Então, eu tenho que falar que não gosto. É humilhante. Ele constrange", disse.

Em outra viagem, uma das mulheres escutou de uma pessoa próxima a Pedro: “E se o presidente quiser transar com você?”. Segundo a reportagem divulgada pelo Metrópoles, era comum ele fazer pedidos de urgência em horários noturnos para que as mulheres fossem até seu quarto. 

"Ele falou assim: ‘Vai lá, toma um banho e vem aqui depois para a gente conversar sobre sua carreira’. Não entendi. Na porta do quarto dele. Ele do lado de dentro (do quarto) e eu um metro para fora. Falei assim: ‘Depois a gente conversa, presidente’. Achei aquilo um absurdo. Não ia entrar no quarto dele. Fui para meu quarto e entrei em pânico".

O Ministério da Economia e a Caixa ainda não se pronunciaram. Pedro Guimarães também não comentou a investigação.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas